Qual o investimento necessário para abrir uma franquia?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Em um momento de instabilidade econômica e de escassez de oportunidades no mercado de trabalho, muitos brasileiros estão optando por serem empreendedores. Mas como fazer isso com uma boa margem de segurança e chances elevadas de obter o retorno esperado? A resposta é abrir uma franquia.

Afinal, contar com um apoio para iniciar o próprio negócio é um aspecto crucial para chegar ao sucesso e evitar erros que comprometem a imagem e a lucratividade de uma organização.

investimento necessário para abrir uma franquia

Se você quer aumentar a renda familiar, ter realização profissional e estar de bem com a vida, leia este post com atenção. Vamos apresentar aspectos que devem ser levados em consideração ao investir em uma franquia, os cuidados necessários para ter retorno e as vantagens de aderir a esse modelo de negócios. Confira!

Analise o que investir ao abrir uma franquia

Verificar a capacidade de investimento é o primeiro passo para ser um empreendedor inteligente. Por mais que você tenha conhecimento técnico e habilidade para conquistar os clientes, é muito importante avaliar se tem condições financeiras para iniciar as atividades de uma empresa.

Para executar essa tarefa da melhor forma possível, vamos apresentar itens que integram os gastos necessários para a abertura de uma franquia. Veja!

Taxa de franquia

Consiste em um valor de entrada para o franqueado ser incluído na rede e ter direito de utilizar a marca da empresa franqueadora. Dependendo da situação, essa taxa pode cobrir outras despesas, como o treinamento inicial e a consultoria para implantar a unidade.

Em geral, a taxa é cobrada na assinatura e na renovação do contrato. Ou seja, o empreendedor deve estar preparado para arcar com esse custo, que muda de acordo com o tipo de franquia.

Estoque inicial

Mesmo que você tenha uma boa noção do negócio, é interessante contar com um apoio sobre como montar e organizar o estoque. Por isso, várias empresas franqueadoras informam o quantitativo e a variedade de produtos que devem compor uma loja.

Dessa maneira, o empresário terá uma noção exata dos gastos necessários para fazer a primeira compra, sabendo o investimento ideal para iniciar os trabalhos e satisfazer os clientes.

Em relação às franquias do setor de serviços, o gasto com estoque inicial não existe ou é muito reduzido. Nelas, as despesas englobam os equipamentos utilizados para começar os serviços.

Capital de giro

Em qualquer tipo de negócio, você deve contar com dinheiro para manter as ações de uma franquia e renovar os estoques. Nesse cenário, o capital de giro exerce um papel crucial, porque é necessário esperar um tempo para o empreendimento pagar todos os custos por meio de recursos próprios.

Se o empresário não contar com uma reserva financeira, vai encontrar enormes problemas para oferecer serviços de alta qualidade e conquistar o respeito e a simpatia dos consumidores.

Ponto comercial (luvas)

Para os que atuam no varejo, a franquia deve ter um ponto comercial muito bem localizado. Afinal, os clientes precisam ter facilidade de acesso ao empreendimento. Se for viável, tenha um negócio em um shopping center ou em uma área de grande circulação de pessoas. Essa iniciativa aumenta as possibilidades de obter bons resultados.

Contudo, o empresário precisa estar atento ao custo do imóvel. A valorização imobiliária faz com que o aluguel ou a compra se torne uma despesa relevante. Isso obriga o franqueado a analisar, com muito cuidado, como utilizar o dinheiro disponível para abrir uma franquia.

Outro aspecto que deve ser levado em consideração é o pagamento de luvas, que dá ao franqueado o direto de usar um imóvel durante a vigência do contrato. Se for renová-lo, terá de arcar com a despesa novamente.

Caso você optar por uma microfranquia, provavelmente não terá esse tipo de gasto. Um dos motivos é que as atividades podem ser realizadas na sua própria residência. Assim, terá uma preocupação a menos para cobrir os custos do negócio.

Taxa de royalties

Imagine que a sua loja está totalmente estruturada com os equipamentos e produtos necessários, além de funcionários bem treinados e imóvel próprio. Mas será que está faltando alguma outra despesa?

A resposta é sim. Mensalmente, o franqueado deve pagar uma taxa de royalties, que abrange o suporte operacional concedido pelos franqueadores para abrir e manter o negócio funcionando adequadamente.

Ela pode ser cobrada com base no faturamento da unidade ou apresentar um valor fixo. Dependendo do tipo de franquia, essa taxa não é explícita. Por exemplo, as filiais de um curso de idiomas pagam essa despesa no material utilizado em sala de aula.

Taxa de propaganda

Em geral, alguns empreendedores se esquecem dos gastos com propaganda. Essa taxa engloba as atividades de marketing realizadas pelo franqueado, por exemplo:

  • produção de panfletos;
  • realização de eventos para atrair o público-alvo;
  • veiculação de anúncios em canais de comunicação tradicionais;
  • patrocínios;
  • atividades de divulgação na internet.

É um custo que deve ser levando em consideração na abertura de uma franquia. Além disso, é uma atividade que pode proporcionar uma grande visibilidade, caso tenha qualidade e seja destinada para o público certo.

Custos colaterais

Pensou que já tinha terminado a lista de custos? Se você achou que sim, é melhor ficar atento. Há também outras despesas que fazem parte do processo de abertura de uma franquia, como:

  • serviço de contabilidade;
  • honorários de advogados;
  • impostos;
  • e taxas de licença.

Outro aspecto que não pode ser ignorado é a possibilidade de pegar um financiamento para iniciar o negócio. A recomendação é pesquisar a credibilidade da instituição financeira, as taxas de juros, o valor e o tempo para quitar a dívida.

Adotando essa postura, você terá mais condições de estar em dia com as parcelas e fugir da inadimplência. Dependendo da quantia em caixa, é viável até pagar o financiamento antes do tempo previsto.

Inegavelmente, é crucial estar atento a todos os custos para abrir uma franquia. Com essa medida, os recursos financeiros poderão ser mais bem utilizados, o que contribui para obter o retorno do investimento.

Tenha cautela para iniciar um negócio

A empolgação de abrir uma franquia é perfeitamente compreensível, mas não deve ser sinônimo de falta de bom senso. Pensando nisso, vamos mostrar alguns cuidados para você começar um empreendimento com mais chances de alcançar as metas previstas. Acompanhe!

Veja a credibilidade da franquia

É muito bom conhecer os investimentos necessários para abrir um novo negócio. Contudo, isso não é suficiente para você alcançar uma performance de alto nível. Uma medida importante é verificar se a empresa franqueadora tem uma boa reputação no mercado.

Essa ação pode ser feita consultando a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em que os participantes devem obedecer a uma série de requisitos de qualidade para integrarem a entidade.

Uma alternativa é buscar dados em guias especializados com boa credibilidade, encontrando informações sobre o histórico, as atividades e o desempenho das franquias.

Pense na afinidade

Para ter sucesso ao começar um novo negócio, é interessante possuir conhecimento do setor em que pretende atuar e empatia com a atividade a ser desenvolvida. Abrir uma franquia só porque o segmento está na moda é um erro que deve ser evitado ao máximo.

Isso porque um bom gestor deve aliar oportunidade com visão estratégica. Esse requisito somente é alcançado quando o empresário tem foco e afinidade com a ramo de atuação.

Esteja no lugar do consumidor

Como gostaria de ser tratado em uma loja? Que produtos são úteis para você em um determinado estabelecimento? Ao responder essas perguntas, o empreendedor estará mais preparado para prestar um excelente serviço ao público-alvo.

Entender o comportamento do consumidor é uma medida valiosa para conquistá-lo e fidelizá-lo. Além disso, a propaganda boca a boca tem um grande poder de influência e ajuda a trazer mais clientes.

Procure seguir as regras

Os franqueados têm uma série de procedimentos a serem seguidos, de acordo com o padrão estabelecido pela empresa franqueadora.

Sair do roteiro para impressionar a clientela e superar a concorrência não é uma atitude recomendada. Isso pode provocar erros que prejudicam a imagem da empresa, o faturamento e os lucros.

Dialogue com os familiares

Por mais simples que seja uma franquia, abri-la é um investimento que exige muito tempo, esforço e dedicação. Ou seja, você terá que administrar as atividades da empresa com o relacionamento com a família.

Para evitar problemas, a dica é conversar com os parentes sobre a mudança na rotina. Assim, você pode convencê-los de que a iniciativa pode proporcionar bons resultados devido ao aumento da renda.

Ter o apoio da família é essencial para o empreendimento ser bem-sucedido, porque o empresário passa a ter mais confiança para tomar as melhores decisões para o bom andamento da franquia.

Fique atento à COF

Você já tomou um passo relevante ao escolher o setor em que vai investir. Contudo, está faltando um detalhe para ter a garantia de estar no caminho certo: fazer uma leitura minuciosa da Circular de Oferta de Franquia (COF).

O documento é elaborado pelo franqueador e destaca as regras a serem seguidas para abrir o negócio. Ele também deve contar uma série de informações que ajudam a orientar o empresário, como:

  • direitos e deveres dos franqueados;
  • investimentos necessários;
  • valores dos royalties;
  • balanços financeiros;
  • e histórico da franquia.

No COF, devem estar os contatos dos atuais fraqueados e as informações dos que terminaram a parceria nos últimos 12 meses.

Converse com outros franqueados

Para saber se o investimento realmente vale a pena, uma boa iniciativa