fbpx

Nos filmes futuristas que vemos nos cinemas a realidade virtual sempre aparecia como um exemplo que desenvolvimento tecnológico. Principalmente nos anos 80 e 90, quando se falava em futuro vinham cenas de carros voadores, viagens ao espaço e realidade virtual.

Os carros voadores ainda não são uma realidade tão próxima das pessoas comuns, viagens espaciais muito menos, mas a realidade virtual é bem acessível a vários usuários.

Por definição, o ambiente virtual ou Realidade Virtual é uma tecnologia cujo mecanismo é aplicado a uma interface que conecta os usuários e utiliza um sistema informatizado, para construir uma plataforma realista e proporcionar ao visitante uma sensação de que o que se está vendo é praticamente parte do real.

Ao induzir efeitos visuais, sonoros e até táteis, a realidade virtual permite a imersão completa em um ambiente simulado, com ou sem interação do usuário.

A Realidade Virtual é a interface do computador com o usuário, que permite a interação entre eles e utiliza a informática com o fim de criação de efeitos reais no modo virtual.

Os elementos são interativos e alguns com aspectos tridimensionais, sendo o ambiente 3D formatado por um computador e possibilita a realização de uma navegação real pelo usuário.

A forma como é feito este efeito de imersão é com o uso da estereoscopia, onde a ilusão de profundidade é criada, apresentando mais um elemento de imersão para a realidade virtual. Para que isso acontece, duas imagens diferentes são geradas, uma para cada olho. O efeito consiste na interpretação do cérebro de que as duas imagens na realidade são uma só.

Atualmente, a realidade virtual tem como base displays estereoscópicos como óculos e headsets, sendo divulgada em sua maioria para o entretenimento. Mas não é só neste setor que é possível empreender e lucrar com a realidade virtual.

Esta tecnologia, que cada vez ganha mais adeptos, pode ser utilizada para os mais variados fins, e com isso, é possível ganhar dinheiro utilizando esta tecnologia em várias áreas, como mostraremos a seguir.

Entretenimento

 

Em um primeiro momento, quando se fala em realidade virtual, logo lembramos de jogos de entretenimento, onde costumeiramente se concentra a maior parte desta tecnologia acessível ao grande público.

Atualmente, são diversos dispositivos que permitem aos jogadores de jogos virtuais se inserirem no mundo dos games de forma bem realista. Dispositivos já bastante conhecidos são Oculus Rift ou Samsung Gear VR, este último um aparelho que permite acoplar o celular para se transformar em um óculos de realidade virtual.

Estão se espalhando pelo Brasil lan houses que possibilitam aos jogadores terem acesso a dispositivos de realidade virtual para aumentar as experiências nos mais variados games. Há também a possibilidade de se transportar os usuários para outros países, montanhas russas, pontos turísticos, entre outros.

Nesta linha, chegou ao Brasil este ano a franquia GE Motion, também especializada em realidade virtual. No aparelho comercializado pela franquia, o usuário será inserido em um ambiente de 9 dimensões, onde terá toda a sensação de que está em um mundo virtual.

Além do mais, na própria cabine da GE Motion há saídas de ar que dão a sensação de um ambiente externo, tornando a experiência ainda mais emocionante. Além de tudo isso, a cabine, através de amortecedores, dá toda a ambientação de movimentação, combinada com as mais de 100 experiências virtuais disponíveis no aparelho, entre elas incluem jogos de ação que podem ser controlados pelo usuário através de uma manete.

Segundo o direitos executivo da GE Motion, Henrique Mol, a franquia é uma ótima opção para o empreendedor que deseja investir neste mercado tão em alta que é a realidade virtual.

“É um modelo que foi desenvolvido para ser colocar em locais com grande fluxo de pessoas, como shoppings e aeroportos. O contrato da franquia é de dois anos onde a maquina fica locada para o franqueado. É um modelo de altíssimo retorno financeiro, onde o franqueado consegue rentabilizar até o final do contrato em torno de 300 mil reais” finaliza o executivo. O investimento inicial para se tornar um franqueado é de 90 mil reais.

Saúde

Em algumas escolas de medicina dos Estados Unidos já está se usando realidade virtual para os estudos anatômicos do ser humano, além de treinamento para cirurgias mais complexas. A realidade virtual propicia um ambiente seguro de estudo no qual futuros médicos podem visualizar conceitos bem como treinar procedimentos sem colocar em risco a vida de pessoas de verdade.

Outra possibilidade de uso para a realidade virtual é no tratamento de fobias, onde o paciente é colocado “frente a frente” com seus medos, possibilitando um melhor tratamento.

Nesta área, os desenvolvedores de softwares destinados a tais aplicações terão um mercado muito amplo por todo o mundo para investir nestas novas tecnologias.

Educação

Algumas escolas pelo mundo já aplicam a realidade virtual no ensino das crianças. Como uma forma descontraída de ensinar, a educação pode atrair mais e tornar o aprendizado mais eficaz. São softwares que permitem aos alunos interagir com a matéria dada, se tornando uma ótima forma de atingir o público jovem, que atualmente, já está bem inserido em novas tecnologias.

Em um futuro não muito distante, cursos poderão ser dados à distância através da realidade virtual, onde o aluno, sem sair de casa, poderá se sentir em sala de aula, ter acesso a materiais didáticos cada vez mais realistas, possibilitando melhor aprendizado.

Marketing

A experiência de compra do futuro por meio da realidade aumentada pode tornar o processo mais seguro, por meio da digitação da senha em um ambiente totalmente privado, e até mais personalizada, por exemplo, com experimentação virtual de roupas e acessórios.

O ambiente virtual, no caso, pode ser criado a partir do uso de óculos que transporta o consumidor tanto para uma experiência imaginária, ou real com imagens, sons, e outras sensações que tenham sido criadas para replicar a vivência do mundo real.

realidade-virtual

Uma das aplicações mais promissoras da realidade virtual é no e-commerce. O uso dos óculos de VR recria os ambientes e permite que o cliente “passeie” pelas gôndolas de um supermercado virtual, ou mesmo compre roupas “experimentando” o estoque em alguns minutos – algo extremamente prático, eficiente e convidativo.

As grandes marcas têm sido as primeiras a mostrar seu interesse na realidade virtual em campanhas de marketing. Na verdade, o fato delas possuírem os bolsos mais cheios conta bastante nesse pioneirismo, uma vez que a produção deste tipo de conteúdo ainda não é tão acessível.

É preciso driblar alguns obstáculos que vão além de hardware e software, como a falta de exemplos práticos e experiência de profissionais na área, que ainda é considerada muito nova.

Já é possível ver pelo mundo experiências de marketing que envolvam a realidade virtual. Uma fabricante de carros já possibilita test drives em um dos seus modelos através da realidade virtual. Na mesma linha, marcas famosas de roupas já transportam seus consumidores para os desfiles da marca em diversos países.

Supermercados e lojas de departamentos também já possibilitam seus consumidores acessarem seus show rooms com a realidade virtual, possibilitando uma experiência única de compra. Conforme a utilização da realidade virtual, maiores serão as oportunidades de desenvolvimento da tecnologia, que poderá envolver ainda outros sentidos, como o tato e o toque, para tornar a experiência mais real e sensorial.

Se, atualmente, a realidade virtual oferece uma série de oportunidades para desenvolvimento de negócios e engajamento de marcas, no futuro, será possível criar um ambiente de simulação em escalas maiores possibilitando aos consumidores sentirem como um tecido cai no corpo ou apreciarem o aroma de um prato que acabou de sair do forno.

Turismo

Engana-se quem pensa que apenas marcas podem se beneficiar da RV em suas estratégias de marketing. Um bom exemplo de como a tecnologia pode ser aplicada ao turismo é o case da Cidade do Porto, em Portugal.

Em 2016, a Câmara da cidade decidiu investir em um aplicativo para iOS e Android que pode ser utilizado com o Cardboard. A ideia é que os utilizadores possam passear virtualmente por locais icônicos de Porto e, além disso, um conjunto personalizado de óculos com a imagem corporativa da cidade também foi lançado.

Outras possibilidades se abrem, como parques de diversões podem atrair consumidores com a possibilidade de um passeio em uma montanha russa através da realidade virtual, ou então cidades turísticas que tentam atrair viajantes do mundo todo, com a inserção da realidade virtual em suas campanhas de divulgação.

cardboard

Um mundo amplo se abre com as novas tecnologias, que passam por óculos de última geração, com softwares avançados, mas também com meios mais básicos, como os modelos de cardboards, que são óculos construído com papelão, lentes especiais, imãs, e nele é acoplado um smartphone com o sistema operacional Android.

Através do óculos é possível visualizar imagens reproduzidas em 3D, e games que simulam um ambiente virtual que interagem com os movimentos capturados pelo acelerômetro e o giroscópio do aparelho.

Assim, em pouco tempo, apenas com o celular e um software as experiências de realidade virtual ficarão cada vez mais acessíveis, abrindo assim um mundo inteiro de possibilidades para ganhar dinheiro neste mercado.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Faça parte de um dos maiores grupos de franquias do Brasil!

Preencha com seu e-mail a baixo e receba em seu e-mail as melhores dicas de franquias.

chevron-down