Mercado de food service: quais os riscos, desafios e oportunidades?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Sabe aquele dia em que você está com preguiça e resolve almoçar ou jantar fora? Milhões de pessoas fazem isso todos os dias — e é por isso que o mercado de food service é uma boa oportunidade de investimento.

Esse é um dos melhores setores para quem quer abrir uma franquia e começar a lucrar rapidamente. Afinal, a alimentação é um dos segmentos que mais cresce e essa tendência é percebida inclusive na crise.

É por isso que, neste artigo, vamos apresentar o mercado de alimentação fora de casa. Indicaremos os dados relativos a esse setor, suas oportunidades, riscos e desafios. Assim, você terá mais segurança ao iniciar nesse segmento de franchising e alcançará melhores resultados.

É o que você quer? Então, continue lendo!

Por que o mercado de food service não para de crescer?

A rotina agitada, falta de tempo e a vida cada vez mais corrida são fatores que ajudam no sucesso do mercado de alimentação. Um levantamento do Instituto Foodservice Brasil (IFB), divulgado pelo Brasil Econômico, indicou que o setor cresceu 3% em 2016 e faturou R$ 184 bilhões.

No entanto, os dados são ainda melhores quando apenas as franquias de alimentação são consideradas. O estudo sobre o desempenho de 2016 da Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontou que a receita desse segmento cresceu 8,8% em relação a 2015.

Entre os fatores que ajudaram nesse resultado estão promoções e diversificação dos canais de venda, que puderam oferecer novas experiências de compra ao consumidor e diminuíram os problemas.

O resultado de 2016 também foi positivo para a internacionalização do franchising de alimentação. De acordo com a ABF, foi o segundo segmento que mais esteve presente em outros países, tendo atingido 15,9%.

Outro relatório da ABF, que especificou o desempenho do mercado alimentício no segundo trimestre de 2017, apontou que o faturamento do setor para esse período foi de R$ 9,988 bilhões, uma alta de 5,4% em relação aos mesmos meses do ano imediatamente anterior. O total de unidades também variou positivamente, crescendo 2,4%.

Em relação ao primeiro semestre de 2017, o resultado foi parecido. O faturamento foi de R$ 19,795 bilhões, o que representa uma alta de 5%, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Em relação ao número de unidades, o aumento foi de 2%.

No entanto, o que você deve estar se perguntando é: “Por que esses resultados são tão positivos, mesmo em período de crise?”. Existem alguns fatores que justificam os dados. Entre eles, estão o aumento da renda familiar, do total de solteiros, do tempo de deslocamento e a expansão de shopping centers.

Imunidade à crise

O fraco desempenho econômico, que afetou o poder de compra dos brasileiros, foi sentido com mais leveza pelo mercado de alimentação, especialmente o food service de franquias. Isso acontece porque os alimentos são uma necessidade básica, o que faz com que esse segmento esteja sempre aquecido.

Essa característica também faz com que esse setor seja um dos últimos a sentir os efeitos da crise. Por isso, quando você vende um produto de qualidade, tem um bom atendimento e segue os princípios da gestão, fica mais fácil ter um resultado positivo.

Demanda alta por parte dos consumidores

O Brasil tem um grande número de pessoas que gosta de comer fora de casa. Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em 2016, o ticket médio foi de R$ 13,40 e houve a visita de mais de 14 bilhões de pessoas nos estabelecimentos.

Isso acontece porque a vida moderna é muito corrida e o tempo é um bem precioso. Quem trabalha fora de casa ainda pode ter seu horário de almoço reduzido devido à reforma trabalhista, que indica que o colaborador pode ter um intervalo de apenas 30 minutos.

Apesar do dado apresentado e dessa situação no trabalho, o Brasil tem apenas 27% de compradores para o segmento alimentício, porque as classes C e D ainda têm renda insuficiente para ter o hábito de comer fora de casa. Isso significa que ainda há um potencial muito grande de crescimento.

Variedade de culinárias e modelos

O segmento alimentício oferece muita variedade aos empreendedores, mesmo no franchising. Há comidas árabes, regionais, indianas, tailandesas, mexicanas e por aí vai. Você também pode abrir um quiosque, um restaurante, uma empresa de delivery etc. Ou seja, é possível ter um negócio, independentemente do que gosta e do dinheiro que possui para investir.

Possibilidade de inovação

O mercado alimentício oferece um ambiente propício para as novidades. Elas podem se referir aos tipos e opções de pratos, mas também serem referentes a modelos, atendimento e tecnologia. Nos últimos anos, um exemplo de inovação foram os food trucks, que trouxeram uma modalidade diferente e que deu certo.

Além deles, a alimentação saudável é outra boa oportunidade de negócio, que atrai diversos consumidores, entre eles: vegetarianos, intolerantes à lactose e ao glúten, pessoas que preferem alimentos orgânicos etc.

Crescimento dos centros comerciais

Os shoppings estão expandindo para diversas cidades, inclusive para o interior. Isso traz mais oportunidades para quem deseja abrir uma franquia no ramo alimentício. Afinal, além das pessoas que vão a esses locais para comer, as praças de alimentação também atraem os clientes que vão ao cinema e às lojas.

O turismo em cidades menores também impacta essa questão, já que há maior fluxo de pessoas em rodoviárias, estações de metrô e aeroportos. Assim, é possível instalar a sua unidade franqueada nesses ambientes para atender as pessoas que estão em trânsito.

Alimentação variada e de qualidade

O food service é um mercado que traz conveniência e economia de tempo, além de aliar qualidade e variedade dos produtos. Existem franquias que apostam exclusivamente na alimentação saudável, outras atuam com o fast food. O importante é que geralmente você encontra alternativas interessantes.

Essa é uma maneira, então, de atender a uma clientela que tem horário de almoço apertado e deseja ter uma refeição variada e balanceada.

Vantagens das franquias

O setor de franchising é mais vantajoso porque conta com marcas já conhecidas e consolidadas no mercado, o que traz mais segurança ao empreendedor. Ele consegue reduzir as etapas de criação do seu negócio — a franqueadora já fornece diversos documentos e suporte — e, assim, pode começar sua unidade com boa perspectiva de sucesso.

Entre os pontos positivos das franquias estão:

  • a empresa tem um nome conhecido e prestigiado perante clientes e fornecedores;
  • o franqueador tem uma ampla experiência e repassa seu conhecimento ao franqueado;
  • o empreendedor recebe assessoria total da marca, que ajuda desde a escolha do ponto de venda até táticas de marketing, gestão, planejamento, entre outros aspectos;
  • o franqueado tem vários profissionais à sua disposição, como decoradores, arquitetos e fornecedores de equipamentos, que vão garantir o sucesso no início da unidade;
  • a obra é acompanhada pela equipe do franqueador, que impede a execução de erros no projeto;
  • o empreendedor também pode ter o suporte do franqueador para fazer o recrutamento e a seleção de colaboradores;
  • as avaliações periódicas e a assessoria ao franqueado são constantes e duram todo o contrato.

Oportunidades no mercado de food service

O setor alimentício é um dos que apresenta maior crescimento, mas ainda assim há empreendedores que pensam em restaurantes e deixam de olhar as oportunidades que o mercado oferece.

Esse segmento é bastante completo e abrange, entre outros modelos de negócio:

  • lojas de conveniência de postos de combustível;
  • escolas;
  • serviços de refeição para empresas;
  • catering;
  • padarias;
  • rotisserias.

Quando você abre uma franquia, sua unidade terá o formato especificado pela franqueadora. Mesmo assim, as marcas oferecem diversos modelos, como quiosques, lojas, restaurantes, bares, botequins e por aí vai.

As vantagens do franchising para o mercado alimentício são diversas:

  • o empreendedor se vincula a uma marca consolidada, cujos produtos já foram testados e são aceitos pelo mercado;
  • a unidade aproveita o trabalho de marketing feito pelo franqueador e tem a possibilidade de mais visibilidade;
  • o investimento inicial tende a ser mais baixo, porque a marca oferece auxílio em alguns pontos;
  • o franqueado tem acesso ao know-how, que se torna acessível e é formatado de maneira simples e fácil de compreender;
  • a marca oferece suporte ao empreendedor, inclusive treinamentos para que os serviços sejam prestados com excelência.

Dentro desse segmento, ainda há diferentes oportunidades, que são divididas em subsegmentos, por exemplo:

  • sucos, cafés e chás;
  • milk shake, sorvetes e gelados;
  • grelhados, churrascarias e espetos;
  • salgados e árabes;
  • peixes e frutos do mar;
  • sanduíches gourmet (ou artesanais).

A sua escolha deve ser feita de acordo com diferentes fatores, especialmente a demanda do público-alvo. Alguns exemplos de consumidores são:

  • pessoas que tem um pequeno intervalo para o almoço e buscam rapidez e qualidade no atendimento;
  • famílias com filhos, que almoçam fora de casa para encontrar pratos que agradem as crianças;
  • idosos, que entendem a alimentação fora de casa como uma oportunidade de socialização;
  • pessoas que procuram comodidade e gostam de receber os pratos em casa por meio de serviços de delivery;
  • indivíduos com restrições na dieta (como intolerantes à lactose ou ao glúten, alérgicos e diabéticos), que precisam de variedade sem ultrapassar os limites de suas necessidades;
  • vegetarianos e veganos, que substituem os produtos de origem animal e buscam opções saborosas;
  • apreciadores de produtos artesanais;
  • pessoas com consciência ecológica, que optam por alimentos orgânicos e frescos, que estão aliados à sustentabilidade e evitam desperdícios;
  • admiradores da alta gastronomia, que procuram produtos gourmet.

Veja, a seguir, as principais tendências do food service:

Alimentação saudável

Esse tipo de negócio abrange diferentes públicos entre esses que foram citados. Um dos motivos que impulsiona esse segmento é o aumento da obesidade, que, no Brasil, já afeta 1 em cada 5 pessoas, segundo o Portal Brasil.

Os restaurantes e estabelecimentos de alimentação saudável estão em expansão e vêm ganhando cada vez mais adeptos. Abrangem restaurantes que trabalham com alimentos orgânicos, sem lactose e/ou glúten. Por isso, o público-alvo atraído é muito grande.

Delivery

Essa é outra tendência, que é impulsionada pelos aplicativos de pedidos em restaurantes. Com a falta de tempo dos consumidores, os alimentos de restaurantes são bastante solicitados, especialmente porque o cliente almoça ou janta no conforto de sua casa.

Enquadram-se nesse quesito os pedidos via internet, que estão em ascensão. Uma pesquisa feita pela plataforma de delivery iFood com o Ibope — e divulgada pelo Estadão — confirma isso.

Segundo o levantamento, 56% dos usuários desse tipo de serviço fazem pedidos semanalmente. Desse total, 14% pedem mais de duas vezes por semana, 18% solicitam duas vezes e 24% fazem um pedido semanal.

Hamburguerias gourmet

Os últimos meses apresentaram um grande número de hamburguerias abertas, uma tendência bem forte e que vale a pena ficar de olho. O foco são os alimentos gourmet, que não são fast food. O cuidado que se deve ter é que as tendências nem sempre se sustentam no longo prazo.

Modelo store in store

Essa é uma estratégia multimarca que ajuda a ultrapassar a barreira dos custos relativos aos estabelecimentos. A proposta é ter um ambiente dentro de outra loja, o que ajuda a atrair consumidores para as duas marcas. O cuidado que se deve ter é que a franquia precisa autorizar esse modelo de negócio. No entanto, ele tende a trazer menos risco e mais lucratividade.

Os riscos e desafios do mercado alimentício

Os dados positivos desse segmento exigem alguns cuidados, porque há riscos. Afinal, nem tudo são rosas. Existem dificuldades que fazem parte desse setor — e cabe a você conhecê-las e saber como ultrapassá-las.

Veja, a seguir, os problemas aos quais está exposto e o que pode fazer para não cair nas mesmas situações.

Informalidade

Essa não é uma possibilidade para quem atua com o franchising, mas uma realidade para o mercado que também o afeta — pelo menos em alguns momentos. O setor alimentício é muito heterogêneo, o que faz com que a informalidade seja muito alta.

Isso acontece porque muitos empreendedores buscam se formalizar, mas a burocracia é tão grande que muitos desistem. É preciso que o empresário tenha alvará de funcionamento, localização, sanitário, de bombeiros, entre outros. Esse processo pode levar meses e interferir na abertura da sua franquia.

Para evitar essa dificuldade, o ideal é contar com a ajuda de um contador e/ou advogado. Esses profissionais saberão o que fazer para agilizar o processo na Prefeitura e os documentos que precisam ser entregues para a formalização.

Carga tributária

O Brasil é um dos países com maior carga tributária e representa 32,66% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, de acordo com dados da Receita Federal divulgados pelo jornal Zero Hora. Para as empresas do setor de alimentação, esse pode ser um grande empecilho, já que pode impactar a sobrevivência do negócio.

É importante citar que essa questão independe da franqueadora. Cada unidade é responsável pelo pagamento dos seus impostos e precisa saber lidar com isso. Porém, há tributos incidentes, por exemplo, no pão, no hambúrguer e no sanduíche completo, porque eles recaem sobre diferentes etapas do processo.

Nesse caso, a melhor alternativa é enquadrar a empresa no regime tributário mais adequado. Observe que nem sempre o Simples Nacional é a melhor opção. Por isso, vale a pena conversar com um contador para definir qual possibilidade é a mais interessante.

Turnover

Esse termo designa a rotatividade de colaboradores, que pode afetar o atendimento e a qualidade dos produtos vendidos. Para o franqueado, o ideal é apostar nos treinamentos fornecidos pela marca, que repassam o conhecimento necessário para que o novo funcionário exerça sua função da maneira esperada.

Economia

A crise econômica impacta menos o mercado alimentício que outros setores. No entanto, há influência. As pessoas reduzem gastos e tendem a se alimentar mais em casa, que se torna mais barato.

Nesse caso, diversas estratégias podem ser usadas para amenizar o problema. Optar pelo segmento de franchising já é uma delas, já que o fato dos consumidores conhecerem a marca, os produtos e os serviços é um ponto muito positivo e que reduz consideravelmente a possibilidade de falência.

Uma alternativa é renegociar o preço com os fornecedores, a fim de tentar reduzir o valor pago para a compra de insumos. Essa não é uma possibilidade para franqueados, mas a vantagem, nesse caso, é que há compra de mais itens, o que permite baixar o custo unitário.

Como escolher a sua franquia no mercado de food service

Os critérios para isso dependem de diferentes fatores. O primeiro é o seu gosto pessoal. Afinal, o empreendedorismo exige que você ame o que faz — sem clichês — para alcançar o sucesso mais rapidamente.

Fora isso, existem outros elementos que devem ser considerados. Confira as dicas que preparamos e são específicas para o mercado alimentício:

Analise a aceitação da atividade

A seleção da marca com a qual você fará parceria é uma ação que exige cuidados. Muitos empreendedores optam por escolher a franquia conforme seu valor, mas nem sempre essa é a melhor estratégia.

Pode ser que o público-alvo que se deseja atingir não tenha uma grande expectativa pelo produto oferecido e essa situação pode fazê-lo ter prejuízo. Por isso, o primeiro passo necessário é analisar o ambiente e identificar os hábitos alimentares da região onde o negócio será aberto.

Por exemplo: cidades mais quentes tendem a oferecer um cenário melhor para sorveterias do que para cafeterias. Apesar disso, as questões culturais podem alterar esse contexto.

Outro fator relevante é a situação econômica da cidade e dos potenciais clientes. Se os consumidores têm uma faixa de renda menor, os produtos caros não serão bem aceitos e é provável que suas vendas fiquem aquém do esperado.

Acompanhe as tendências

Esse item está diretamente relacionado aos hábitos de consumo, mas deve ser analisado separadamente. Por exemplo: perceba que boa parte dos consumidores busca uma alimentação mais saudável, seja por questões de saúde, seja devido à estética. Então, abrir um negócio que foque esse estilo de vida pode ser uma ideia interessante.

Outra opção são os produtos gourmet, que estão cada vez mais em evidência. Analise o mercado da sua cidade e de fora. Você pode perceber, por exemplo, que no seu município há hambúrgueres nesse estilo, mas ainda não tem brigadeiros. Então, essa é a chance de você abrir sua franquia.

Analise a franqueadora com atenção

As diferentes marcas existentes nesse segmento têm várias diferenças entre si. A regra geral é que as mais caras oferecem menos riscos e têm mais chances de estarem presentes na sua cidade. Já as baratas são mais arriscadas. O que fazer?

Em qualquer um dos casos, a dica é pesquisar as opções pelas quais se interessou. Avalie a imagem que o público tem sobre a empresa, o preço da matéria-prima e sua metodologia de produção.

Pense sobre o modelo de negócio seguido e confira outros aspectos que podem interferir na sua relação com o franqueador. Tenha em mente que as vantagens oferecidas podem ser ótimas, mas os problemas técnicos geralmente trazem prejuízos ao bom funcionamento da sua unidade.

O recomendado é escolher uma franquia de alta qualidade, que forneça o suporte necessário, inclusive consultorias, treinamento de equipe, know-how etc.

Como você pôde perceber ao longo deste post, o investimento no mercado alimentício é um bom negócio, especialmente se seu desejo é apostar no franchising. As chances de sucesso são grandes, tanto pelo modelo de negócio quanto pela ideia à qual firma parceria.

Pense em todas as oportunidades e analise o que é melhor para o seu contexto. Mesmo assim, é preciso ter cuidado para evitar os riscos e dificuldades que aparecem pelo caminho.

Nesse momento, você pode contar com contadores e advogados, além da própria marca, que fornecem todo o suporte necessário. Assim, você abre sua unidade sem precisar se preocupar com burocracia e outros aspectos operacionais.

Lembre-se ainda de escolher a franquia certa para você. O principal é você se identificar com a marca. Porém, existem muitos outros critérios que devem ser pensados. Basta seguir as dicas que repassamos e você terá mais tranquilidade nesse processo.

E você, já está pronto para atuar no mercado de food service? Aproveite para fortalecer sua ideia vendo outras sugestões a partir da assinatura da nossa newsletter!

 

franquias de pizzarias

Fale com a Franquia

Nome

Email

Telefone

Mensagem

Comentários