fbpx
  • Fale Conosco:

    (31) 3654-5664

  • E-mail:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Encontre sua Franquia

Aprenda a escolher a franquia certa para você com essas 7 dicas!


Escolher a franquia ideal precisa ser uma tarefa cuidadosa, com análise que vai além do lucro. Acompanhe o texto e descubra algumas dicas sobre o assunto.

Abrir uma franquia é uma ótima opção para quem pretende empreender. No entanto, antes de entrar no franchising, você precisa ficar atento a cada detalhe desse mercado. São muitas as particularidades e vantagens deste tipo de negócio. Escolher a franquia certa é parte fundamental do processo. 

Definir a melhor franquia precisa ser uma tarefa bem pensada. Acima de tudo, para ter a certeza de que você, empreendedor, está assumindo um negócio estruturado e com retorno positivo.

Para te ajudar nessa missão, este post traz dicas fundamentais de como escolher a franquia mais vantajosa e maximizar as suas chances de sucesso!

Como escolher a franquia certa?

1. Conheça o seu perfil e não decida nas primeiras conversas

Para ter sucesso em qualquer negócio, é fundamental gostar do que faz. Também avalie se você se sentiria bem seguindo as regras da franqueadora. É a dona da marca que define os padrões para o atendimento, divulgação e organização da franquia. 

Você pretende abrir uma franquia pelas facilidades do negócio. Mas, também, para receber suporte e se apossar do know-how da franqueadora.

Então, não faz sentido desrespeitar as premissas da franqueadora ou tentar mudar os processos, que já foram testados e praticados com larga margem de acerto.

A melhor maneira de encontrar a franquia que se encaixa ao seu perfil é, primeiro, definir com o que você deseja trabalhar. Depois, é importante questionar a franqueadora sobre as suas normas e falar abertamente sobre o que você pensa do futuro do negócio. Marque quantas reuniões for preciso e nunca saia com dúvidas.

Também não escolha uma franquia apenas por ela parecer estar na moda. Se ela nada diz sobre o seu perfil empreendedor ou suas qualificações profissionais, tem chances de não ser um bom negócio.

Por isso, nas reuniões pré-assinatura do contrato, faça perguntas sobre cada detalhe. Quanto mais conhecer as peculiaridades da marca, mais chances de sucesso o empreendedor terá.

É importante entender que o produto comercializado pela empresa, apesar de fundamental, é apenas um dos pontos a considerar. 

Os exemplos de sucesso, assim como os de fracasso, acontecem nos mais diversos ramos. Seja no de alimentação, turismo, ensino e tantos outros. Por isso, é importante saber o que você deseja e descobrir se a franquia está preparada para atender aos seus anseios.

Que perguntas fazer à franqueadora?

  • Quando a empresa iniciou e em que momento decidiu vender franquias?
  • Qual o suporte fornecido aos franqueados?
  • Que tipo de treinamento a empresa oferece e de que forma ele é aplicado antes, durante e depois do contrato fechado?
  • Quantas unidades da marca já fecharam as portas e por quê?
  • A empresa conta com alguma projeção de crescimento?
  • Os produtos são padronizados ou possuem alguma diferenciação de região para região?
  • Qual o valor do investimento durante todo o processo, até que a empresa comece a dar lucro?
  • Como funciona a definição do uso da marca em determinada região? Esse uso é exclusivo ou outros empreendedores poderão abrir franquias próximas?
  • Existe um perfil de consumidor? Como ele é definido?
  • Qual é o tempo de dedicação que o empreendedor deve dispor para a empresa?
  • Existe concorrência? A marca tem alguma ação para diminuir o impacto da concorrência no seu produto?
  • Quais as regras para a rescisão do contrato, caso você não fique satisfeito com os resultados do empreendimento?

Respondendo a essas questões, é possível ter noção se a rede supre suas necessidades, e se você conseguirá cumprir com o compromisso assumido.

2. Faça uma pesquisa sobre a estabilidade e o sucesso da franquia

Para ter sucesso, uma franquia precisa ser instalada no lugar adequado, para o público adequado. Por isso, você deve fazer uma pesquisa sobre os ambientes onde a franqueadora tem mais sucesso e analisar se o seu ponto comercial conta com esse público-alvo.

Redes que costumam fechar com facilidade e não conseguem se estruturar em algumas localidades devem receber atenção especial. Talvez elas sejam de confiança, mas foram lançadas em regiões onde a população não aderiu à ideia. Avaliar esses insucessos pode dar uma visão mais clara sobre o que fazer ou não com a sua unidade.

Para toda essa análise, faça uma boa pesquisa de mercado. Também avalie se o plano de negócio da companhia está completo, e se o seu planejamento está pautado no mercado.

3. Verifique o apoio e a estrutura oferecidos ao franqueado

Ao abrir um negócio, existem duas possibilidades bem definidas. A primeira consiste em um negócio iniciado totalmente do zero. Nele, o empreendedor decide todos os pormenores e constrói a empresa de acordo com seus conhecimentos. Ou então, contrata alguém para fazer isso. 

Já a segunda forma equivale à aquisição de uma franquia. Uma franquia já possui a formatação do negócio e pessoas preparadas para tirar as dúvidas do empreendedor. A marca ainda ajuda nas principais questões estruturais de um empreendimento.

Se você não receber apoio para ter vantagem competitiva no mercado, não faz sentido optar por uma franquia.

Muitas redes de franquias oferecem suporte por telefone e e-mail, apenas como um protocolo. Elas até ajudam a solucionar algum imprevisto de modo pontual. Porém, você precisa de uma empresa que esteja disposta a fazer a sua unidade crescer e se tornar competitiva frente às outras redes e o mercado local.

Um dos principais fatores que a franquia deve ficar atenta é sobre metas. Se o franqueado não estiver atingindo os resultados, é preciso ter uma carta na manga e um suporte estratégico para melhorar a maneira de prospectar. Ou seja, para ser vantajosa, a franqueadora precisa oferecer suporte próximo e completo.

Sempre imagine a empresa em funcionamento e perceba quais são as dificuldades que ela pode encontrar. Onde estão os maiores desafios? Quais são os problemas que você consegue resolver? Em quais casos você vai precisar do auxílio da franqueadora? Ela vai oferecer esse auxílio?

Não deixe que o sonho de ser empreendedor se torne um pesadelo por não poder contar com aqueles em quem você depositou sua confiança.

4. Converse com outros franqueados sobre o negócio

conversa com franqueado
Saber o que os atuais franqueados acham da franquia te dará mais segurança para investir.

Depois de algumas conversas e entendimento sobre a proposta, as redes entregam ao empreendedor um documento conhecido como COF (Circular de Oferta de Franquia). Por meio dele, o candidato a franqueado recebe uma série de informações sobre a rede, como suas normas e projeções de crescimento. 

O documento também costuma contar com números de telefone de outros franqueados e, até mesmo, daqueles que já saíram da rede. Essa é uma ótima oportunidade para entrar em contato com os empreendedores, falar sobre a proposta e perguntar se a empresa cumpre suas promessas. Ainda é uma maneira de compreender a satisfação financeira e a aceitação do mercado quanto à marca.

Ao mesmo tempo, é importante ir além das sugestões da franqueadora sobre franqueados ativos ou que já deixaram o negócio. A melhor coisa a se fazer é encontrar outros três ou quatro, conforme seus próprios critérios, e entrar em contato com eles.

O histórico da rede conta muito. Franqueados satisfeitos e com mais de uma unidade em funcionamento são ótimos indicadores de sucesso. 

5. Avalie o marketing da marca

As redes de franquias costumam ter uma estratégia de divulgação de acordo com a necessidade e a expansão da marca. Você deve analisar se essas estratégias atingem a sua região e se elas são interessantes para o seu público.

Imagine o seguinte: você está pensando em ingressar no ramo de ensino de idiomas. É possível encontrar interessados nas mais diversas regiões. Porém, se outras marcas têm um marketing mais expansivo, invasivo e interessante para o seu público, é possível que você não consiga uma fatia do mercado. Isso inviabilizaria o negócio.

Dessa forma, é preciso descobrir se a marca é conhecida na região, e se as pessoas vão comprar a ideia. Até porque, se você está pagando por algo, é natural que pense em receber todo o aporte desse investimento. 

Se as ações da empresa são voltadas para um público diferente do seu, é bem provável que você não tenha nenhum benefício com esse plano de marketing. Nesse caso, ele seria um investimento desnecessário. A franqueadora deve oferecer soluções personalizadas para o seu caso, para que o marketing seja eficaz.

6. Compreenda tudo sobre o investimento que vai realizar

Uma franquia sempre possui uma estimativa de custos, estabelecida na COF. Nela, estão inclusos valores como capital de giro, gastos com a formalização do negócio e outras despesas embutidas no plano da franquia.

Você precisa entender para onde vai cada valor disponibilizado à franqueadora, e qual será o retorno desse investimento. Até porque, o planejamento garante a previsão do prazo de retorno dos valores. Algo muito importante, já que, ao empreender, o seu objetivo é obter lucro com esse investimento.

Na hora de investir, é indicado não utilizar nenhuma unidade como exemplo de gastos. Isso porque, cada cidade e região tem uma realidade, e os custos dos empreendedores variam.

Um dos pontos que mais se diferencia é o preço do aluguel para a instalação da empresa.

O investimento sugerido pela rede de franquias, normalmente, abrange apenas o suficiente para implantar a unidade. Ainda assim, o empreendedor é responsável por providenciar uma reserva, para se equilibrar em tempos difíceis ou até obter retorno.

Vale a pena conversar com a franqueadora sobre a sua necessidade de capital de giro. Como já tem experiência com a marca, a empresa poderá indicar números mais próximos do real.

É importante lembrar que, no universo dos negócios, nem sempre existe um cálculo exato. Porém, é preciso trabalhar para maximizar as chances de alcançar o sucesso, e isso vem por meio do planejamento da companhia.

7. Escolha uma franquia confiável

imagem ilustrativa franquia certa bom faturamento
Abrir a franquia certa para o seu perfil aumenta muito as chances de sucesso do seu negócio.

Depois de pesquisar e analisar todos os itens citados até aqui, chegou a hora de decidir qual é a franquia mais confiável. Para isso, é preciso considerar cada detalhe: seu poder aquisitivo, a região escolhida para abrir o negócio, os trâmites legais, e até a capacidade de expansão. 

Como mencionamos, usar uma outra unidade de exemplo pode não ser uma boa ideia. Mas você pode se tornar cliente das lojas que já estão atuando. Assim, poderá avaliar como elas trabalham e se seus produtos são realmente interessantes. Porém, se tudo for desorganizado e mal feito, provavelmente será melhor pensar em outra marca ou outra opção de negócio.

Levando em consideração esses itens, aliados aos seus conhecimentos sobre empreendedorismo, escolher a franquia ideal pode se tornar uma tarefa mais fácil.

Segundo a ABF, o tempo médio de retorno de uma franquia fica entre 18 e 36 meses. Contudo, com planejamento, dedicação e uma boa escolha da franquia, você já terá meio caminho andado para o sucesso.

Lembre-se: essa é uma via de mão dupla. A franqueadora deve estar preparada e fornecer um suporte completo, e o empreendedor também precisa estar pronto para implantar a sua unidade. 

Este post esclareceu suas dúvidas? Para ler mais conteúdos sobre negócios e franquias, você pode acessar o nosso blog.

Sair

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *