Veja as principais vantagens e desvantagens de abrir uma microfranquia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

A crise financeira que ainda exerce efeitos sobre o nosso país trouxe uma forte necessidade de adaptação entre os brasileiros. Essa movimentação impulsiona a inovação, proporcionando um momento ideal para encontrar soluções inovadoras e apresentá-las ao mercado.

Nesse cenário, a ideia de abrir uma microfranquia se torna um caminho para aqueles que desejam aumentar a renda, trazer impactos positivos para a comunidade e investir em inovação.

Trata-se de um movimento natural no mercado. Em geral, especialistas afirmam que a receita para enfrentar a crise é o investimento na inovação. Um momento de transição impõe desafios, mas também oportunidades. É preciso ter resiliência para aprender e aprimorar as próprias habilidades.

abrir uma microfranquia

Um levantamento do Sebrae estima que as micro e pequenas empresas geram 27% do PIB do Brasil. São cerca de nove milhões de empreendimentos desse tipo. Mas quais seriam as vantagens de uma microfranquia diante de um cenário econômico tão duvidoso e da ânsia da clientela por novidades?

Quer entender quais são as diferenças entre uma microfranquia e uma franquia, bem como quais são as vantagens e desvantagens desse tipo de negócio? Acompanhe o nosso post e aprenda ainda mais sobre o mundo do empreendedorismo e do franchising!

Qual é a diferença entre microfranquia e franquia

A diferença reside, principalmente, no capital necessário para investir no negócio. Como valor máximo de investimento para o negócio se classificar como microfranquia, a Associação Brasileira de Franchising (ABF) adota um valor que corresponde a três vezes do PIB anual médio por habitante em nosso país.

Em 2014, esse valor era de, aproximadamente, R$80 mil. Ou seja, as franquias que têm um valor mínimo correspondente ou inferior a R$ 80 mil são classificadas como microfranquias. Assim como as demais, essas franquias também estão sujeitas à lei nº 8.955/94 (Lei das Franquias Empresariais).

Nesse modelo, o franqueador, proprietário de um negócio, disponibiliza aos futuros franqueados o usa da marca comercial e de seu modelo de negócio (o que inclui o know-how e as tecnologias necessárias para as operações), fornecendo também seus produtos e serviços. Ou seja, a forma de operar é igual às demais modalidades de franquia. Essa marca, lembramos, deve estar apropriadamente registrada no INPI — Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

Uma microfranquia, contudo, exige uma estrutura mais enxuta e acessível, fazendo com que o retorno sobre o investimento seja mais rápido, ainda mais se considerarmos que o empreendedor está acompanhado de uma marca conhecida no mercado.

Microfranquias: um mundo de possibilidades para empreender e lucrar!

As microfranquias tiveram um grande desenvolvimento em nosso país nos últimos anos. Impulsionadas pelo cenário econômico controverso, elas surgem como um modelo de negócios que pode ser replicado por pessoas que têm pouco capital.

Para esses pequenos empreendedores, uma microfranquia (frequentemente conhecida como franquia barata) pode ser um bom negócio, especialmente para os disciplinados. Isso porque eles mesmos terão de cuidar da administração do negócio, prestar serviços e prospectar clientes. É preciso, portanto, contar com uma série de habilidades diferentes.

Quais requisitos precisam ser cumpridos para sua abertura?

Alertamos que a baixa taxa de investimento inicial nem sempre é suficiente. É preciso que você inclua em seus investimentos os gastos realizados com condução, telefone, energia elétrica, entre outros. Por isso, assim como nas franquias e outros tipos de empreendimentos, é preciso fazer um planejamento financeiro, garantindo que o negócio atenda às expectativas de ganho.

Quem está acostumado a fazer mais de uma atividade de ganho precisa revisar sua rotina. Afinal, assim como os demais empreendimentos, uma microfranquia exige dedicação para crescer de forma sustentável.

Mesmo que a microfranquia tenha um porte menor, ela pode ter um faturamento aproximado ao de uma franquia. Algumas crescem e podem necessitar da contratação de funcionários. Dentro dos limites da franqueadora, esses empreendimentos criam oportunidades para que empreendedores possam contratar colaboradores, aumentando a renda de mais pessoas e melhorando a qualidade de vida da comunidade.

Na maioria dos casos, o investimento em uma microfranquia é proporcional ao retorno. Isso significa que aqueles que investem pouco (e não estamos falando apenas dos investimentos financeiros, mas também da dedicação que você dispensa no dia a dia do negócio) não podem esperar grandes ganhos.

É comum que as empresas que requerem baixos investimentos tragam resultados menores. Por isso, é essencial que você converse com franqueados para não formar expectativas erradas de ganho.

Se você está interessado em uma microfranquia, não se deixe levar pelas emoções. Analise bem o mercado de atuação, quais são as condições oferecidas pelo franqueador, se você consegue fazer os investimentos devidos e, especialmente, se tem afinidade com o tipo de negócio cogitado.

Assim como qualquer outra atividade, uma microfranquia exige muito empenho, dedicação e equilíbrio para crescer de forma sustentável.

Quais as principais vantagens e desvantagens desse processo?

Há uma série de vantagens em enveredar pelo empreendedorismo com uma microfranquia. Mas há também alguns pontos que precisam ser considerados com carinho. É para ajudar você com essa decisão que preparamos uma lista de vantagens e desvantagens, como você confere a seguir!

Vantagens de uma microfranquia

Iniciar um empreendimento com uma marca já reconhecida no mercado

Um franqueador precisa oferecer um cadastro financeiro respeitável. Com isso, o franqueado usufrui de prazos mais generosos, descontos nos preços e pagamentos em melhores condições.

O pequeno empresário também ganha mais vantagem competitiva em relação aos empreendedores que estão começando do zero, já que a franquia conta com produtos, serviços e modelo de negócio que foram testados no mercado.

O apoio do franqueador

Um microfranqueado tem mais chances de ter sucesso no mercado porque o sistema de franquia formatada é mais seguro, se comparado ao de um negócio independente. Com uma rede própria de distribuição e uma marca fortalecida com uma série de testes de produtos, além da orientação e treinamento do franqueador, o franqueado tem mais ferramentas para obter lucros e se erguer no mercado.

Junto a isso, os perfis de clientes potenciais, bem como de padrões de consumo já estão mapeados. No treinamento dos fraqueados, as empresas-mãe já têm compilados de informações sobre o perfil dos clientes, seus padrões de consumo e a maneira mais adequada de fazer a prospecção.

É frequente que as empresas forneçam também relatórios periódicos sobre o comportamento dos clientes, bem como sugestões de estratégias para melhorar seus resultados.

Contar com um plano de negócio

Um dos maiores empecilhos para os empreendedores iniciantes é a formulação do plano de negócio. Além da pouca experiência, na maioria das vezes, eles estão com funções acumuladas e não têm tempo para acompanhar e prever fatos políticos, sociais e econômicos que possam interferir no andamento dos negócios.

O apoio de um franqueador ajuda na instalação e expansão do negócio com riscos menores.

Economia de escala

Custos de propaganda são distribuídos entre os franqueados da rede. Isso permite uma redução significativa nos investimentos necessários, o que permite melhorias na qualidade da propaganda.

Os preços obtidos pela central de compras da rede, bem como o investimento em ativos fixos, como equipamentos e máquinas, também impulsionam o crescimento dos microempreendedores.

Ajuda com o planejamento dos custos de instalação

Em uma franquia bem formatada, o franqueador calcula e informa o custo que será distribuído entre os franqueados para fornecer o projeto arquitetônico, a realização da fiscalização de obras, bem como a especificação de máquinas e equipamentos.

Esse apoio para a construção e instalação tem como base os custos de uma unidade-padrão. Se você já teve um negócio independente antes ou tem amigos que já passaram por essa experiência, deve ter observado que os custos de instalação frequentemente fogem das previsões, o que causa problemas de fluxo de caixa para o pequeno empreendedor.

Independência financeira

É bem verdade que um sistema de franquia não permite a autonomia total do empreendedor. Contudo, o franqueado ainda possui independência jurídica e financeira em relação ao franqueador. Isso significa que a empresa do franqueado tem a própria razão social, e qualquer operação financeira é de responsabilidade individual dele.

Poupar custos com pesquisa e desenvolvimento de produtos

Os custos com pesquisas e desenvolvimento de novos produtos e serviços, bem como o aperfeiçoamento dos já existentes, é de total responsabilidade do franqueador. A ele compete testar as novidades nas unidades que possui antes de lançá-las para a rede. Assim, até mesmo as novidades da franquia já chegam para você com mais experiência de mercado!

Desvantagens de uma microfranquia

Pouca flexibilidade

Em um sistema de franquias, ou você se adapta às regras e processos propostos pela franqueadora ou você será convidado a se retirar.

Os sistemas de franquia formatada exercem controle permanente e constante sobre as operações do franqueado. Essas auditorias buscam detectar falhas no cumprimento das obrigações por parte do franqueado, auxiliar na gestão do negócio e verificar os controles financeiros e contábeis.

Um franqueado precisa entender que a interdependência mútua em um sistema de franquia é um pré-requisito para se dar bem e colaborar com o desenvolvimento de toda a rede. Somente com esse controle, o franqueador obtém condições de amparar o franqueado e assegurar condições para que toda a rede cresça.

Controle sobre a localização

Um franqueado pode até dar sugestões de locais apropriados para a instalação do ponto de venda. Contudo, como o franqueador tem a responsabilidade final sobre a localização dos estabelecimentos, é provável que ele determine em qual local você deve instalar o PDV.

Em alguns casos, mesmo que o franqueado disponibilize um bom imóvel para a instalação da franquia, os estudos realizados pela franqueadora podem apontar que o local não seja apropriado para as operações. É preciso ficar atento a essas condições antes de assinar os contratos!

Falhas podem acontecer

É bem verdade que as franquias, sejam elas tradicionais ou micro, trazem mais segurança para os empreendedores de primeira viagem. Contudo, quando eles selecionam redes de franquias com sistemas problemáticos, correm o risco de adquirir um negócio potencialmente ruim.

O descumprimento de cláusulas do contrato, atrasos na entrega de equipamentos e produtos, a diminuição da rentabilidade, a perda de qualidade dos produtos e serviços, entre outros, são alguns sinais de que há um problema de comunicação entre franqueadores e franqueados e de que o sistema da franquia é problemático. Procure conversar com quem já participa da rede para fazer esse diagnóstico a tempo!

Potencial de inovação limitado

Sendo um sistema baseado na padronização, o modelo de franquias pode limitar o seu potencial de inovação. Se a necessidade de investimentos para o lançamento de novos produtos e serviços é dispensável, é preciso que você tenha em mente que, em uma microfranquia, todas as unidades da marca devem oferecer a mesma estrutura para os clientes.

Se você tem ideias incríveis para aprimorar o negócio, é preciso submetê-las à empresa franqueadora. Se você se sente incentivado pela vontade de inovar no mix de produtos e nos serviços, pode se sentir sufocado dentro da estrutura de uma microfranquia.

Vale a pena abrir uma microfranquia

Em um cenário econômico hostil, é preciso que você se adapte bem às mudanças, buscando a reinvenção, o desenvolvimento de novas capacidades e competências. O investimento em uma microfranquia pode ser a melhor forma de se lançar às novidades do mercado mantendo um nível de segurança.

Nessas situações, também é preciso ter foco. Embora o mercado dite uma série de segmentos certeiros para investir, é preciso que você tenha afinidade com o segmento de mercado no qual a microfranquia se projeta.

Entenda quais são as áreas e tipos de produtos com os quais você tem facilidade e pode colaborar com soluções diferenciadas. Esse interesse pelo mercado é um dos fatores de peso para a sustentabilidade de seu empreendimento.

Para investir em um microfranquia, é preciso que você tenha ou desenvolva uma série de características essenciais para um empreendedor, como a flexibilidade, a aptidão para trabalhar em um ambiente que requer colaboração, aceitação da diversidade, entusiasmo e muita dedicação. Essas qualidades ajudam a construir um negócio com otimismo e a enfrentar mudanças com maior resiliência.

Encontre uma companhia que converse com seus princípios e valores. Assim, lidar com as dificuldades do dia a dia e com os desafios da administração de um negócio fica muito mais fácil!

Interessado em abrir uma microfranquia? Siga-nos no Facebook e receba dicas fresquinhas para empreender com sabedoria e prosperar no mundo do franchising!

Comentários