fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Taxa de franquia: saiba o que é e conheça outras taxas


Na hora de se adquirir uma franquia, muitos questionamentos surgem por parte do candidato. Um dos principais questionamentos é a respeito da taxa de franquia.

Essa é uma das taxas que devem ser pagas mensalmente aos franqueados e que garante, também, que o empreendedor faça parte do sistema de franquias. Dito assim, esses pagamentos podem assustar. Mas, na verdade, funcionam como mais uma garantia do investimento, proporcionando maior segurança ao franqueado e franqueador.

Em comparação com os empreendimentos convencionais, criados do zero, o sistema de franquias é uma das formas mais seguras de se tornar empreendedor. Isso acontece, porque, ao atuar como franquado, se atua junto a uma marca já testada e com maturidade de mercado.

Assim, as unidades franqueadas são gerenciadas de acordo com processos que funcionam, testados pela própria franqueadora ao longo dos anos de operação da marca. Os serviços e produtos também já foram testados junto ao público, o que não reserva surpresas durante as vendas do franqueado.

Ou seja, independente do valor investido, se foi aberta uma microfranquia ou franquia tradicional, com operação home office em em modelo de loja, as seguranças são as mesmas. As formas de operação no mercado irão variar de franquia para franquia e, também, de acordo com o segmento da marca.

Entretanto, o empreendedor atua de acordo com uma mesma legislação: a Lei de Franquias. A legislação regulariza tudo que envolve o trabalho do empreendedor como franqueado e, também, as taxas que serão pagas frente à unidade.

Dito isso, quer saber o que é a taxa de franquia e por quê ela deve ser paga? É só continuar a leitura do conteúdo!

O que é taxa de franquia?

Além da taxa de franquia, muitas dúvidas surgem na hora de investir em uma franquia. As principais são a respeito do prazo de retorno, capital de giro, que tipo de franquia investir, se a modalidade home office é mais vantajosa do que as lojas físicas, entre outros.

Hoje, vamos refletir melhor acerca de tais questionamentos e fazer com que você, que pensa em ter seu próprio negócio com o devido suporte, faça a escolha correta para sua vida.

Definição de taxa de franquia

A taxa de franquia é a taxa única e fixa que o franqueado paga para o franqueador em troca dos direitos de uso da marca. Ela é estabelecida pelo dono da franquia que, por sua vez, deverá especificar em contrato o direito de ambas as partes na hora de se fechar este tipo de negócio.

O preço varia de franquia para franquia e as formas de pagamento ficam a critério do acordo entre o franqueador e o franqueado, mas normalmente são condições uniformes para todos os interessados.

Prazo de retorno

O prazo de retorno é uma estimativa, baseada em dados estatísticos, de quando o franqueado começará a ter o retorno do seu capital investido para, finalmente obter os lucros. Ou seja, os resultados de seu investimento.

O prazo normalmente é dado em forma de intervalos como: de 3 a 12 meses, por exemplo, para que se tenha uma noção de quanto tempo será necessário trabalhar para se obter o retorno do valor que foi investido na franquia.

Capital de giro

É muito importante que não se confunda a taxa de franquia com o capital de giro. O capital de giro é o dinheiro necessário para dar fluxo de caixa a sua empresa.

É um tipo de valor específico, reservado pelo investidor para custear a operação, financiar o dia a dia de funcionamento da unidade e renovar o estoque. Esses pagamentos são feitos com o capital de giro enquanto o negócio não atinge o ponto de equilíbrio e começa a se manter por conta própria, dando lucros.

Assim, esse é um valor que vai influenciar no desempenho da franquia, ainda que não seja uma taxa paga à franqueadora. Por exemplo, periodicamente temos gastos com fornecedores que retornam em forma de lucro após a revenda, isto é muito comum de se acontecer no comércio.

Numa franquia, este dinheiro extra que é, necessariamente, seu, será utilizado para manter a franquia funcionando cobrindo gastos básicos, como água, luz, telefone, fornecedores entre outros.

Assim que o lucro vier, o dinheiro será reposto para o seu bolso e o resto deverá ser mantido para que se permaneça o fluxo de caixa, com a diferença de que agora o dinheiro será da empresa e não mais seu.

Veja como é calculado o capital de giro

Para que você possa estipular o valor gasto com o capital de giro, é preciso fazer um levantamento de todas as despesas de uma unidade. A dica para quem está pensando em abrir uma franquia é ter uma quantia equivalente a seis meses de operação. 

Por mais que a orientação das marcas seja para apenas um mês, você tende a ter mais segurança com um prazo maior. Sem contar que a quantia é muito importante para o futuro do seu negócio, mesmo com o fluxo de caixa em alta. 

Será graças a essa reserva, que será possível cuidar de manutenções, reformas, problemas com equipamentos etc. Tudo sem o risco de reduzir o lucro do seu negócio e prejudicando o seu faturamento. 

Para que as empresas possam chegar no melhor valor para o capital de giro (CGL) é preciso subtrair o passivo circulante (despesas e custos fixos) pelo ativo circulante (recursos disponíveis).

CGL = Passivo circulante – ativo circulante

Saiba como a taxa de franquia é estipulada

taxa de franquia: moedas e uma planta em cima
Para que as franquias possam crescer de forma sustentável, elas precisam calcular com cuidado a taxa de franquia

Para que uma marca possa definir o valor da sua taxa de franquia, ela precisa levar em consideração alguns fatores. Porém, o principal fator que determina essa quantia será o tipo de planejamento estratégico que a empresa estipulou. 

Ou seja, se ela busca algo mais agressivo irá cobrar um valor menor no mercado para conseguir atrair mais franqueados. Caso opte por expandir sua atuação com mais calma, ela pode oferecer uma quantia mais próxima ou elevada que a média. 

Essa análise dos concorrentes é muito importante para conseguir desenvolver a melhor estratégia para ganhar mercado. Por mais que cada empresa tenha suas características, ela pode tentar ser mais atrativa no custo-benefício. 

Outro fator considerado é o valor total do investimento para abrir uma unidade. Geralmente, as empresas podem trabalhar com uma taxa de 10%, mas isso não quer dizer que seja o número perfeito e padrão. 

Para que uma marca consiga estipular a melhor porcentagem, ela precisa considerar toda a demanda para implementar uma unidade, os gastos que isso irá gerar em média. 

Apesar disso, existem franqueadoras que estipulam um valor mínimo considerando apenas ou também o treinamento e atividades que serão utilizadas para transferir o know how da marca. 

O valor da marca também é analisado na hora de definir qual será a taxa de franquia. Nesse ponto é considerado com o público interage com a marca, o quanto ela é consolidada no mercado e qual o potencial da sua rede para crescer. 

Lembrando que esses são apenas alguns dos fatores que podem ser levado em consideração. O que vai ser escolhido ou não, vai depender da estratégia como falamos anteriormente. 

Fatores que podem alterar o valor da taxa de franquia

Apesar de ser um valor bem definido, existem alguns fatores que podem modificar o valor da taxa de franquia. Principalmente quando tratamos de marcas que trabalham com diferentes modelos de negócios. 

O tempo de contrato em que a marca fecha os seus acordos é um dos principais fatores que podem obrigar a empresa a trabalhar com um valor diferente do que está prevendo. A taxa precisa levar em consideração a lucratividade e rentabilidade do negócio. 

Dessa forma, ela precisa ser facilmente recuperável ao final do período de franqueamento, se tornando um dos fatores atrativos para que você possa renovar o contrato e continuar se sentindo motivado a seguir a frente da unidade. 

Falamos dos modelos de negócios diferenciados e é levado em consideração por diversas empresas. É comum encontrar no mercado marcas que trabalham com quiosques, home based, lojas físicas de pequeno, médio e grande porte etc. 

Como é de se imaginar, cada uma possui um custo de operação diferenciado. Por isso, existem marcas com valores cobrados para cada modelo. Mas também há aquelas que trabalham com uma taxa de franquia fixa para todos os formatos, com uma quantia mais justa no geral. 

Por causa disso, é muito importante que o franqueado fique muito atento ao valor praticado pela franqueadora nesse quesito. Não existe um certo ou errado na hora de definir a quantia, porém é preciso que ela esteja condizente com as suas possibilidades de crescimento. 

Para conseguir quitar a taxa de franquia é muito comum aparecer franqueados buscando soluções para conseguir negociar a quantia total. Mas talvez essa estratégia não funcione muito bem do jeito que pensa. 

É possível negociar o valor da taxa de franquia?

Por causa do seu modelo, não é possível negociar o valor da taxa de franquia. As empresas que apostam neste formato de expansão, precisaram de anos para conseguir testar e formatar seu plano de negócio diversas vezes. 

Dessa forma, a quantia referente a transferência do know how e expertise é pensado de uma maneira que possa ser justa para todos os empresários que pretendem se tornar franqueado. 

Com isso, não faz muito sentido trabalhar com contratos diferentes para cada pessoa, modificando a sua maneira de agir apenas para conseguir novas unidades pelo país. Por mais atrativo que possa ser, essa é uma prática que tende a trazer mais prejuízos para marca. 

Imagine o seguinte cenário: você é dono de uma empresa e precisa administrar uma rede de franquias. Cada empresário tem uma maneira diferente de agir e paga um valor diferente na hora de abrir a unidade. Qual as chances de sucesso? Você consegue prever?

Sem essa padronização na hora de fechar um contrato, você coloca em risco tudo o que construiu para transformar a sua empresa em uma referência no mercado. Por isso, dificilmente você irá conseguir modificar algum aspecto padrão do acordo para se tornar um franqueado. 

Além disso, caso opte por uma marca que aceite negociar termos e valores, fique atento. Certamente, você estará correndo o risco de entrar em um empreendimento que não trará o sucesso que você espera. Lembre-se que franquia não é cada um por sí e, sim, um coletivo. 

Porém, nada está perdido. Algumas empresas trabalham com a possibilidade de alterar as condições de pagamento da taxa de franquia. Ou seja, caso sinta a necessidade, há chances de conseguir que a quantia seja parcelada por um determinado período.

Financiamento pode ser uma boa opção para quitar a taxa de franquia

Quase todas as franqueadora não possibilitam que o empresário trabalhe com um prazo muito longo no caso de parcelamento. Dessa forma, o negócio pode continuar saindo caro para o bolso de muitas pessoas. 

Mas existe uma opção que você pode recorrer para conseguir ter mais tempo na hora de quitar a sua taxa de franquia. Os bancos brasileiros trabalham com opções de financiamento mais atrativas para quem deseja se tornar um franqueado. 

Quase todas as instituições possuem condições especiais para futuros empreendedores emprestando metade ou quase todo o valor do investimento total. A principal vantagem desse formato é que os bancos permitem um prazo maior para que quite o empréstimo. 

Porém, é importante que fique atento as condições e juros que serão empregados ao longo da sua jornada. Podem haver instituições bancárias com taxas tão altas que, no final, você terá pago muito mais do que pegou no financiamento. 

Para evitar isso, busque pelos principais bancos do País como Banco do Brasil, Santander, Itaú e Caixa Econômica Federal. Esses locais possuem condições especiais para franqueados e oferece diversos benefícios. 

Uma dica importante para quem optar pelos financiamentos é nunca pegar a quantia total do investimento. Esse é um dos principais erros de quem procura empréstimo, pois pode acarretar em uma dívida muito mais difícil de se livrar do que imagina. 

Por mais que as franquias sejam negócios de baixo risco, ele ainda está presente. Dessa forma, todo cuidado é pouco na hora de pegar um empréstimo. O aconselhável é que essa quantia não ultrapasse os 50% do investimento total. 

Estima-se que com esse valor você reduz as chances de comprometer o seu fluxo de caixa, principalmente no início da sua unidade. Nesse estágio, você ainda não possui muitos clientes e está batalhando por um espaço. Quanto mais dinheiro conseguir guardar, melhor.

Outras taxas

Além da taxa de franquia, explicada anteriormente, ao investir em um modelo de franquia, os empreendedores precisar arcar com alguns custos.

Taxas como royalties e fundo de publicidade são comuns de serem encontradas em um investimento. Mas, saiba que, tudo que precisa ser pago pelo franqueado deve estar informado na Circular de Oferta de Franquia (COF). Este documento é um dos mais essenciais que todos os empreendedores precisam estudar com atenção.

Na COF, estão descritas todos os pagamentos que serão necessários fazer para investimento inicial na franquia. Ao mesmo tempo, o documento descreve todos esses valores, explicita as diferenças nos modelos de investimento, informa as obrigações dos franqueados.

Além disso, devem estar explícitas direitos e deveres de franqueados e franqueadora. A COF e o contrato de franquias devem estar de acordo com o que regulamenta a Lei de Franquias. São dois documentos bem completos e, por esse motivo, é indicado que leitura e assinatura devem ser feitas com o auxílio de um advogado.

Dito isso, a seguir explicamos outras taxas comuns no investimento em franchising. Acompanhe.

Taxa de royalties

A taxa de royalties é uma quantia que visa permitir ao empreendedor continuar explorando o direito de uso da marca franqueada.

Assim, na relação entre franqueado e franqueadora, o empreendedor realiza o pagamento à marca para participar do sistema de franchising da rede.

Novamente, a COF deve constar informações explícitas sobre o valor de taxa de franquia. O valor deve ser detalhado junto às bases de cálculo utilizados pela franqueadora.

Após a assinatura do contrato de franquia, o empreendedor deve realizar o pagamento da taxa de royalties. Caso esse pagamento não seja realizado, fica caracterizada a situação de inadimplência por parte do franqueado.

É importante saber que a cobrança da taxa de royalties tem suas especificidades e varia conforme cada rede franqueadora. As taxas cobradas podem ser bem diferentes entre si, de acordo com bases de cálculo difrentes.

Para entender o que são os royalties é, principalmente, porque essa taxa precisa ser paga pelos franqueados, assista ao vídeo a seguir! Nele, explicamos tudo o que você precisa saber sobre esse tipo de pagamento.

Taxa de propaganda

A taxa de propaganda é uma outra taxa, assim como os royalties, que deve ser pago mensalmente à franqueadora.

Cada marca desenvolve um tipo de base de cálculo, que varia de acordo com as características da rede. Todo o valor pago à taxa de publiciada é voltado para as ações de marketing e propaganda, que serão utilizadas para impulsionar a divulgação da franquia.

Assim, os pagamentos da taxa de publicidade por todos os franqueados estruturam o fundo de publicidade. Esse fundo é muito usado para custear ações que vão melhorar ainda mais a imagem da rede como um todo.

Conheça mais sobre as franquias

Para que fique mais claro a importância das taxas de franquias, é muito importante que você relembre como funciona o sistema de franchising. Esse modelo de negócio é conhecido no mundo inteiro por permitir que um terceiro explore comercialmente uma determinada marca. 

Porém, esse empreendedor conhecido como franqueado precisa receber todo o know how e expertise da empresa. Apenas dessa forma, ele irá conseguir usufruir do que a franqueadora (marca) conseguiu ao longo dos seus anos de operação. 

Essa transferência de conhecimento é feita por meio de treinamentos e suportes. Assim, a marca consegue garantir que todos os franqueados da sua rede de franquias estão alinhados e seguindo todas as orientações para que a empresa se torne ainda maior na região, país, continente ou mundo. 

O que garante que ele terá acesso a isso tudo é a taxa de franquia, por isso essa quantia é tão importante para quem irá abrir uma franquia. Para se ter uma ideia da segurança desse modelo de negócio, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) fez um levantamento sobre a taxa de mortalidade desses negócios no país. 

De acordo com eles, apenas 5% das unidades abertas fecharam antes de completar dois anos de vida. Enquanto isso, as empresas próprias tiveram um valor quase cinco vezes maior, atingindo 23%. 

A diferença é ainda maior quando se analisa apenas 10 anos. As franquias alcançam 15%, enquanto as demais registram 75% de mortalidade. Muito desse sucesso só é possível devido ao formato semi-independente do negócio. 

Mesmo que você tenha que seguir uma padronização, o que pode limitar algumas ações suas na sua unidade, com a intenção de manter a qualidade que a marca é conhecida, você tem total liberdade administrativa e de gestão.

Tipos de franquias

Como mencionamos anteriormente, existem diversas áreas de atuação das franquias e com modalidades diferentes, sendo as principais delas: lojas físicas, home office, quiosque e lojas virtuais.

Achar a área de atuação ideal é fundamental e, para isso, é necessário descobrir suas aptidões e se perguntar de forma sincera se é isso que está disposto a fazer por muito tempo ou quem sabe para a vida toda.

Já as modalidades, começando pelas lojas físicas, são as tradicionais lojinhas ou grandes espaços físicos para atender a clientela e mostrar produtos e serviços. O home office, em poucas palavras, é quando sua loja faz parte da sua casa com um espeço reservado apenas para atender os clientes.

O modelo de quiosque é mais compacto que a loja e tem um custo menor. Normalmente eles são instalados em corredores de shoppings, centro de comprar ou supermercados.

As lojas virtuais são aquelas que possuem um domínio na internet e vendas exclusivas por este ambiente virtual, tal modalidade ainda poderá ser mesclada com as lojas físicas ou os home office.

Neste conteúdo, você entendeu um pouco mais sobre a taxa de franquia e outras quantias que faz parte do investimento inicial e atuação como franqueado. Mas, ainda existem outras informações que todo franqueado precisa saber antes de assinar o contrato de franquias.

Quer saber quais são essas informações? Acesse o nosso ebook gratuito!