fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Encontre sua Franquia

Comprar franquia de Corretora de Seguros é um bom negócio?


Comprar uma franquia de Corretora de Seguros pode ser uma decisão difícil para qualquer empresário. A escolha deve ser muito bem avaliada e estudada para garantir que está fazendo o melhor negócio. 

Uma das vantagens de entrar para esse segmento é que a maioria das marcas não irão exigir que o empresário tenha algum tipo de experiência na área, seja para ser aceito ou não. 

Além disso, o mercado de corretagem de seguros oferece uma variedade de serviços e modelos de negócios que são perfeitos para todos os tipos de bolsos, e não só isso, permite que você tenha diferenciais em um mercado com boas perspectivas. 

Muitas das empresas que oferecem esse forma de empreendimento, também oferecem planos de saúde, consórcios, financiamento, previdência etc. Uma das corretoras, a Quisto, tem um portfólio com mais de 90 opções por exemplo. 

Por isso, para ajudar você a achar qual a melhor franquia e descobrir se é um negócio rentável ou não, preparamos o artigo a seguir. Acompanhe!

Como comprar uma franquia de Corretora de Seguros?

Para comprar uma franquia de Corretora de Seguros é preciso estudar o setor, conhecer as marcas em que tem interesse de investir e confirmar se o seu capital financeiro está de acordo com o que o empreendimento pede, sem que isso prejudique a sua qualidade de vida.

Por se tratar de um processo delicado, separamos algumas dicas para que você consiga montar um bom plano e faça uma análise completa e sem margem para erros. 

1. Conheça os desafios da corretagem de seguros

O primeiro passo para quem deseja comprar uma franquia de Corretora de Seguro é descobrir se essa é uma área que realmente tem haver com o que você busca como empreendedor. 

Por mais que seja um setor atrativo, vamos mostrar dados que comprovam isso ao longo do texto, o mercado possui alguns desafios que para superá-los é preciso que tenha um pouco de conhecimento e boa vontade de atuar na área.

Abrir um negócio, seja ele próprio ou franquia, irá demandar muito tempo do seu dia, mais que as convencionais oito horas de trabalho. Por isso é importante que você tome cuidado que esse empreendimento não seja um peso. 

Dessa forma, se você tem o hábito de conversar com pessoas, gosta do contato e tem uma boa conversa, esse é o setor certo para você. Outro desafio que o empresário irá encontrar nessa área é como associar os costumes e estilo de vida dos clientes para indicar os melhores seguros.

Podemos dizer que o empresário também precisa atuar na linha de frente, goste do que faz, queira mais. Além de ser confiante o suficiente para enfrentar todos esses desafios do setor de corretagem.

Por fim, não deixe de se conhecer como empresário. Entender quais os seus pontos fortes e fracos para que possa aprimorá-los e utilizá-los da melhor forma possível, atingindo assim, o melhor desempenho do seu negócio. 

2. Descubra a sua capacidade financeira

Talvez essa seja uma das características mais importantes para quem deseja abrir qualquer tipo de negócio. 

Comprar uma franquia de corretora de seguros pode parecer que não necessita de um investimento inicial muito alto, porém, se não houver um bom planejamento financeiro, esse pode ser o primeiro passo para o fracasso. 

Só fazendo esse tipo de levantamento, que será possível conhecer o caminho do seu dinheiro e qual a sua real capacidade de entrar no negócio sem correr riscos desnecessários. 

Caso identifique que ainda não seja o momento, uma das soluções é procurar um sócio ou entrar em algum programa de financiamento em bancos como Itaú, Banco do Brasil, Caixa Econômica etc. 

O primeiro passo deste estudo é conhecer de onde o seu dinheiro vem, qual a sua principal fonte de renda no caso. Após isso, levante todas as saídas e as separe por despesas obrigatórias e bobas, ou seja, aquelas que podem ser retiradas. 

Se você sonha em ter um empreendimento e não faz esse estudo, essa prática precisa entrar na sua rotina o quanto antes. 

Após levantar as entradas e saídas, cancele as que forem consideradas fúteis, negocie seus planos de tv, internet e telefone, reduza suas contas de água e luz por exemplo.

Podemos dizer que graças a essa prática, o futuro empresário adquire a capacidade diferenciada de lidar com o seu dinheiro. Como consequência, ele fica mais bem preparado para lidar com crises, recessões ou mudanças que podem afetar o seu negócio. 

Ao entender como o seu dinheiro trabalha, será possível identificar qual o tipo de investimento você pode entrar, seja uma microfranquia ou uma franquia convencional. Para entender a diferença entre elas, veja o vídeo a seguir!

3. Analise a Circular de Oferta de Franquia (COF)

Após compreendermos o mercado e estudar a capacidade financeira, é hora de escolher qual a melhor marca para você comprar a franquia de corretora de seguros. E essa parte só é possível por meio da Circular de Oferta de Franquia (COF)

É por meio desse documento, que os candidatos têm acesso a informações referentes as obrigações da franqueadora e quais suas obrigações como franqueado para que o contrato seja preservado. Neste documento você irá encontrar informações como:

  • Dados sobre a franqueadora, como CNPJ e endereço da sede;
  • Histórico da marca;
  • Balanço e demonstrações financeiras;
  • Pendências judiciais;
  • Relação de franqueados;
  • Franqueados ativos e que se desligaram nos últimos 24 meses;
  • Equipe da franqueadora;
  • Informações sobre o mercado;
  • Descrição do negócio;
  • Características dos modelos de negócio da marca de franquia;
  • Perfil desejado do franqueado;
  • Estimativa de investimento pelo franqueado, com descrição das taxas cobradas;
  • Estimativa de ganhos financeiros;
  • Regras sobre território (se haverá exclusividade ou não de atuação por um franqueado em determinada área);
  • Lista de fornecedores para atuação na franquia;
  • Lista de apoios prestados pela franqueadora;
  • Situação do franqueado após o término ou rescisão do contrato de franquia.

Além disso, a COF também serve como uma garantia de que nenhum dado importante está sendo escondido. Caso o empresário tenha alguma dúvida, o aconselhável é procurar um advogado para que ele ajude nessa analise dentro das suas competências. 

De acordo com a  Lei do Franchising, a COF só pode ser assinada após 10 dias do seu recebimento. Caso o acordo seja selado antes desse período, o contrato é invalidado. Por isso estude, leia os tópicos, pesquise em outras marcas com calma. 

Entenda o que é a COF e como ela é importante para os empreendedores no vídeo a seguir. Acompanhe!

4. Pesquise sobre a marca

Uma das obrigações da COF é apresentar os dados e informações referentes aos atuais e ex franqueados dos últimos dois anos. E esse é um tópico muito importante antes de você decidir comprar qualquer franquia de corretora de seguros. 

Com isso em mãos, entre em contato com os demais franqueados. Descubra como é o negócio na prática, se a marca cumpre com todas as suas obrigações, se está valendo a pena ou não investir etc. Faça perguntas pertinentes que irão ajudar você a desenvolver o seu empreendimento. 

O mesmo vale para os que não fazem mais parte da rede de franqueados. Em alguns casos, eles são os que melhor irão dar uma visão do que realmente acontece com a franquia. Seja devido ao tempo em que ficou no empreendimento, seja por alguma experiência ruim. 

O importante é sempre ouvir os dois lados, investir nem sempre é um mar de rosas e como já vimos, virão desafios ao longo da sua jornada. Por mais que abrir uma franquia pareça ser garantia de sucesso, as coisas podem sair do caminho ideal se não houver uma boa preparação. 

De acordo com Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apenas 5% das franquias fecham antes de completar dois anos, quase cinco vezes menos que empresas abertas do zero. 

5. Identifique as taxas que serão cobradas

Outro fator que deve ser levado em consideração na hora de comprar uma franquia de corretora de seguros são as taxas e comissões com a qual ela trabalha. Esses valores estarão presentes durante todo o seu contrato e não sofrerão alterações. 

Dessa forma, o aconselhável é observar quais as despesas necessárias para que o empreendimento se sustente e qual a rentabilidade média proposta pela marca. 

Ou seja, uma franqueadora faz seu estudo com base nos números da sua rede para determinar um valor médio de faturamento. 

Com essa média, é possível fazer um cálculo com base nos gastos mensais para manter o negócio e descobrir em quantos meses é possível obter retorno sobre o que foi investido. Por isso, sempre opte por aquele modelo que conseguir casar os bons resultados com um bom atendimento. 

Com relação as taxas, é preciso conhecer as duas principais quantias mensais: royalties e fundo de propaganda. No vídeo a seguir, é possível entender melhor o que é uma dessas taxas e como ela funciona. Veja!

6. Levante os valores referentes a comissão

Após analisarmos as taxas, chegou a vez de olhar sobre o fator que fará o negócio andar de fato: a comissão. Ao estudar as franquias para saber qual realmente investir, o empresário precisa estar ciente de todos os valores referentes as comissões. 

Elas variam de acordo com o tipo de serviço vendido. A seguir vamos apresentar os valores trabalhados pela Quisto Corretora de Seguros como exemplo.

  • Seguro Automóvel: De 10 a 25% (em média 20%)
  • Acidentes Pessoais: Em torno de 10 a 40% pago mensalmente, com ou sem agenciamento (100 a 200% da 1º parcela)
  • Empresarial: De 10 a 40% (em média 30%)
  • Seguro Condomínios: De 10 a 30% (em média 22%)
  • Responsabilidade Civil: De 10 a 30%
  • Risco de Engenharia: De 10 a 50% (em média 22%)
  • Seguro Imobiliário: De 5% a 70%
  • Frotas de Veículos: De 10 a 25% (em média 16%)
  • Carta Verde: De 25 a 40% (em média 30%)
  • Consórcios: De 2 a 5% do prêmio
  • Seguro Residencial: De 20 a 45% (em média 32%)
  • Seguro de Vida Individual e Coletivo: De 10 a 40% pago mensalmente ou 100 ou 200% da 1º parcela
  • Previdência Privada: Em geral 100% da 1º contribuição mensal + de 10% a 12% da Taxa de Administração Financeira do fundo atrelado ao plano (a TAF varia de 0,7% a 2,5% ao ano) pago mensalmente
  • Fiança Locatícia: De 15 a 35%
  • Seguro Viagem: De 10 a 35%
  • Planos Odontológicos: Até 100% de agenciamento, e de 5 a 12% de comissão enquanto o plano existe
  • Seguro Saúde Empresarial: Até 300% de agenciamento + 2% de comissão vitalícia sobre o valor da fatura mensal
  • Plano de Saúde individual: até 100% de agenciamento

Por que comprar uma franquia de Corretora de Seguros?

Falamos anteriormente no texto sobre como o mercado é atrativo e bom para quem deseja investir. E isso é comprovado pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização – Confederação Nacional das Seguradoras (Cnseg).

Segundo o seu levantamento anual, em 2019, as seguradoras brasileiras registraram um faturamento próximo a R$ 200 bilhões no total. Mais de 12% maior que o ano anterior a pesquisa. 

E muito desse processo, se deu graças ao retorno do poder de compra do brasileiro. Porém, como nem todos tem condições de arcar com investimento tão altos duas vezes, é preciso recorrer a esse tipo de serviço. 

De acordo com a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), houve um aumento de 14,8% na contratação de seguros em geral. Os mais procurados são disparado os de vida e automóveis. 

Ambos movimentaram quase R$73 milhões em 2018, como mostrou um levantamento feito pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). 

Apesar do avanço para o setor de automóveis, o seguro de vida ainda é o que mais atrai os brasileiros. Pelo quinto ano seguido, ele se mantém no topo e registrando alto crescimento. 

Os bons números do setor acabam se refletindo no número de franquias de corretora de seguros no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), esse é o quarto maior segmento. 

A seguir, veja como comprar uma franquia de corretora de seguros pode ser vantajoso para você. Assista!

Quanto custa uma franquia de Corretora de Seguros?

Os custos de uma franquia Corretora de Seguros varia de marca para marca. Existem algumas que exigem um investimento inicial baixo, porém não oferece um bom treinamento. Ou aquelas que cobram muito alto e entrega do bom e do melhor para seus franqueados. 

Por isso é muito importante estudar bem e conhecer as reais vantagens de entrar nesse empreendimento. Assim, separamos os pontos que você deve se atentar e observar na hora de escolher em qual marca investir, de acordo com o seu custo benefício. 

Taxas

Falamos anteriormente sobre como as taxas são importantes na hora de comprar a franquia de Corretora de Seguros. Agora vamos aprofundar um pouco mais nelas para entender como elas nos beneficiam. 

Toda empresa deve constar na sua proposta o valor da sua taxa de franquia. Esse valor é referente ao direito do empresário de explorar comercialmente a marca e utilizar do seu know how para alavancar o seu empreendimento. 

Esse é um valor pode variar de acordo com o tipo de unidade que você opta — home office ou unidade física, mas pode manter o mesmo como no caso da Quisto Corretora de Seguros.

Além desse valor, também será necessário observar se os royalties e o fundo de propaganda são fixos ou referentes a percentual do faturamento bruto, capital de giro necessário e valor por serviços extras.

Duração do acordo

Todo contrato possui um começo e fim. No mundo das franquias isso não seria diferente. Os acordos possuem um data limite e caso seja do interesse do franqueado, ele pode ser renovado ou não. 

Porém, é importante que o empresário observe bem o período em que esse contrato terá de validade, pois ele não pode ser menor que a previsão do retorno de investimento. Ou seja, se uma marca prevê que em até 12 meses o empresário pagará o investimento, o contrato terá que ter uma duração maior. 

O maior risco de não prestar atenção nessa cláusula do contrato, é na hora de fechar o contrato de aluguel com o ponto comercial. Se esse acordo durar mais que o da franquia, o empreendedor corre o risco de ficar preso ao contrato de locação até o final do período.

Por causa disso, a duração do acordo tem grande influência quando falamos dos custos para comprar uma franquia de corretora de seguros.  

 Como pudemos observar ao longo do texto, iniciar um empreendimento de corretagem de seguros exige alguns estudos para que ele seja considerado um sucesso e alcance as metas traçadas na assinatura do contrato. 

Para isso, antes de optar pela franquia, é preciso compreender o mercado, entender a sua capacidade financeira, ler a COF, pesquisar os concorrentes e identificar as despesas e possíveis lucros.

Gostou e gostaria de entender um pouco mais sobre as vantagens de comprar uma franquia de corretora de seguros? Leia o artigo para entender se compensa abrir um negócio no setor de seguros!

Sair

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *