Empreendedora e mãe chega a renda de 50 mil reais com franquia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Você sabia que a região Sudeste do Brasil reúne a maioria das mulheres empreendedoras do Brasil? De acordo com estudo inédito divulgado da Serasa Experian esse ano, o Brasil possui mais de 5 milhões de mulheres empreendedoras, o que representa 8% da população feminina do país. Isso significa que 43% dos donos de negócios do país são do sexo feminino e 57% masculino. E a maior concentração de sócias brasileiras encontra-se na região Sudeste, com 52,06% do total, estando grande parte em Minas Gerais.

Esse é o caso de Camila Aparecida Da Silva Horta, 34 anos, que em julho do ano passado abriu uma unidade da Rede Leve Pizza, rede de franquias única no Brasil a oferecer pizzas pré-assadas, na cidade de Diamantina (MG). Formada em radiologia médica e sem experiência alguma no segmento de alimentação, em meados do ano passado, essa mulher, esposa e mãe de um menino de seis anos, finalmente concretizou o sonho do negócio próprio junto com o sócio e marido, Júnior César de Oliveira Horta, 48 anos.

“Sempre trabalhei com vendas em lojas, concessionárias, roupas, calçados, acessórios e peças íntimas. Até que um dia, conhecemos a Rede Leve Pizza logo e nos tornamos clientes assíduos da marca. Apostamos na ideia e resolvemos investir, por acreditar na qualidade e procedência do produto – pizzas feitas na hora da compra, com ingredientes frescos, preço acessível (em torno de R$20,00) e pronta pra assar em apenas 10 minutos na casa do cliente”.

Dia das Mães_Camila 2

No entanto, além da qualidade, a empresária colocou a praticidade da condução do negócio como fator decisivo nessa inciativa, priorizando a flexibilidade de horários para poder se dedicar a criação do filho também. “Optei pela Rede também para poder estar mais presente na vida do meu filho (João Pedro), para ter horários mais acessíveis e para acompanhar mais de perto a criação e o crescimento dele. Assim, a cada dia me torno uma pessoa melhor e mais realizada”, enfatiza.

E não é que deu tudo certo? “Hoje em dia, percebo que tenho mais inciativa e sou otimista diante ao mercado de trabalho. Tenho a autoconfiança suficiente para conseguir chegar ao fim do dia com a certeza de dever cumprido, não só como empresária, mas acima de tudo como mãe e esposa”, conta.

Dia a dia

Entretanto, para que tudo ocorra de forma produtiva, a rotina e Camila é regrada e minuciosamente planejada. “Geralmente, no dia anterior, já tenho que programar o dia seguinte, como toda mãe empreendedora deve fazer, acredito. Na parte da manhã me dedico ao meu filho e aos afazeres de casa. Após o almoço, eu o deixo na escola, onde ele permanece até às 17h15. Nesse intervalo, resolvo pendências da pizzaria, faço compras e atendo fornecedores. Vou para a pizzaria por volta das 16h00 para começar a organizar a abertura, que acontece uma hora depois. Permaneço então na recepção e administro os funcionários. Enquanto isso, o João Pedro permanece comigo na unidade, até encerrarmos as atividades às 22 horas e às 23h nos fins de semana. Só então, consigo voltar pra casa e descansar”, conta.

 

Com toda essa disciplina, os resultados já apareceram, com menos de um ano de franquia em funcionamento. Atualmente, a média de pizzas vendidas diariamente na unidade de Camila é de 43 pizzas. Assim, ela já conquistou um faturamento médio mensal de R$36.2 mil, sendo sua maior marca atingida de R$48.5 mil. No entanto, o sucesso do negócio se credita não somente a qualidade do produto e a boa administração, mas sim a algumas iniciativas diferentes também.

“Todo mês realizamos um evento no qual oferecemos pizzas por meio de um rodízio, em parceria com um espaço de festa destinado a crianças com vários brinquedos para que os pais possam aproveitar o momento, enquanto seus filhos se divertem aos cuidados de monitoras. Além disso, realizamos também aniversários, onde os pais compram as nossas pizzas e disponibilizamos todo apoio para assar as pizzas onde acontece a festa”, conta.

Para aquelas mulheres, mães, que acreditam não serem capazes de conciliar as reponsabilidades de uma vida profissional com a maternidade, Camila deixa um recado: “Seja empreendedora, mas não se esqueça que o negócio tem que ser rentável. Não adianta você trabalhar fazendo o que ama, se sua nova profissão não lhe trouxer o mínimo de retorno para você se manter. Por isso, antes de iniciar qualquer negócio, faça um bom planejamento, e isso inclui prever e administrar com precisão o tempo e a dedicação ao filho, em meio ao negócio. Pense grande e tenha paciência!”.

Comentários