fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Encontre sua Franquia

Abrir franquia na crise: em quais setores investir? Opções de negócio


Pensando em abrir uma franquia ou um negócio comum na crise? Pode ser que sua insegurança seja grande, não é mesmo? Afinal, se o futuro da crise é incerto, por que abrir um negócio seria uma boa opção?

As respostas para essa pergunta são várias. Na crise, por exemplo, você encontra menos concorrência, já que muita gente tem a mesma insegurança de investir.

Ao mesmo tempo, a crise pode servir como o “empurrãozinho” que você precisava. Pode ser que você encontre mais tempo agora. Ou, quem sabe, você ficou desempregado e precisa de uma renda?

Situações desse tipo podem colocar certa urgência em um projeto que você pretendia tirar do papel, mas não tão cedo. E essa urgência pode ser boa, pois vai te colocar exatamente onde precisa para iniciar um negócio.

Abrir uma franquia na crise pode ser ainda mais interessante. Isso porque, esse modelo de empresa já vem com todo o seu plano de negócio estabelecido. Basta que o empreendedor coloque este plano em prática para ver sua empresa deslanchar.

Além disso, uma franquia pode ser facilmente aberta no modelo home office. O home office está disponível em vários setores e marcas, e é mais barato de atuar.

Com o home office, o empreendedor pode atuar de casa. Ou seja, ele não precisa montar um espaço comercial para o seu negócio. Isso diminui os custos de investimento e manutenção da empresa.

Também vale dizer que o home office é  muito simples de atuar. Basicamente, o franqueado precisa ter acesso à internet e telefone. Então, poderá se comunicar com os clientes e fazer as vendas necessárias. Será preciso apenas ter disciplina e se dedicar ao empreendimento.

A seguir, apresentaremos mais vantagens das franquias e de investir na crise. Também apresentamos os melhores setores para abrir um negócio. Continue lendo!

7 setores para abrir franquia na crise

Segundo pesquisa do Sebrae, alguns setores são fortemente afetados em crises econômicas. Por isso, eles não são os mais indicados para se investir. Mesmo que se recuperem depois, eles levarão mais tempo para voltar a lucrar.

Esses setores são os seguintes: Construção Civil, Alimentação fora do lar, Moda e Varejo Tradicional.

Mas, fora esses, há vários outros setores para abrir uma franquia na crise. E alguns deles se destacam. Ou porque se adaptam às necessidades do consumidor, ou porque são indispensáveis às pessoas. 

Veja abaixo quais são os setores e dicas de franquia para investir em cada um deles.

1. Manutenção doméstica e reformas

Em tempos de crise, as pessoas acabam tendo pouco dinheiro para grandes compras. Isso significa, por exemplo, que a venda de imóveis diminui consideravelmente.

Por causa disso, as pessoas passam a cuidar melhor dos imóveis que já possuem. Então, investem em serviços de manutenção e pequenas reformas — serviços mais baratos do que uma nova compra.

andaime de reformas no comodo
Pequenas reformas são comuns nos imóveis, especialmente em momentos de crise.

Logo, investir em uma franquia que ofereça esse tipo de serviço pode ser bastante vantajoso. Assim, você poderá aproveitar dessa procura mais intensa por reformas.

O melhor é que, mesmo tempos após a crise, esse tipo de serviço continuará a ser relevante. No Brasil, há cerca de 62,8 milhões de residências, segundo o PNAD-IBGE. Estimativas indicam que 80% desses imóveis necessitem de manutenção uma vez ao ano, pelo menos.

Sugestão de franquia: Doutor Faz Tudo

A Doutor Faz Tudo é uma franquia que realiza desde as manutenções mais simples em residências, até as mais amplas e agendadas.

Ela também oferece serviços para ambientes comerciais e condomínios, com atendimento amplo e especializado.

Entre os serviços que o franqueado pode disponibilizar estão os cuidados hidráulicos, alvenaria, pintura e impermeabilização de paredes. Assim como reforma e ampliação, manutenção do ar-condicionado, manutenções preventivas e mais.

O empreendedor da marca passa por uma série de treinamentos para atuar com o negócio. Para abrir essa franquia na crise, é preciso investir a partir de R$ 25 mil.

Logo mais, vamos apresentar as vantagens de abrir uma franquia, em vez de um negócio iniciado do zero. Continue acompanhando o texto!

2. Seguros diversos

corretor de seguros conversando com clientes
Um corretor de seguros pode oferecer diferentes proteções aos usuários.

Cada vez mais, as pessoas têm percebido que adquirir um seguro pode ser bastante vantajoso. Afinal de contas, com esse tipo de proteção, o usuário, nem sua família, ficam desamparados após um imprevisto.

Já pensou ter o carro roubado e nenhum ressarcimento por ele. Em um momento comum, isso já seria um problema; em momentos de crise, ainda pior, pois seria ainda mais difícil adquirir um novo bem.

Dessa forma, é comum que a procura por seguros só aumente na crise. Seguros diversos: para carros, imóvel, seguro de vida, fiança locatícia e mais. Os consumidores querem se sentir amparados, especialmente se perderem sua fonte de renda mensal.

Aliás, o setor de seguros tem um público bastante amplo a ser alcançado, em qualquer momento. Para se ter uma ideia, estima-se que 70% dos veículos brasileiros ainda não possuam seguro.

Com uma franquia neste ramo, os empreendedores podem escolher trabalhar em home office. Basta avaliar os valores disponíveis para investimento e o desejo ou não por uma loja física.

Saiba mais sobre o assunto no texto: Comprar franquia de Corretora de Seguros é um bom negócio?

Sugestão de franquia: Quisto Corretora de Seguros

A Quisto é uma franquia com quase 10 anos de mercado e oferece mais de 90 serviços ao consumidor. Incluindo seguros e soluções financeiras, como planos de previdência privada.

Para facilitar o trabalho do franqueado, a franquia conta com um sistema multicálculo. Com ele, é possível cotar os seguros em cerca de 20 seguradoras de uma só vez. Assim, o corretor consegue encontrar os melhores preços e condições ao consumidor, o que simplifica a venda.

Outro atrativo da marca é que a Quisto é uma corretora. Ou seja, o empreendedor não oferece o seguro propriamente dito ao usuário. Ele trabalha apenas como um mediador entre seguradora e cliente, o que diminui consideravelmente seus custos. 

A marca é parceira das principais seguradoras do Brasil. O investimento inicial no negócio é de R$ 17,6 mil, com faturamento mensal médio de R$ 50 mil. O prazo de retorno do investimento vai de 6 a 18 meses.

3. Consertos e reparos de roupas e sapatos

Segundo especialistas, com a crise, o movimento dos consumidores para o mercado de reparos é alto. Muita gente prefere consertar roupas e sapatos que já tem em vez de comprar novos, geralmente bem mais caros.

máquina de costura ilustrativo reforma roupa abrir franquia crise
Conserto e customização de peças antigas é mais barato ao consumidor.

Com a demanda crescente, esse tipo de negócio é uma ótima opção para investir. Inclusive porque, muitas opções de franquias podem funcionar no modelo home office. 

Então, os custos para abrir a empresa se tornam menores. Sem contar que a flexibilidade do empreendedor é maior, podendo definir seu próprio horário de trabalho.

Além disso, o franqueado recebe toda a capacitação necessária para atuar com o negócio. Assim, poderá oferecer ótimos serviços de reparo para roupas e sapatos, atraindo cada vez mais consumidores.

Sugestão de franquia: Minha Costureira, Meu Sapateiro

Uma franquia Minha Costureira, Meu Sapateiro pode ser iniciada em um espaço mínimo de 40 m².

A marca busca oferecer serviços rápidos de manutenção e reparos, para roupas, malas, bolsas, sapatos e itens semelhantes.

Não é preciso que o franqueado tenha experiência com o trabalho, pois receberá uma série de treinamentos. 

Mas o perfil ideal de franqueado estabelece uma experiência mínima na gestão de pessoas. Assim, a medida que a loja crescer, o empreendedor terá facilidade em gerir seus colaboradores.

É preciso contar com uma loja física e um estoque inicial de produtos para a franquia. Então, seu investimento total será de R$ 136,5 mil.

4. Serviços automotivos

O ramo de serviços automotivos segue a mesma lógica do setor de manutenção e reformas. Ou seja: na crise e em períodos pós-crise, as pessoas tendem a comprar menos carros novos. Afinal, as contas costumam apertar nestes momentos.

Dessa forma, para manter o veículo em boas condições, os consumidores procuram por serviços automotivos de qualidade. São atendimentos como a limpeza interna e externa, polimento, limpeza de motos, cristalização do vidro e mais.

Com esses cuidados, os automóveis tendem a ter maior durabilidade. Algo importante já que, em média, as pessoas ficam cinco anos com o mesmo carro.

Ao oferecer serviços automotivos, o empreendedor pode contar com esse mercado sempre em alta. Inclusive porque o número de veículos no País é grande: um automóvel para cada 4,4 habitantes.

Sugestão de franquia: Acquazero

A Acquazero é a maior rede de estética automotiva do Brasil. Hoje, já são mais de 350 unidades da marca, espalhadas por todo o País.

Para atuar com a empresa, o empreendedor pode optar pelos modelos home office ou loja física. São três de cada, com serviços diferentes. 

Na opção home office, o franqueado atua de modo delivery. Isso significa que ele vai até o consumidor, onde ele estiver, para realizar o atendimento.

O principal diferencial da Acquazero é sua limpeza ecológica. Para realizá-la, a empresa utiliza apenas 300 ml de água para limpar o carro. Em contrapartida, as marcas concorrentes chegar a gastar 320 litros de água por lavagem.

Além desse serviço, a franquia pode oferecer atendimentos como o polimento de faróis, enceramento profissional, higienização do ar-condicionado, descontaminação de pintura e mais.

No catálogo da marca também estão serviços residenciais. Assim, o empreendedor tem outras opções de atendimento para aumentar o seu faturamento. Os serviços incluem a limpeza e impermeabilização de estofados, limpeza de carpetes e mais.

O investimento inicial em uma franquia Acquazero é de R$ 17.820‬. Seu faturamento médio mensal é de R$ 12 mil, com prazo de retorno entre 3 e 24 meses.

Saiba um pouco mais sobre a franquia Acquazero no vídeo abaixo!

5. Brechós físicos e online

Mais uma vez, a ideia de investir em brechós é aproveitar da busca por economia pelos consumidores. Brechós têm roupas, sapatos e acessórios mais em conta. Por isso, atraem os clientes que desejam economizar.

Neste ramo, é possível investir em lojas físicas e on-line. Tudo vai depender da sua disponibilidade de investimento e da franquia escolhida. Claro, se você optar por um negócio no modelo de franquia.

No caso de uma empresa on-line, o empreendedor deverá ter cuidado especial com a sua divulgação virtual. 

As redes sociais e anúncios on-line serão essenciais para atrair o público e realizar vendas. Especialmente porque você não contará com a fachada de uma loja física para chamar a atenção dos consumidores.

arara de roupas em loja
Venda de roupas seminovas já é uma realidade, e se torna um negócio ainda mais lucrativo na crise.

Sugestão de franquia: Arena Baby

A Arena Baby é uma franquia focada em roupas para bebês e crianças pequenas. Ela trabalha como uma loja comum de roupas, mas também como um brechó.

Funciona assim: as peças da loja são etiquetadas como Novas de Fábrica, Quase Novas e Nunca Usadas. No caso das duas últimas etiquetas, as peças são de segunda mão, vindas de consumidores que venderam para o brechó da unidade.

Segundo estimativas da marca, 85% dos produtos nas lojas são Quase Novos e Nunca Usados. Essas peças passam por um processo rigoroso de seleção, para que sejam revendidas depois com qualidade. 

Ao consumidor, elas saem com preço mais em conta, com até 70% de desconto em relação a peças novas. Isso atrai muito os clientes, que desejam comprar peças, mas sempre economizando.

Já para os consumidores que vendem as peças à loja, há duas alternativas. Primeiro, ele pode receber pelas peças em dinheiro. A outra opção é manter o crédito na loja, para adquirir outras peças depois.

Todas essas transações atraem mais gente para a loja e ainda cria um público fiel. Afinal, os usuários poderão sempre vender as peças à franquia, adquirindo outras. O investimento mínimo para o negócio é de R$ 159 mil. Sua lucratividade é de 20% sobre o faturamento.

6. Marketing digital

O marketing digital já tem hoje grande relevância na venda das empresas. Sejam elas inteiramente on-line, sejam lojas físicas. Afinal, pesquisas locais levam 50% dos usuários mobile a visitar uma loja dentro do período de um dia. 

Especialmente em momentos de crise, as empresas percebem que precisam migrar para o ambiente virtual. A divulgação de uma marca é parte essencial do seu lucro e na conquista de consumidores. Inclusive quando as circunstâncias mudam e a loja física não não permanecer aberta, por exemplo.

pessoas mexendo no computador
O mundo virtual é parte do dia a dia e o marketing de digital pode alcançar inúmeros usuários.

Pensando nisso, é uma boa investir em um negócio de marketing digital. Oferecendo esses serviços, o empreendedor tende a conquistar novos clientes facilmente. 

Mas é preciso que você saiba o que está fazendo, pois o mercado digital é bastante competitivo. Então, é uma boa optar por abrir uma franquia na crise.

Sugestão de franquia: Guia-se Negócios pela Internet

Uma das franquias mais bem-sucedidas de marketing no Brasil é a Guia-se. Atuando desde 1997, a empresa requer um investimento a partir de R$ 24,9 mil e tem retorno de investimento entre 6 e 24 meses.

Um negócio da marca é comandado em home office, pois não é preciso muito para atuar — apenas uma boa conexão com a internet e telefone.

Então, o franqueado da empresa poderá oferecer serviços como sites personalizados, lojas virtuais customizadas e o gerenciamento de mídias sociais. Assim como serviços de Inbound Marketing, SEO, e-mail marketing e mais. O empreendedor recebe toda a capacitação necessária para atuar com o negócio.

7. Educação

De acordo com especialistas, investir em uma franquia de Educação pode ser um negócio bastante lucrativo em períodos de crise. Isso porque, muita gente perde o emprego nestes períodos. Logo, para voltar para o mercado de trabalho, os profissionais buscam se qualificar ainda mais.

Aliás, as empresas também buscam qualificar seus profissionais. Assim, elas poderão se destacar perante a concorrência e evitar a perda de clientes.

Por isso, abrir um negócio no ramo de educação pode trazer bons frutos. Até porque, o ramo de educação tem bons números em diferentes momentos da Economia.

sala de aula em abrir franquia crise
Abrir uma franquia de Educação na crise pode ajudar os profissionais a se recolocarem no mercado de trabalho.

Só no setor de franchising, o segmento teve faturamento de R$ 12,2 bilhões em 2019. A informação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Sugestão de franquia: Evolute

A franquia Evolute foi criada em 2018 e hoje já conta com mais de 120 unidades espalhadas pelo Brasil. Além das aulas presenciais, a empresa trabalha com o EAD, ou seja, o Ensino à Distância, pela internet.

Entre os cursos que o franqueado pode oferecer estão os de idiomas e profissionalizantes. São aulas como o Inglês, para formação em Gestão em Vendas, Assistente Contábil, Desenvolvedor de Jogos, Informática, Designer Gráfico e mais.

Para investir, é preciso desembolsar a partir de R$ 59 mil. O faturamento médio mensal do negócio é de R$ 50 mil, com retorno do investimento entre 12 e 18 meses.

Vantagens de abrir uma franquia na crise

Sem dúvida, abrir um negócio é algo que gera várias inseguranças. Especialmente se esse negócio for iniciado em tempos de crise econômica. Nas últimas décadas, as crises foram “rotineiras” e tiveram vários reflexos nos mercados.

Mas abrir uma franquia na crise pode ser um negócio bastante seguro. Isso porque, diferente de um negócio iniciado do zero, esse tipo de empresa tem um modelo preestabelecido.

Colocando o modelo da franquia em prática, o empreendedor vê os resultados acontecerem de forma bem mais rápida.

Até por isso, as franquias têm mortalidade muito menor que outros negócios. Segundo pesquisas, apenas 5% das franquias fecham as portas em até dois anos de operação. Essa porcentagem sobe para 23% no caso de negócios iniciados do zero.

As vantagens de abrir uma franquia, na crise ou fora dela são:

  1. Plano de negócio preestabelecido
  2. Contar com uma marca reconhecida no mercado
  3. Taxa de mortalidade menor que a de outros negócios
  4. Previsibilidade sobre faturamento e retorno de investimento
  5. Suporte da franqueadora

Quer conhecer melhor as vantagens e desvantagens de abrir uma franquia? Acesse nosso texto sobre o assunto! Basta clicar no link.

Você também pode clicar no banner abaixo e conferir tudo o que precisa sobre esse modelo de negócio.

ebook tudo sobre franquias

Por que abrir um negócio na crise?

Agora você já conhece em que setores investir e porque é interessante abrir uma franquia na crise. Mas talvez ainda não esteja muito convencido das vantagens desse investimento, não é mesmo?

Isso é bastante comum, já que momentos de crise parecem um problema para as finanças. Mas existem, sim, atrativos de investir neste período. Veja abaixo.

Concorrência menor

Assim como você, muita gente se sente inseguro em abrir um negócio em momentos ruins da economia. Isso significa que poucos empreendedores vão se decidir por investir — e, por isso, você terá menor concorrência de novas empresas.

Facilidade em contratar

Infelizmente, muita gente perde o emprego em tempos de crise. Mas isso pode ser uma boa para as empresas, pois haverá uma grande oferta de profissionais no mercado. 

Profissionais qualificados, que estarão à procura de uma boa oportunidade de trabalho. Eles vão te auxiliar a desenvolver o seu negócio e alcançar o sucesso.

Vale destacar que empresas home office não costumam contar com funcionários desde o início. Mas isso pode mudar à medida que o negócio crescer.

Crises são cíclicas

Crises econômicas não duram para sempre. Em média, elas duram até dois anos, mas é bem mais comum que os mercados se recuperem em meses.

Então, o mercado está ruim agora, mas não vai ficar por muito tempo. Aproveitar o momento de crise para abrir seu negócio vai garantir que, quando as coisas melhores, você já vai estar em operação.

Aliás, uma franquia ou qualquer outro tipo de empresa precisam de alguns meses para serem colocadas em prática. Em caso de lojas físicas, por exemplo, é preciso encontrar um espaço comercial, encontrar funcionários, reformar o ambiente e mais.

Assim, você pode usar o tempo de crise para contar com esses meses de planejamento e execução cuidadosa.

Despesas tendem a cair

Durante a crise, os custos de uma empresa costumam cair. Os aluguéis se tornam mais baratos, a contratação de colaboradores permite salários mais baixos, os produtos para estoque caem de valor.  Assim, abrir e gerenciar o negócio se torna mais barato.

Financiamentos mais acessíveis

Por último, é preciso dizer que os financiamentos para empresas costumam ser mais atrativos na crise. Isso já que os bancos buscam auxiliar a retomada da economia, garantindo juros mais baixos, por exemplo.

Dessa forma, pode ser mais simples e barato conseguir valores para investir em uma empresa. Mas é preciso cuidado: você deve planejar bem seu financeiro.

três pessoas negociando emprestimo
Negociação de crédito com o banco pode ser mais simples na crise.

Obter um financiamento ou empréstimo significa que você terá que quitar esses valores. Se o seu planejamento não estiver bem estabelecido, será difícil manter os débitos em dia. Em casos assim, os negócios tendem a enfrentar grandes problemas.

Também vale a pena pesquisar muito antes de obter crédito. Algumas financeiras aumentam juros e custos, em vez de diminuí-los. Ao optar por um destes empréstimos, você pode ter ainda mais dificuldades com as finanças.

Viu só como pode ser uma boa abrir uma franquia em meio à crise? Com o planejamento adequado e a franqueadora bem escolhida, seu negócio poderá ser um sucesso. 

Tanto aproveitando do momento de economia dos consumidores, quanto dos períodos que vêm depois. Afinal, os setores que apresentamos neste texto têm bons rendimentos em qualquer momento do mercado.

Mas lembre-se: é preciso tomar uma série de cuidados para escolher a franquia ideal. A marca e seu suporte precisam ser bem avaliados. 

Assim, você terá certeza de que aquele é o melhor negócio para você. Saiba mais sobre esses cuidados no texto: Passos para se tornar um franqueado.

*Informações publicadas em Agosto/2020. Os preços das franquias podem sofrer atualizações. Informe-se com a franqueadora da marca.

Sair

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *