fbpx

Se tem algo que não se pode discutir quando se fala em empreendedorismo é que essa é uma atividade desafiadora. Mesmo esse sendo o sonho de muitas pessoas, os riscos e as preocupações com o sucesso podem fazer com que qualquer potencial empreendedor perca o sono. No entanto, por ter crescimento constante, o mercado de franquias é uma boa pedida para quem tem esse perfil e atrai cada vez mais investidores.

O sucesso do modelo foi tanto no país que, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Brasil tem, hoje, mais de 140 mil unidades de franquias e quase três mil marcas atuantes. Por isso, o mercado de franquias brasileiro está entre os dez maiores do mundo.

E as diversas marcas existentes no mercado nacional de franquias se dividem em segmentos como alimentação, casa e construção, serviços, educação, turismo, comunicação e informática, beleza, moda, saúde, entretenimento, entre outros.

investir em franquias nacionais

Há, também, opções com diferentes modelos de negócio e valores de investimento, indo desde franquias home office, quando você trabalha em casa, que partem de um investimento mais baixo, até grandes lojas que podem exigir um capital acima de 500 mil reais.

E as marcas caracterizam-se tanto por redes antigas e bastante conhecidas como aquelas marcas que acabaram de estrear nesse setor e começam agora a construção de sua rede.

O fato de o mercado não parar de crescer, aliás, tem ligação com o desempenho do setor, que é animador. De acordo com dados da ABF, o mercado de franquias nacional faturou mais de 151 bilhões de reais em 2016 – um crescimento de 8,3% em comparação com o ano interior. E o setor fechou 2017 com crescimento de 8%.

Mas, ao pensar em investir em franchising, uma dúvida sempre vem à cabeça: é melhor uma franquia nacional ou uma marca globalizada? A seguir, você encontra respostas para essa questão que provam que o produto nacional pode ser muito mais promissor.

Crescimento das franquias nacionais

Antigamente, as franquias ficavam concentradas apenas nas capitais e nas grandes cidades, o que fazia com que muitos buscassem as marcas globalizadas por ser mais fácil ter credibilidade por conta do nome já bastante forte. Mas esse tempo ficou para trás.

Como hoje em dia as cidades pequenas também têm vez, a difusão das marcas está maior e mais facilitada, o que faz com que franquias nacionais sejam tão conhecidas como as internacionais.

Para que tenha ideia, de acordo com dados da ABF, o franchising já atinge 42% dos municípios brasileiros – mais de 2,3 mil cidades do país contam com unidades de franquias.

Quer mais? Pois, atualmente, 20 das 30 cidades com maior número de unidades de franquias no Brasil são capitais, ainda segundo levantamento da ABF. Apesar disso, a interiorização do franchising é um movimento crescente e que deve ganhar ainda mais espaço nos próximos anos.

Franquias brasileiras também estão no exterior

Uma prova concreta de que o produto nacional é sim uma boa pedida é o fato de muitas marcas brasileiras estarem presentes também em outros países. Isso acontece pelo bom desempenho de franquias no Brasil, fazendo com que várias marcas nacionais cruzem as fronteiras do país e comecem a expandir também em outros lugares do mundo.

Segundo dados recentes da ABF, hoje existem 134 redes brasileiras no exterior, enquanto em 2010, esse número era de apenas 65. As franquias nacionais chegam a 60 países diferentes, dentre os que tem maior número de unidades de franquias brasileiras são Estados Unidos, Paraguai, Portugal, Bolívia e Colômbia. A lista é seguida por outros países da América Latina e por Angola, no continente africano.

Se o produto nacional não tivesse tanta qualidade quanto o globalizado, certamente não estaria fazendo o sucesso que vem apontando nos outros países, certo? E, para que saiba, a maior parte dessas franquias internacionalizadas é do segmento de moda, com 27,5%. As franquias nacionais de alimentação, educação, saúde, beleza e bem estar também se destacam nesse movimento e conquistam espaço no exterior.

No entanto, se a sua ideia é investir em uma franquia brasileira no exterior, fique ligado: é indispensável que a franqueadora e o franqueado tenham conhecimento de todas as questões jurídicas, fiscais e de hábitos locais antes de implementar o negócio.

Seguindo os passos dos grandes

Esse é outro ponto que mostra como o Brasil tem caminhado a passos largos quando o assunto é fazer com que o produto nacional fique cada vez mais forte. Tendo os Estados Unidos como referência, visto que é o país com o maior número de franquias de sucesso, as empresas têm se espelhado no modelo norte-americano.

Por isso, hoje você pode perceber que muitas marcas já surgiram internacionais. Isso permite grandes ganhos de escala, em termos de desenvolvimento de produto, processos e sistema, e de marca. E é um caminho que as redes brasileiras estão trilhando para ficarem cada vez mais competitivas, o que propicia, inclusive, uma diversificação do risco do negócio.

Franquias nacionais são mais baratas

Outra vantagem de se investir em franquias nacionais está no bolso. De modo geral, o investimento sai muito mais conta para o franqueado, principalmente quando as taxas e royalties são cobrados em reais, ou seja, não ficam sujeitos à variação cambial.

Quer um exemplo? A franquia Pizza Hut cobra uma taxa de franquia de 25 mil dólares. Isso sem falar no investimento total que pode ultrapassar 1 milhão de reais. Por sua vez, a Fórmula Pizzaria – uma franquia nacional – exige um investimento entre 145 mil reais e 165 mil reais.

franquias de pizzarias

Franquias internacionais no Brasil

É fato que o bom desempenho do mercado brasileiro de franchising faz com que muitas marcas internacionais tenham interesse em expandir por aqui. Em 2016, por exemplo, o montante de franquias estrangeiras atuando no Brasil chegou a 5,2% das redes, com um total de 161 redes de franquias originais de 20 países diferentes. Os dados também são da ABF.

Desse total, quase metade das redes (42,9%) é de origem estadunidense. A lista segue principalmente com países europeus: Portugal, Espanha, Reino Unido, França, Itália e Alemanha se destacam. Já os países da América Latina, que são destino certo na hora de levar as marcas brasileiras para o exterior, não são tão presentes atuando por aqui – o único país da lista é a Argentina, com 8,7% do total de redes estrangeiras no Brasil.

Isso é mais uma prova de como o amadurecimento do mercado permite fazer com que seja mais vantajoso apostar numa franquia nacional do que globalizada.

Diferenças regionais

É preciso, ainda, estar atento a este ponto: apostar em uma marca globalizada para abrir uma franquia no Brasil pode esbarrar nas diferenças sociais, hábitos regionais e especificidades fiscais, entre outras características, que podem fazer uma marca de sucesso de outros países não sobreviverem aqui.

Outro ponto de atenção deve ser o segmento de atuação da rede, já que aquelas que lidam com a variação e oscilação do dólar e com importação de produtos sofrem mais do que as de alimentação.

Categories: MERCADO

1 Comment

5 dicas para quem quer mudar de cidade e abrir uma franquia · 28 de Fevereiro de 2018 at 10:12

[…] ônus, e das franqueadoras”, finaliza o consultor. Ficou interessado no mercado de Franquias? Saiba aqui os motivos para se investir em uma, ao invés de escolher grandes marcas globalizadas. Categories: […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça parte de um dos maiores grupos de franquias do Brasil!

Preencha com seu e-mail a baixo e receba em seu e-mail as melhores dicas de franquias.

chevron-down