Franquias de pizzaria: tudo que você precisa saber

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Não existe tempo ruim para pedir e comer uma pizza. Pelo menos, boa parte dos brasileiros concorda com essa afirmação. De acordo com estimativa da APUESP (Associação Pizzarias Unidas do Estado de São Paulo), são consumidas cerca de um milhão de pizzas diariamente no país. Impressionante, não?

Aliás, o setor de alimentação no geral está a todo vapor. Uma explicação para isso está nos novos hábitos dos consumidores: com tantos afazeres no dia a dia, como trabalho, faculdade e outros compromissos, mal sobra tempo para as pessoas preparem a própria comida.

Nesse sentido, não é de se estranhar que 34% dos brasileiros gastem 25% de sua renda com alimentação fora de casa ou comprando a refeição pronta para comer em suas residências, segundo levantamento do IBGE.

A busca por refeições rápidas e baratas aquece o setor de franquias de alimentação, que viu seu faturamento subir de 9,415 bilhões de reais, no primeiro trimestre de 2016, para 9,935 bilhões de reais entre os meses de janeiro e março deste ano. Os dados são da Pesquisa Trimestral de Desempenho do setor realizada pela ABF (Associação Brasileira de Franchising). Isso representa um avanço de 6% nos períodos comparados. Para completar, o segmento de alimentação é o que mais fatura no franchising brasileiro.

Dentro dessa categoria, o ramo das pizzarias é um dos que mais se destaca e, consequentemente, chama a atenção de investidores. Para se ter uma ideia, o segmento fatura 22 bilhões de reais por ano. Não há do que reclamar, né?

Outro ponto positivo das pizzarias é que é muito difícil encontrar pessoas que resistam a uma pizza quentinha. Afinal de contas, há uma infinidade de sabores para agradar a todos os gostos e paladares.
Ficou interessado em abrir uma pizzaria? Então, continue acompanhando esse texto para tirar todas as suas dúvidas sobre o setor.

O que é preciso saber para administrar uma pizzaria?

Para administrar uma pizzaria, não há necessidade de colocar, literalmente, a mão na massa e preparar as pizzas. Por outro lado, elaborar um plano de negócios, ter controle sobre as finanças da empresa e planejar todas as ações são tarefas indispensáveis para ter sucesso no setor.

Primeiramente, isso inclui definir qual opção de pizzaria abrir: à la carte, delivery, rodízio, fast food e por aí vai. Dependendo da escolha, um desafio diferente.

Por exemplo, uma pizzaria que trabalha com sistema delivery deve ficar atenta à logística, ou seja, definir um limite geográfico para realizar as entregas. Atender somente a bairros próximos é sinônimo de pizza quentinha na mesa do cliente. Por sua vez, administrar uma pizzaria rodízio tem outro desafio: estabelecer o preço fixo da refeição de modo que seja atrativo ao cliente e não deixe o caixa da empresa no vermelho. Enfim, definir o modelo da pizzaria logo de cara é fundamental para se preparar para esses desafios.

Outro ponto relevante e decisivo para o sucesso (ou fracasso) de uma pizzaria está na escolha do ponto comercial, sobretudo para aquelas que atendem os clientes no local. O ideal é que o estabelecimento seja de fácil acesso aos clientes, ou seja, que tenha vagas próximas para estacionar o carro. Se for necessário, investir em um serviço de valet pode fazer uma grande diferença.

Diferente das pizzarias tradicionais, uma pizzaria de fast food deve ficar aberta na hora do almoço para atender pessoas que têm pouco tempo para fazer sua refeição. Portanto, é recomendável que esse formato de pizzaria fique próximo a regiões comerciais.

Uma peculiaridade que o investidor de uma pizzaria deve estar atento é quanto à preferência dos consumidores, que varia bastante de região para região do país. Uma pesquisa realizada pela APUESP, junto com a ANR (Associação Nacional de Restaurantes), aponta que a pizza de mussarela é o sabor mais pedido na cidade de São Paulo, seguida por calabresa e portuguesa. Por sua vez, em Belo Horizonte, marguerita, frango com catupiry e calabresa são os sabores predominantes.

É muito importante o dono da pizzaria analisar essas preferências. A pesquisa da APUESP e da ANR até ajuda nesse sentido, mas o ideal é levantar o histórico de pedidos feitos na própria pizzaria nos últimos meses. Assim, fica mais fácil administrar o estoque, de modo que os produtos e ingredientes que têm mais saída nunca faltem.

Vale a pena investir em uma franquia de pizzaria?

Segundo dados da APUESP, existem 36 mil pizzarias formais em funcionamento no Brasil atualmente. Com tantas pizzarias espalhadas pelo país, a concorrência é extremamente acirrada.

Na prática, isso significa que investir nesse ramo não dá a garantia de bons resultados, ainda mais se você nunca teve experiência na gestão de um restaurante. Aqui, as franquias de pizzaria surgem como uma excelente alternativa para os empreendedores de primeira viagem que pretendem investir no segmento.

De acordo com levantamento da consultoria Neoway, o índice de mortalidade de pontos de franquia é de apenas 4,3% nos primeiros cinco anos, contra 85% das pequenas empresas independentes.

Algumas explicações justificam essa grande diferença. A primeira é que o franqueado começa o trabalho com uma marca já consolidada no mercado, ou seja, ele não precisa se esforçar para conquistar clientes. Por fim, o franqueador dá o suporte necessário ao longo de todo o processo, desde a instalação do ponto comercial até a operação do dia a dia.

Em resumo, contar com o know how de quem conhece o mercado pode fazer toda a diferença. Nesse sentido, vale muito mais a pena investir em uma franquia de pizzaria do que abrir uma própria.

Mas, antes de investir em qualquer franquia de pizzaria, procure conhecer a reputação da marca em relação aos consumidores e, principalmente, buscar referências de outros franqueados. Um feedback positivo nessa pesquisa dá mais segurança para que o investidor siga em frente com essa franquia.

No dia a adia, por mais que a marca dê suporte completo na gestão, é o franqueado que tem total responsabilidade sobre a unidade. Em outras palavras, ele deve arregaçar as mangas e trabalhar bastante para manter as contas em dia e os funcionários motivados.

Franquia Fórmula Pizzaria é opção de baixo investimento e alta rentabilidade

fórmula pizzaria

Você se assustou com o investimento para abrir uma franquia de pizzaria? Então, você ainda não conhece a Fórmula Pizzaria. Para abrir uma franquia da marca, o investimento parte de 145 mil reais.

Criada em 2014, a rede iniciou sua expansão por franquias dois anos depois e já conta com 12 unidades franqueadas. Em 2016, a Fórmula faturou mais de 1,7 milhão de reais. A expectativa é que a marca feche o ano com 30 unidades ativas e um faturamento de 5 milhões de reais.

Além da qualidade dos produtos, a Fórmula prioriza a agilidade nas entregas em domicílio. Isso porque o atendimento delivery representa uma média de 75% de todos os pedidos recebidos pelas unidades da marca. O cliente consegue fazer os pedidos por telefone, site, balcão da unidade e aplicativos especializados, como Ifood e Pedidos Já.

Para diminuir os custos mensais dos franqueados, a rede centraliza toda a produção e distribuição de ingredientes e insumos, assim como o atendimento. Dessa forma, as unidades conseguem operar com a quantidade mínima de funcionários, em torno de três.

Como você viu acima, a concorrência no ramo de pizzaria é muito acirrada. Nesse sentido, diversificar o cardápio é uma estratégia para se destacar em relação aos concorrentes. Aqui, mais um ponto positivo para a Fórmula Pizzaria que oferece uma boa variedade de opções.

Ao todo, são 40 sabores de pizzas e calzones salgados e doces. As pizzas são servidas em três formatos: média (quatro pedaços), grande (seis pedaços) e gigante (oito pedaços). Desde sua implementação no mercado, os produtos da Fórmula têm recebido avaliações positivas dos consumidores.

A marca trabalha com dois modelos de investimentos para os franqueados. Para abrir uma unidade delivery, de 50 metros quadrados, são necessários 75 mil reais de capital de instalação, 30 mil reais para capital de giro, além de 40 mil reais de taxa de franquia. Isso totaliza um investimento de 145 mil reais.

Por sua vez, a unidade delivery com salão para consumo no local demanda um ponto comercial de 80 metros quadrados e tem um custo total de 165 mil reais divididos em: 95 mil reais de capital de instalação, 30 mil reais para capital de giro, além de 40 mil reais de taxa de franquia

É importante lembrar, também, que a marca cobra mil reais de royalties e 500 reais de taxa de publicidade, valores fixos mensais.

O investimento na franquia da Fórmula já inclui os gastos com instalações, equipamentos, despesas administrativas, móveis e utensílios. Isso sem falar do respaldo que a marca dá em diversas frentes: análise de viabilidade do negócios, projeto visual, assessoria antes, durante e depois da inauguração, treinamento in loco de 10 dias, marketing, apoio jurídico, equipe de suporte, exclusividade de mercado, central única de atendimento e cozinha central. Enfim, é um investimento que compensa.

Como o faturamento médio mensal é de 70 mil reais, com uma taxa de lucro líquido de 17%, o investimento é muito atraente para quem não vê a hora de ter o dinheiro investido recuperado novamente. O prazo de retorno do capital investido varia entre 24 e 36 meses.

Leia também:

Fale com a Franquia

Nome

Email

Telefone

Mensagem

Comentários