fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

O que significa franquia? GUIA COMPLETO: o que é franquia, taxas, tipos

				<![CDATA[]]>

Você já deve ter ouvido falar das franquias e de como esse segmento tem crescido no mercado brasileiro. Mas você realmente sabe o que é franquia?

Para aqueles que se interessam pelo universo do empreendedorismo, saber o que é uma franquia é fundamental. Isso porque, a franquia pode ser uma ótima opção para abrir o próprio negócio, principalmente para os empreendedores de primeira viagem.

Além da possibilidade de investimento em franquias, é também uma saída iniciar uma empresa do zero. Mas, neste caso, é necessário montar um plano de negócios, fazer vários testes e se preparar para atuar sozinho, até alcançar o sucesso.

Uma franquia, por sua vez, entrega ao franqueado um plano de negócios completo. Nele há todos os passos que o empreendedor deve seguir para abrir a franquia e gerenciar o dia a dia de trabalho. Há também informações sobre o aspecto jurídico e financeiro, auxílio para o marketing e mais. 

É importante destacar que este é um segmento em expansão e com inúmeras possibilidades de atuação. É possível investir em uma franquia tradicional em modelo de loja ou até em modalidades mais modernas, como as franquias virtuais, em formato quiosque, foodtruck e container. 

A seguir, contamos tudo o que você precisa saber para entender o que é uma franquia. Vantagens, cuidados, tipos de franquia, como escolher a melhor para o seu perfil, taxas associadas, entre outras informações.

O texto é longo, mas será de grande ajuda porque está bem completo. Então, se você pretende descobrir tudo o que é necessário para investir em franquias, continue a leitura!

O que é franquia?

A franquia nada mais é do que uma estratégia de negócio cada vez mais atrativa. O formato consiste em permitir que um empreendedor use da marca e tecnologia de uma empresa que já atua no mercado. Este empreendedor fica conhecido como franqueado.

Entretanto, para isso, o franqueado precisa realizar o pagamento de algumas taxas que concedem o direito de uso da marca, transferências de know how, treinamentos e suportes oferecidos pela rede. Tudo é estabelecido com base na Lei de Franquias, assunto que abordaremos mais a frente.

No empreendedorismo comum, o empresário precisa passar por várias etapas para consolidar o negócio no mercado. Os estágios vão desde a escolha do nome e formulação de um produto, até campanhas de marketing.

Não é difícil entender que, para alguém com pouca experiência no assunto, o trabalho pode se tornar um empecilho. É comum, até, que todo o trabalho desmotive o investidor.

Investir em um modelo de franquia é a certeza de colocar o seu dinheiro em uma empresa que já deu certo, passou por todos os principais desafios e que deseja ampliar o seu alcance.  

O investidor tem apenas o trabalho de adquirir o direito de abrir a loja física ou home office (no caso das marcas que possibilitam essa atividade) e começar a executar as atividades da marca de acordo com suas regras.

Outro ponto que o interessado deve observar é a possibilidade de oferecer um produto e/ou serviço que já foi testado, comprovado e aprovado pelo público. 

Como tudo já está à disposição do franqueado, ele só precisa garantir a qualidade do trabalho, a divulgação, a capacitação dos seus colaboradores e o controle e gastos.

Mesmo que a marca não pertença a você, será sua responsabilidade administrar os gastos e investimentos na sua unidade. 

Para saber todos os detalhes sobre como funciona uma franquia, assista ao vídeo abaixo.

A criação das franquias

Historiadores contam que o sistema de franquias surgiu há muito tempo, ainda no século XII, em Londres, por práticas bem semelhantes ao sistema que conhecemos hoje.

Mas esse tipo de negócio cresceu e passou a funcionar de forma mais padronizada nos Estados Unidos, logo após a Guerra Civil.

Isso porque, muitos soldados voltaram para casa sem emprego e sem nenhuma experiência de trabalho. Mas eles precisavam sustentar suas famílias.

Na época, a I.M Singer & Co., empresa de máquinas de costura, decidiu conceder o direito de uso da marca Singer para que fossem comercializadas as máquinas aos comerciantes independentes.

maquina de costura
A Singer foi a empresa que iniciou propriamente o franchising e estabeleceu um modelo semelhante ao que existe hoje.

A ideia deu tão certo que logo apareceram outros modelos de empresas que “vendiam” seu nome. Como a General Motors e a Coca-Cola.

Nas décadas de 1950 e 1960, todo esse movimento fez com que marcas mundialmente famosas hoje ganhassem espaço. Como o McDonald’s, até hoje uma das maiores referências do mercado de franquias no mundo, além de outras como o Burger King e a KFC.

No Brasil, as franquias começaram com modelos de escolas de idiomas. Foram marcas como a Yazigi e CCAA.

Daí em diante, o sistema passou por muitas mudanças, até que surgiu a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em meados dos anos 1980.

Algum tempo depois, foi criada a  Lei da Franquia 8.955/04, em 15 de dezembro de 1994. Essa Lei, que até então nunca havia sido alterada, passou por algumas modificações no ano de 2019.

Conceito de franquia de acordo com a Lei 13.966/19

De acordo com a Nova Lei de Franquias, franquia significa:

Esta Lei disciplina o sistema de franquia empresarial, pelo qual um franqueador autoriza por meio de contrato um franqueado a usar marcas e outros objetos de propriedade intelectual, sempre associados ao direito de produção ou distribuição exclusiva ou não exclusiva de produtos ou serviços e também ao direito de uso de métodos e sistemas de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvido ou detido pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem caracterizar relação de consumo ou vínculo empregatício em relação ao franqueado ou a seus empregados, ainda que durante o período de treinamento”.

Ou seja, na legislação, constam definições dos modelos de franquias, condições, regras de funcionamento e outras informações do âmbito da regulamentação deste modelo de negócio.

A legislação também estabelece todas as informações que o franqueador deve fornecer ao franqueado. O objetivo é que os empreendedores possam tomar a decisão de investir em uma franquia de forma consciente e munidos de todas as informações relativas ao modelo de negócio.

A Lei de Franquias também institui que o franqueador deve ser transparente com os candidatos a franqueado, informando todas as obrigações, direitos, riscos, dados sobre suporte, treinamento e transmissão de know how.

A história de uma das principais franquias do mundo

Para apresentar de forma mais simples o que é uma franquia, podemos citar um exemplo bem conhecido por todos. Para quem não sabe, o Mcdonald’s é uma franquia gigantesca.

Conforme já dissemos acima, a franquia surgiu há mais de 60 anos, em 1995.  A marca, que pertencia aos irmãos Richard e Maurice Mac McDonald, era um restaurante que cresceu de uma forma excepcional, com apenas uma única unidade inicialmente.

Como eram mais conservadores, os irmãos não abriam mão de manter apenas uma unidade do negócio funcionando. Isso até que receberam uma oferta de um vendedor que queria copiar o modelo de negócio.

pacote mcdonalds uma franquia de sucesso
O McDonald’s é uma das marcas mais bem-sucedidas do franchising no mundo.

O objetivo era abrir outras lojas com o mesmo estilo, inclusive o formato da cozinha e da operação, e que tivesse o mesmo nome. Anos depois, Roy Kroc, o vendedor, finalmente conseguiu abrir a primeira franquia do McDonald’s . Daí em diante, nunca mais parou.

Hoje, o McDonald’s está presente em 119 países, com mais de 37 mil pontos de venda.

Termos básicos do franchising

No mundo do franchising, existe um vocabulário um pouco diferente dos de empresas convencionais. 

Por isso, para ter sucesso neste tipo de negócio, é preciso conhecer melhor esses termos.

Trouxemos abaixo alguns dos principais nomes utilizados no mundo das franquias. Assim, será mais fácil para você acompanhar o texto a partir daqui.

  • Franqueado: é a pessoa física autorizada pelo Contrato de Franquia a operar uma unidade franqueada;
  • Franqueador: o franqueador é a empresa proprietária de uma ou mais marcas e de um formato de negócio que utiliza o franchising como estratégia de expansão;
  • Circular de Oferta de Franquia (COF): é o documento jurídico apresentado pela franqueadora ao candidato, no momento correto do processo de seleção. A COF contém todas as informações exigidas na Lei de Franquias;

Para conhecer todos os termos importantes relacionados ao franchising, leia o dicionário do franchising e saiba todo o vocabulário de franquias. Basta clicar no link!

Taxas comuns do franchising

Além do valor de investimento inicial que deve ser pago para aquisição da franquia, os franqueados precisam arcar com taxas comuns do franchising brasileiro.

Esses valores têm objetivos distintos e garantem que o franqueado usufrua do direito de uso da marca, atue com maior segurança no mercado e encontre maiores possibilidades de sucesso da franquia.

A seguir, abordaremos as principais taxas que os empreendedores precisam pagar, a começar pelo investimento inicial.

É importante dizer que a periodicidade do pagamento das taxas e valores variam de franquia para franquia, e todos os detalhes estão presentes nos documentos entregues aos candidatos a franqueados. Acompanhe.

Investimento inicial

O valor de investimento inicial, para muitos empreendedores, é o principal capital que precisa ser avaliado. Realmente, é um valor importante, que você precisa avaliar antes de decidir por uma rede de franquias.

Entretanto, existem outros valores envolvido em todo o processo de franchising. A começar pelo investimento, você sabe como esse valor é calculado?

O investimento diz respeito a todo o dinheiro que será necessário para que a franquia seja inaugurada, podendo variar de acordo com o formato da unidade e formas de atuação no mercado.

Assim, franquias de quiosque, foodtruck ou em formato home office costumam apresentar valores de investimento muito mais em conta. Isso porque, são formatos de negócio que apresentam uma estrutura bem menor, um número reduzido de funcionários, menores gastos com operação, entre outros cálculos.

Assim, o cálculo do investimento engloba os valores necessários para obras e reformas, estoque inicial, marketing inaugural, capital de giro, maquinário, montagem e padronização.

Taxa de franquia

A taxa de franquia é primeira taxa que deve ser paga pelos franqueados. Esse pagamento se refere à concessão do direito de uso da marca e, ao mesmo tempo, à transferência de todo o know-how.

A taxa de franquia também cobre os custos com treinamentos que são oferecidas pela franqueadora ao novo franqueado. Esses valores variam de acordo com o tipo de treinamento: se será on-line, presencial ou misto, tempo de duração e se serão oferecidos novos treinamentos ao longo do tempo de contrato de franquia.

É importante saber que esse valor varia de franquia para franquia, além de ser variável de acordo com o modelo de franquia escolhido, o número de habitantes da localidade da unidade, entre outros fatores.

Ao mesmo tempo, muitas marcas trabalham com a possibilidade de financiamento da taxa de franquia, parcelamento do valor da taxa, descontos ou outras condições que facilitam o pagamento por parte do franqueado. Outras, até isentam o valor dessa taxa, de acordo com o modelo de franquia que será inaugurado pelo franqueado.

Capital de giro

O capital de giro é importante tanto para o investimento em franquias, quanto para quem opta por abrir uma empresa do zero.

É um valor reservado para custear toda a operação, financiar os custos da rotina de trabalho e pagar o estoque de produtos enquanto a unidade ainda não atinge o ponto de equilíbrio e começa a apresentar lucros.

Ou seja, o ponto de equilíbrio já é o momento em que a unidade começa a se manter por conta própria. Por esse motivo, é essencial contar com um capital destinado para custear toda a operação até que a unidade atinja equilíbrio.

Cada franqueadora irá indicar um valor de capital de giro específico para manter a unidade franqueada funcionando. O cálculo é feito de acordo com o controle do fluxo de caixa e todos os custos da unidade.

Por exemplo, o valor é influenciado pelo volume de vendas, compras, custos das vendas, pagamento de compras e estoque. O valor total do capital de giro também deve ser calculado de acordo com o prazo de retorno da franquia.

Taxa de royalties 

Essa taxa é bastante tradicional no franchising, sendo um tipo de remuneração paga à franqueadora para uso da marca pelo franqueado.

Ao mesmo tempo, os royalties também pagam custos com o suporte às unidades franqueadas, direito de comercialização de serviços e produtos, além da padronização dos processos ensinados pela franqueadora.

Algumas redes exigem que esse pagamento seja mensal, outras que seja a cada dois ou três meses. É um tipo de taxa que varia de acordo com as políticas de cada marca, sendo possível, inclusive, a isenção dos royalties.

Entretanto, é comum que o cálculo dos royalties seja feito de acordo com o percentual sobre o faturamento, o percentual sobre as compras ou sendo uma taxa fixa, determinada pela marca.

Taxa de instalação

Muitas marcas cobram um valor específico para a instalação da unidade, que irá variar de acordo com o modelo escolhido pelo franqueado.

Esse valor é comum de ser cobrado quando o franqueado opta pelo investimento em uma franquia de loja ou de quiosque, por exemplo, que irão exigir a instação e montagem de uma única física.

A taxa de instalação cobre todo o processo de padronização e implantação da franquia: adaptação do ponto comercial de acordo com o projeto arquitetônico da marca, custos com equipamentos e softwares importantes para a rotina de trabalho da franquia.

Os valores costumam ser mais altos em modelos de franquias de lojas físicas e, em formatos de quiosque ou containers, a taxa de instalação costuma ser mais em conta.

Por outro lado, as franquias home office costumam não exigir pagamento de taxa de instalação, uma vez que o franqueado opera a unidade de dentro da própria casa. Assim, o franqueado precisará de um computador, acesso à internet e, em alguns casos, materiais de escritório.

Principais vantagens de investir em franquia

Os benefícios de se investir em uma franquia são diversos. Principalmente se comparados a todas as etapas necessárias para iniciar uma empresa do zero. 

Mas, antes de optar por uma franquia, é preciso que você conheça o sistema de negócio e quais são realmente suas vantagens. Dessa forma, sua escolha será feita de modo mais consciente e acertado. 

A seguir, listamos dois dos benefícios mais importantes deste modelo de empresa.

Direito de usufruir de uma marca de sucesso

Um dos maiores desafios para um empreendedor é tornar sua marca conhecida. É fazer com que uma ideia e produto sejam aceitos e difundidos no mercado. 

Essa não é uma tarefa fácil e exige muito trabalho e dedicação — o que, ainda assim, não garante bons resultados. Porém, ao comprar uma franquia, o indivíduo atuará em nome de uma grande empresa. 

Ou seja, uma companhia com a marca já conhecida e com clientela formada. Os consumidores se sentem mais seguros em comprar com uma empresa de nome já consolidado.

Para o franqueado, basta pagar os royalties — cobrança que dá direito a usar, explorar e comercializar sobre um bem, serviço ou modelo de negócio — para a empresa que ele está representando. Ou seja, uma taxa à franqueadora.

Acesso a todo o suporte do franqueador

Um empresário inexperiente pode se sentir inseguro ao abrir sua primeira empresa. Neste aspecto, apostar em uma franquia pode ser mais interessante do que o modelo convencional de empreendedorismo. 

Afinal de contas, a franquia fornece todo o suporte de que o franqueado necessita para gerir sua unidade. Uma franqueadora geralmente garante para seus clientes os apoios listados a seguir.

  • Supervisão e Serviços de Orientação: uma equipe fica responsável por ajudar o franqueado a alcançar os seus objetivos. Tudo é feito por meio de conversas e e-mails, com o objetivo de esclarecer as dúvidas de mercado.
  • Treinamento: os treinamentos oferecidos aos empreendedores podem variar, mas normalmente incluem estudos on-line e treinamento presencial. Dessa forma, é possível aprender sobre questões de venda, produto, serviço, marketing e operação.
  • Marketing: além da troca de aprendizado sobre o tema, o franqueado também recebe modelos e artes padrões da empresa. Além de publicidades mais amplas, que beneficiem todas as unidades da marca.
  • Apoio Jurídico: o empresário recebe orientações sobre a abertura da empresa e aspectos jurídicos da relação entre franqueado e franqueadora.

A franqueadora deve estar ao lado do empreendedor desde o treinamento de equipe até questões mais burocráticas, como a gestão financeira e escolha do ponto comercial. Veja mais no vídeo disponível clicando aqui.

Em todo o caso, é preciso dizer que os suportes oferecidos ao franqueado variam por marca.

Então, é muito importante ter atenção à sua COF antes de adquirir a franquia. É ela quem vai listar todos os apoios disponíveis, assim como as demais informações sobre a franquia.

Quais são os modelos de franquias?

Agora que você já conhece as vantagens do franchising, pode estar convencido de que este é o melhor negócio.

Antes de aderir a uma franquia, porém, é preciso escolher o seu modelo. São quatro os tipos principais de franquia, e eles mudam conforme o modo de atuação e tamanho. Veja a seguir.

1. Microfranquias

As microfranquias são aquelas que possuem um baixo custo operacional e uma atuação mais simplificada. Sua vantagem principal é a exigência de um investimento inicial menor, de até R$ 90 mil. 

Em muitos casos, esse tipo de negócio também não exige um ponto comercial. Ou seja, é possível operar uma microfranquia de forma home office.

Como essas são franquias baratas, o retorno do investimento nesse modelo é mais rápido. Já seu faturamento vai variar de acordo com o setor e a dedicação do franqueado.

2. Franquia virtual

A franquia virtual nada mais é do que um negócio on-line, que atua como um e-commerce ou uma agência virtual. 

moça trabalhando em uma das franquias baratas home office
Franquias virtuais podem ser gerenciadas de casa, com custo mais baixo.

Com o avanço da internet e da globalização, esse segmento tem se destacado bastante nos últimos anos. Afinal, o consumidor contemporâneo está cada dia mais familiarizado com o ambiente virtual. No Brasil, por exemplo, 7 a cada 10 pessoas fazem compras regulares na internet.

Franquias virtuais são consideradas investimentos de baixo custo. Isso acontece porque elas dispensam pontos comerciais e custos com mão de obra.

3. Franquia unitária

O modelo de franquia unitária é o mais comum do mercado. Por meio dele, o franqueado tem o direito de implantar a sua franquia em uma área determinada, sem o risco de sofrer com a concorrência de outras lojas da mesma marca. 

Durante a validade do contrato, apenas ele poderá ter lojas dentro dessa região. Locais comuns em que vemos esse molde são shoppings, outlet, galerias etc. 

Caso o mesmo investidor tenha condição de abrir uma nova loja dentro dessa área, ele pode fundar a segunda unidade. Mas isso também varia conforme a marca, então é importante ter atenção às regras da franquia.

Esse modelo também facilita a criação de um plano de expansão — uma preparação estratégica para negócios que atingem seu ponto máximo de crescimento. 

A opção exige um investimento maior, especialmente pela necessidade de reforma e manutenção do espaço comercial. Mas o faturamento da franquia costuma ser proporcional.

4. Franquia máster

Dentre todas as opções de franquia, a Máster é que a requer maior investimento. É um modelo mais comum para empresas que desejam internacionalizar a sua marca ou expandir sua atuação para outros estados.

Para dar início a esse crescimento, as empresas captam algum investidor local que deseja se desenvolver e ampliar seus negócios. 

Depois, o capacitam para torná-lo representante em determinada região e o orientam para ajudar a alcançar os objetivos da marca. 

Ele gerencia várias unidades da empresa na área. Elas podem ser administradas pelo próprio franqueado, ou então por terceirizados. 

Em qualquer dos casos, o empreendedor principal (“dono” da região da franquia) receberá parte da taxa de franquia e royalties cobrados dos demais franqueados.

Os principais formatos para investir

Se você leu este texto até aqui, já sabe que existe modelo de negócio e franquias do tipo home office e loja física. Mas ainda há outros formatos deste negócio no mercado, que podem ser ótimas opções.

Só que, antes de apresentá-los, é preciso destacar a diferença entre os modelos de franquia e os formatos de franquias.

Os modelos de franquias, como você viu no tópico anterior, são classificadas de acordo com o tamanho da empresa. Também existem outras classificações, como por localização geográfica ou geração.

Já o formato da franquia se refere ao espaço em que o negócio será conduzido. Ou seja, em casa, em um ponto comercial, container ou outro. Veja abaixo.

1. Lojas físicas

As lojas físicas são as franquias mais comuns do mercado. Para iniciar um negócio do tipo, o empreendedor precisa escolher um bom ponto comercial, na rua ou shopping.

Geralmente, a franqueadora auxilia na escolha desse ponto. Inclusive verificando se naquela localidade há presença do público-alvo da marca.

suav loja fachada
Uma loja física chama a atenção dos consumidores com sua fachada.

Mas o custo de investimento neste tipo de negócio costuma ser mais alto. Isso já que é preciso realizar reformas, alugar ou comprar o espaço, solicitar alvarás etc. Então, é essencial planejar bem o seu investimento

A franqueadora faz uma estimativa dos valores necessários para abrir a franquia. Tenha-os em mãos para que o desenvolvimento do seu negócio seja mais simples.

2. Quiosques

Já uma franquia em quiosque é menor e costuma ser aberta no corredor de shoppings. Seu principal atrativo é justamente o público intenso desses espaços, o que pode atrair mais consumidores para a franquia.

Várias marcas têm esse formato de negócio, como o McDonald’s e a Chilli Beans. Mas é preciso avaliar bem a opção, pois, em determinadas marcas, o custo fica muito próximo de abrir uma loja. 

Você pode acompanhar mais sobre lojas e quiosques, e opções de franquias em cada formato, no texto: Loja ou quiosque: qual a melhor opção de franquia para investir

3. Home office

Uma franquia home office, também conhecida como home based, é um negócio que é gerenciado de casa. Ou seja, o franqueado não precisa abrir um espaço comercial, pois poderá realizar suas atividades de casa mesmo.

Muitas franquias desse tipo são on-line, precisando apenas de um computador, conexão com internet e um telefone para funcionar.

Outras trabalham com entregas, produtos, venda direta e mais. É importante ter atenção às especificidades da marca escolhida, pois as formas de trabalho home office são variadas.

As principais vantagens do home office são o baixo custo e a flexibilidade do trabalho. 

O baixo custo acontece porque não é preciso abrir um espaço comercial, nem arcar com despesas como aluguel, pagamento de funcionários e outros. 

Trabalhando de casa, o franqueado também pode flexibilizar seus horários e tarefas. Pode, por exemplo, trabalhar no horário que se sentir mais produtivo, e usar o restante do tempo para lazer, um tempo com a família, amigos etc.

Mas é essencial ter disciplina para trabalhar no home based. Afinal, os resultados da franquia estarão diretamente ligados ao empenho do empreendedor ao negócio.

4. Food Trucks

Os food trucks já são bastante conhecidos hoje, com várias opções de restaurantes móveis, que funcionam em carros de médio porte ou caminhões.

Mas você sabia que também existem as food bikes e até as moto food? São formatos de negócio que podem oferecer várias receitas ao consumidor.

Mas não apenas isso. Vendo o sucesso dos food trucks, franquias de outros setores também já investem nesse formato. Como para a venda de calçados ou acessórios. Pesquisando, você poderá encontrar marcas interessantes.

5. Containers

As franquias deste formato são abertas em containers. Sua principal vantagem é o custo menor de reforma e manutenção do espaço. Além disso, o container pode ser deslocado, se for necessário mudar a localização da loja.

Geralmente, esse tipo de franquia têm custo menor. Ele também chama a atenção dos consumidores, por ser diferente.

Mas é preciso verificar as normas da sua cidade sobre a instalação de um container na paisagem. A franqueadora poderá te orientar sobre o assunto.

O que é necessário para abrir uma franquia?

A sua decisão por abrir uma franquia vai precisar contar com uma série de etapas para se concretizar. Cada um dos passos é fundamental para garantir que você faça um bom negócio. 

Também é importante conhecer todos os aspectos de administração da empresa, além das taxas e exigências de cada uma. A construção de uma relação sólida com o franqueador é parte importante para o crescimento da companhia.

Informe-se melhor sobre o funcionamento de uma franquia

O primeiro passo antes de adquirir uma franquia é estudar mais sobre esse tipo de negócio e as suas peculiaridades. É preciso se sentir seguro em relação aos detalhes, compromissos, direitos, deveres, riscos e oportunidades que essa decisão podem lhe trazer.

Escolha o ramo de atuação

Escolher investir em uma franquia é apenas o primeiro passo desse processo. Existem inúmeros segmentos disponíveis no mercado, e você deve decidir em qual deles pretende atuar. 

Nossa principal dica é: escolha um segmento com o qual você possui afinidade. Isso porque, a atividade se tornará parte do cotidiano. Gostar do segmento tornará seu trabalho mais simples e produtivo. 

É por este motivo que o empreendedor não deve fazer sua escolha considerando apenas o lucro. Também não vale a pena considerar, exclusivamente, marcas de franquias em ascensão. 

Se você não gostar do que faz, não terá disposição suficiente para fazer sua unidade prosperar como as demais.

Selecione uma franquia com boa reputação

Uma das vantagens de se investir em franquias é receber uma clientela já acostumada com a marca e produto. No entanto, para que isso aconteça, é necessário pesquisar e observar como essa franquia tem se portado no mercado.

Ademais, procure conversar com outros franqueados e ouvir deles como é o suporte oferecido pelo franqueador. Saber dos principais desafios enfrentados em seu dia a dia também poderá te preparar para o trabalho.

Entre em contato com a franqueadora

Quem tem interesse em abrir uma franquia precisa se inscrever no site da marca desejada. Afinal de contas, para adquirir uma unidade, o empresário tem seu perfil analisado pela franqueadora. 

Essa análise é importante para garantir que os objetivos e valores da empresa e franqueado combinam. Então, o investidor é convidado para conversar, para que as duas partes tirem suas dúvidas. 

Franqueado e franqueadora devem considerar a abertura de uma nova unidade como um bom negócio.

Estude a Circular de Oferta de Franquia

Todas as informações sobre investimento, taxas a serem pagas, direitos e deveres de franqueados e franqueadora, e características do modelo de franquia escolhido devem estar descritos na Circular de Oferta de Franquia (COF) e no contrato de franquia. Ambos documentos precisam estar de acordo com a Lei de Franquias.

Mais conhecida como COF, a Circular é um documento descrito na Lei de Franquias. Ao final do processo de seleção dos candidatos a franqueados, os futuros empreendedores devem receber a COF com 10 dias de antecedência da assinatura de qualquer documento referente à franquia.

Esse tempo foi imposto pela legislação para evitar que a franqueadora pressione os franqueados a assinarem o contrato de franquias, antes de estudarem todos os documentos com calma.

Por este motivo, na COF devem constar informações completas sobre a marca, valores e condições de investimento, responsabilidades do franqueado, produtos/serviços oferecidos pela marca, taxas que o franqueado precisa pagar, entre outras informações cruciais.

Analise o contrato de franquia

Nossa última dica diz respeito ao contrato de franquia. Depois de encontrar a empresa com a qual pretende fechar contrato, é essencial que você procure o auxílio de um advogado com experiência nesse tipo de negócio.

O contrato de franquia é complementar à COF e caracteriza como será a relação entre franqueado e franqueador. No contrato, constam informações que definem a relação entre o empreendedor que está investindo em um modelo de franquia, e o franqueador.

Assim, devem estar incluídas, de forma bastante explícita, quais são as taxas a serem pagas e os direitos e deveres de ambas as partes. Na cláusula dos direitos, é garantido ao franqueado suporte e treinamentos completos para inauguração da franquia.

O direito de uso de marca, transferência de know how, entre outros suportes também constam no contrato. Por isso, preste bastante atenção a tudo que o contrato descreve, relativo à sua atuação como franqueado e as obrigações da marca como franqueadora.

Como deveres, estão a necessidade de seguir regras e padrões estabelecidas pela franqueadora em tudo que diz respeito à unidade: atendimento aos clientes, venda dos produtos, uso de fornecedores, entre outros.

A COF e o contrato de franquia são documentos detalhados e extensos, por isso, é recomendado que os candidatos a franqueados os estudem com muita atenção. Se possível, conte com o auxílio de um advogado para leitura das documentação e assinatura do contrato de franquias.

Para compreender todos os passos e dicas para abrir uma franquia de sucesso, baixe o nosso ebook! Basta clicar no banner.

banner ebook passos abrir franquia

Se você leu este texto até aqui, já aprendeu muito sobre franquia, não é mesmo? Mas que tal saber um pouco mais?

Para um conteúdo ainda mais completo, selecionamos um vídeo sobre o assunto. Acompanhe abaixo!

Como franqueado, preciso passar por alguma avaliação?

Para adquirir uma franquia, é preciso primeiro analisar a oportunidade e compreender melhor como funciona o sistema. Em seguida, você precisará escolher o modelo que mais está de acordo com o seu objetivo.

Mas você sabia que as franqueadoras também analisam o perfil do candidato? Essa avaliação passa por várias etapas, até que seja confirmado o real interesse do futuro empreendedor.

É preciso estar alinhado com o objetivo de investir no negócio próprio, e com os valores e missão da marca. Só assim será possível fazer o empreendimento crescer como o desejado.

Veja abaixo o processo de análise de franqueados feito pelas franqueadoras.

Normalmente, o processo de avaliação dos candidatos a franqueados é iniciado logo que o interessado faz contato com a marca. Então:

  • A franqueadora envia material com informações básicas sobre o sistema;
  • Faz uma entrevista pessoal com o interessado;
  • Apresenta o negócio de forma mais detalhada e tira dúvidas;
  • Realiza a análise do perfil, considerando a capacidade de investimento do  indivíduo, seus interesses, planos, personalidade, experiências prévias etc.
  • Faz novas entrevistas do candidato, realizada por diferentes profissionais na empresa;
  • Aprova ou não o candidato;
  • Se o candidato for aprovado, envia a Circular de Oferta de Franquia (COF) para que seja estudada em, no mínimo, 10 dias;
  • Aguarda a decisão do candidato.

Logo que faz o pagamento da taxa de franquia, o candidato já se torna franqueado. Então, passa a realizar o processo de implantação do negócio, para que tudo fique pronto e apto a funcionar. 

Desse momento em diante, o empreendedor também passa a contar com os suportes oferecidos pela marca. Começando pelo treinamento, essencial para a sua operação dentro dos padrões da empresa.

Responsabilidades do franqueado

As responsabilidades do franqueado são bem importantes e fazem parte da vida de todo empreendedor. 

Apesar do suporte de áreas diferentes da franquia, a ação mais importante, que faz o empreendimento “andar” de verdade, depende do franqueado empreendedor.

É ele quem realiza a gestão total e direta da empresa. Veja, a seguir, quais são essas responsabilidades.

  • Gerir, investir e reinvestir no negócio;
  • Assegurar a gestão de pessoal qualificado e com perfil adequado;
  • Remunerar o franqueador pelo uso do sistema (pagamento dos royalties);
  • Seguir e preservar as regras e padronização do sistema;
  • Contribuir para o aperfeiçoamento do sistema, dando retorno da operação para o franqueador.

Desempenho do setor de franquias no Brasil

Agora que você já sabe o que significa franquia, deve estar se perguntando se vale mesmo a pena investir no setor. Sem dúvida, sim! E não apenas pelas vantagens que as franquias trazem, mas pelo potencial do setor.

Para se ter uma ideia, apenas em 2019 o franchising faturou R$ 186,7 bilhões. O crescimento foi de 6,8% em relação aos ganhos de 2018.

Já em relação ao número de unidades, o setor de franquias registrou crescimento de 4,7%. Em 2019, foram quase 1,4 bilhão de empregos gerados pelas unidades franqueadas e pelas franqueadoras.

Ainda vale destacar que o número de redes, marcas de franquias, subiu para 2.918, um aumento de 1,4%. Sem contar a média de unidade por rede, que subiu 3,4%, chegando a 55,2.

Veja abaixo informações sobre faturamento e crescimento em cada ramo do franchising.

dados abf franchising 2019
Dados: ABF, 2019.

Todos os números são da ABF e demonstram a lucratividade e potencial do setor como um todo. Cada unidade de franquia contribui para o ramo, o que também demonstra o potencial de faturamento de cada unidade.

Os valores que cada empreendedor fatura variam de acordo com a rede. Mas não é difícil encontrar empresas que faturam, em média, R$ 50 mil por mês. 

Isso é algo que garante, por exemplo, retorno rápido do investimento. Ainda segundo a ABF, esse retorno acontece, na maior parte das franquias, entre 24 e 36 meses.

Em que setor de franquia investir?

Como nós explicamos antes no texto, na hora de abrir uma franquia, é essencial que você escolha uma franquia pela qual tem interesse. 

Você precisa gostar da atividade que vai realizar, para que mantenha o entusiasmo de investir tempo e dinheiro no negócio.

De qualquer forma, é importante dizer que o franchising é dividido em 11 setores. A classificação é feita pela ABF e visa facilitar a apresentação dos dados do franchising. Como te apresentamos no tópico anterior.

A seguir, nós apresentamos o crescimento do faturamento de cada ramo, e seu número de redes de microfranquias. As microfranquias são as franquias com investimento máximo de R$ 90 mil, e geralmente são do tipo home office.

SetorAumento do faturamento (2019)Redes de microfranquias no segmento (2018)
Alimentação5,6%72
Casa e Construção10%63
Comunicação, Informática e Eletrônicos10%87
Entretenimento e Lazer5,4%3
Hotelaria e Turismo5,2%12
Limpeza e Conservação4,7% 36
Moda5,7% 29
Saúde, Beleza e Bem-estar7,2%96
Serviços automotivos 7,2%28
Serviços e outros negócios8,3%80
Serviços educacionais7,4%83

Sabendo de tudo que apresentamos neste texto, será mais simples colocar seus planos em prática! Pesquise pelos principais segmentos de franquias do Brasil e verifique dados como o investimento inicial e taxa de franquia.

Ser um franqueado significa ter independência no seu trabalho e, ao mesmo tempo, ser parceiro do dono do negócio! Compartilhe esse artigo nas redes sociais e mostre para outras pessoas como abrir uma franquia pode ser vantajoso.

Autor: Karen Costa (Editora Encontre Sua Franquia)
22 de Maio de 2020

Ficou interessado em alguma franquia?

Preencha o formulário e fale com um consultor das nossas marcas.

Matérias relacionadas:

Best Top Male Enhancement Products|Easy Fat Burning Meals|Purekana Location|