O que você deve fazer antes de fechar um contrato de franquia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

O setor nacional de franquias tem atraído a atenção de muitos empreendedores pelo Brasil. O setor cresceu 9,4% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado, movimentando 36,9 bilhões de reais. No primeiro trimestre do ano passado, o faturamento foi de 33,7 bilhões de reais, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Ainda de acordo com a associação, a maior parte das unidades de franquias está localizada na rua (65,9%), seguida de shoppings (23%), home office (5,3%) e supermercados (3,6%). As lojas, tanto próprias quanto franqueadas, são o principal canal de vendas (75,1%). O segundo canal mais usado pelas redes é o e-commerce, com 1,7%.

O número de unidades de franquias em operação no Brasil também subiu (3,1%), passando de 138.343 pontos de venda para 142.593. Segundo a ABF, as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro concentram o maior número de unidades no país, com 13% e 6,6% do total, respectivamente. Houve redução em relação a 2015, quando os números eram 15,5% e 6,9%. A única cidade que não é capital incluída no ranking dos dez municípios com maior número de unidades é Campinas (SP), com participação de 1,6%.

Trata-se de um cenário bem convidativo para novos empreendedores. A possibilidade de abrir um negócio que já possua um know how, um sistema de compras e vendas e uma potencial clientela é bem atrativo. No entanto, quem deseja investir em uma franquia deve tomar uma série de cuidados antes de assinar um contrato com a franqueadora. Desde uma análise sobre si mesmo até uma pesquisa de mercado e produtos são ações a serem tomadas antes de se tornar um franqueado.

Segundo Henrique Mol, diretor executivo das franquias Encontre sua Viagem, Fórmula Pizzaria e Bidon Corretora de seguros, o candidato deve observar uma série de itens antes de fechar um contrato de franquia. “Primeira questão é entender sobre o negócio da franqueadora, buscando todos os materiais disponíveis, seja a Circular de Oferta da Franquia ou apresentações. É interessante que ele conheça a operação da franquia, fale com outros franqueados da rede para ter maior clareza nas informações e para identificar se é aquele modelo que ele realmente busca”, finaliza Mol.

No intuito de propiciar uma maior clareza antes de assinar um contrato de franquia, listamos alguns cuidados que o empreendedor deve ter nesta hora.

contrato

Observe se tem perfil para entrar no negócio

Uma autorreflexão do empreendedor é fundamental antes de fechar um contrato de franquia. Aqui, é preciso ver se você possui o perfil necessário para administrar aquela franquia, se vai se sentir confortável trabalhando todos os dias no segmento em questão, com aquele público e nas condições impostas pela franqueadora.

Conhecer-se é fundamental para que o empreendedor possa escolher bem em qual ramo atuar. De modo geral, o franqueado deve ser capaz de seguir os comandos da franquia, administrar o negócio da forma que lhe é passada, nas condições impostas pela rede. Se não for capaz de seguir esta linha, talvez o franchising não seja uma boa opção para você.

Além de seguir a cartilha da franquia, o empreendedor deve se sentir bem trabalhando naquele segmento. O investidor não pode apenas observar qual o segmento está mais em alta, sendo que não possui o mínimo de conhecimento para atuar naquela área ou, então, não se identifica com aquele negócio. Pense em como será difícil trabalhar todos os dias, normalmente até nos finais de semana, em um segmento de negócio com o qual não se familiariza ou possui empatia.

Entender o negócio da franqueadora

Antes de se tornar um franqueado, o empreendedor deve buscar o máximo de informações sobre a franquia. A Circular de Oferta da Franquia(COF), documento desenvolvido pelo franqueador, apresenta as condições gerais do negócio e outras informações exigidas pela Lei das Franquias. Ter acesso ao documento é fundamental, mas ele nem sempre é capaz de tirar todas as dúvidas sobre o negócio.

O investidor precisa estar atento aos detalhes, saber de forma clara quais são os seus direitos e seus deveres frente a franqueadora, histórico da franquia, balanços financeiros, valores de investimentos e royalties, entre outras informações. Para tanto, o empreendedor deve buscar informações em todos os canais disponíveis, o que inclui idas a feiras do setor para observar os stands da franquia.

Entender o negócio da franquia passa também por observar se este negócio se encaixa no seu perfil, se atende aos seus anseios de crescimento e que seja um setor que o investidor tenha um certo conhecimento prévio, ou então, que busque conhecer antes de se tornar um franqueado.

Converse com outros franqueados

Na própria COF, há dados de franqueados da rede para que o empreendedor possa entrar em contato para conhecer melhor o dia a dia do negócio. Procure conversar com o maior número possível de franqueados  para saber como a franquia tem dado suporte ao novo negócio, se a rentabilidade está em sintonia com a prometida pela franqueadora, entre outras informações que podem tornar a entrada do empreendedor mais segura.

Se possível, tente entrar em contato também com ex-franqueados. Assim, você consegue entender os motivos que os fizeram desistir do negócio. Reunir essas informações pode ser muito útil antes de fechar negócio.

Visite as franquias que estão ao seu alcance. Passe o dia inteiro lá, se possível, observando o atendimento, os problemas, os clientes. Sinta o empreendimento na pele. Enfim, quanto mais troca de ideias conseguir fazer, mais seguro você se sente para fechar o negócio com a franquia.

Conheça bem as obrigações do contrato

O contrato de franquia está escrito sob a perspectiva da franqueadora. Mas isso não é tão negativo quanto parece. Um dos principais objetivos do contrato de franquia é proteger o sistema operacional como um todo. Isso inclui a marca, a integridade do sistema e os negócios dos franqueados atuais.

O franqueado terá que seguir uma série de regras impostas pela franquia para poder abrir o negócio. É preciso conhecer bem suas obrigações descritas no contrato, como região de atuação, os prazos para implementação da franquia e do negócio como um todo. Questões sobre os produtos, estoques, qualidade, se há liberdade de compra de insumos ou não, regras para término do contrato também devem constar de forma bem explícita no documento.

Você pode tirar dúvidas sobre essas regras com outros franqueados. E, se mesmo depois de conversar com a franqueadora e outros franqueados, você se sentir desconfortável com as disposições contratuais obrigatórias, procure uma outra franquia.

Conheça os valores dos investimentos e das taxas

O investimento inicial de uma franquia é um número estimado, mas há outros gastos que envolvem a abertura de uma unidade. Especialistas afirmam que o empresário precisa se atentar ao capital necessário durante a pré-operação, uma vez que há gastos da montagem da loja e custos antes da abertura da franquia.

Além da taxa de franquia, é preciso observar as taxas que terão que ser pagas ao longo do contrato, como investimento em capital de giro, taxas de manutenção, seguros obrigatórios, cotas para o marketing e treinamento.

Saiba como é dado o suporte ao franqueado pela franqueadora

O empreendedor precisa saber detalhadamente qual o suporte que lhe será dado pela franqueadora ao longo do negócio. É papel do franqueador transmitir seu conhecimento aos franqueados e fornecer ferramentas para que a franquia alcance o sucesso. Desde a escolha do ponto até treinamentos periódicos, cada franqueador oferece um tipo de suporte aos seus franqueados para garantir que todos sigam seu modelo de negócio e mantenham o bom desempenho da rede.

Se o franqueado se sentir desamparado pela rede, principalmente em momentos difíceis, poderá ser uma péssima propaganda para a franquia na busca por novos investidores. Por outro lado, o empreendedor precisa saber bem o que esperar de apoio, para que não crie expectativas exageradas. Um bom atendimento pela franqueadora deve ir além de um simples telefonema ou uma mensagem por e-mail. É preciso  estar sempre atuante para que todos os franqueados se sintam seguros e amparados.

Saiba as regras para o termino contratual

É claro que o empreendedor entra nesta jornada junto à franquia pensando que este “casamento” será o mais longo possível. Mas, na prática, nem sempre é isso que acontece. Por diversas razões, o franqueado pode querer sair da rede ou, então, a franquia não se sinta bem representada pelo franqueado e queira rescindir o contrato.

Para que esta separação não pegue o empreendedor de surpresa, ele precisa conhecer bem as regras pertinentes ao término do contrato: quais as taxas a serem pagas, quais os motivos podem levar a franqueadora a terminar o contrato, entre outras possibilidades.

Franqueadores experientes possuem contratos que restringem a venda de sua unidade para qualquer pessoa. O contrato possui cláusulas, nas quais o próprio franqueador tem a preferência de recompra. Ele também pode buscar e escolher um novo operador que preencha o perfil desejado para o negócio.

Portanto, o melhor é prestar atenção nas cláusulas associadas ao término contratual. É importante conhecer todas as regras de saída, antes mesmo de entrar no negócio.

Consulte um especialista

Principalmente para empreendedores menos experientes, contar com a ajuda de um especialista, principalmente de um advogado, é importante para se sentir seguro na hora de assinar o contrato. Isso evita dores de cabeças futuras. Mesmo que o COF e o contrato sejam bem explicados, alguns itens podem gerar dúvidas no investidor. Por isso, a ajuda de um advogado durante a assinatura do contrato deve ser levada em consideração.

No fim das contas, quanto mais seguro o empreendedor se sentir, e com menos dúvidas, mais chances de ele aproveitar o novo negócio e a parceria com a franqueadora.

Comentários