fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Franquia de pizza de cone ou pizza tradicional: qual é o melhor modelo?


Pizza de cone em franquia pode ser uma boa oportunidade para quem deseja abrir um empreendimento no ramo alimentício. Porém, você consegue identificar se essa é realmente o melhor modelo para investir?

Existem diversas diferenças tanto na produção, quanto na concepção do produto. São técnicas totalmente diferentes, cada uma com suas peculiaridades. Conseguir identificar todas essas questões pode parecer complicad à primeira vista, mas é mais simples do que parece. 

Pensando nisso, preparamos o conteúdo a seguir para mostrar qual o modelo de negócio que vale mais a pena. As características de cada uma, gastos etc. Acompanhe a leitura. 

Quais as vantagens de vender pizza de cone em franquia?

Uma das coisas que mais pesam na escolha de um empreendimento para abrir é a praticidade que ele envolve, seja na produção ou aceitação do público.

Quando se trata de pizza de cone em franquia é possível alinhar as duas vertentes. Principalmente se analisarmos as questões que envolvem cada detalhe da montagem até entrega para os clientes. 

Primeiramente, vivemos em uma sociedade em que o tempo tem se tornado cada vez mais escasso.

Estamos constantemente ocupados e com a agenda cheia de compromissos e mal temos tempo para estacionar em um restaurante e fazer um almoço ou um lanche. Quando se opta por abrir uma pizzaria de cone, a tendência é que consiga atender essa demanda. 

Isso acontece, pois esse formato permite que as pessoas possam fazer uma alimentação em um tempo relativamente curto, dando espaço para outras atividades ao longo do dia. Além disso, quanto aos consumidores, podemos observar outra vantagem. 

O formato de cone permite que seja mais fácil se alimentar, considerando que não é preciso “fazer malabarismo” para conseguir comer uma fatia tradicional. Afinal, dentro de uma “casquinha” como os sorvetes, em poucas mordidas e sem complicação, fica simples saborear o alimento. 

Vantagens para o empreendedor

Pizza de cone franquia: Pessoa segurando uma pizza de cone
Uma das coisas que barateiam as pizzas de cone são o formato fácil de ser servido

Quando analisamos as facilidades para o empreendedor, encontramos outros pontos positivos para quem deseja apostar na pizza de cone em franquia.

Inicialmente, não será preciso gastar muitos ingredientes para produzi-la. Se estima que um cone pequeno seja equivalente a uma fatia razoável das tradicionais pizzas. 

Além disso, por causa do seu formato, esse tipo de alimento permite que toda a gordura seja eliminada, tornando o alimento menos agressivo para a saúde dos consumidores. Outra vantagem é que você terá a possibilidade de trabalhar em massas separadas tanto para salgado, quanto para doce. 

Devido a facilidade em ser consumida, você não precisará gastar com talheres descartáveis, por exemplo. Sem contar na eliminação de pratos ou mesas em seu estabelecimento, barateando ainda mais o negócio e permitindo que você tenha uma boa rentabilidade. 

Lembrando que rentabilidade é equivalente ao tempo em que o seu negócio precisa para recuperar o valor investido nele. Assim, você consegue ter uma ideia aproximada de quantos meses precisaram para ter o retorno financeiro esperado, se baseado na média do faturamento. 

Por fim, podemos dizer que negociar pizza de cone em franquia pode ser um bom empreendimento para quem deseja entrar no mercado.

Porém, é importante ficar atento quanto a concorrência. Mesmo sendo em formato diferente, isso não quer dizer que estará livre das demais pizzarias. 

Equipamentos necessários para montar uma franquia de pizza de cone

Para que você possa abrir a sua pizza de cone em franquia é preciso analisar também a estrutura necessária para desenvolver o negócio. Mesmo que não seja necessário ter gastos com talheres, pratos e mesas, os equipamentos necessários para produzir os cones exigem um investimento mais custoso. 

Assim, como qualquer outra pizzaria, esse será a parte que irá exigir mais dinheiro do empresário. Mas essa não é uma exclusividade desse tipo de empreendimento, diversos outros segmentos da alimentação enfrentam o mesmo problema. A questão referente as pizzas em cone é que o custo tende a ser um pouco mais alto. 

O valor dos equipamentos se tornam mais elevados do que se espera por causa da baixa concorrência que esse negócio oferece.

Ou seja, não existem tantas pizzarias que trabalham com o formato de casquinha e isso acaba encarecendo tudo que for diferente e voltado, exclusivamente, para essa finalidade.

Para se ter uma ideia do que será preciso ter em sua cozinha, será preciso adquirir formas modeladoras, responsáveis por deixar a massa no formato perfeito e em diferentes tamanhos.

Uma bandeja planejada especialmente para rechear os cones, um forno elétrico ou a gás para assar, suportes para as pizzas em cone e embalagens de papel. 

Além dessas produtos praticamentes exclusivos para uma pizza de cone, ainda é preciso pensar nos equipamentos mais básicos como armários, freezers, geladeiras e outros para ajudar na conservação dos alimentos.  

Como está o mercado das pizzarias de cone no Brasil?

As pizzas em cone chegaram no Brasil em 2010 e não demorou muito para se tornar um atrativo para os clientes. Apesar de ter sido desenvolvido nos Estados Unidos há pouco mais de 30 anos, o seu inventor não chegou a colocar em prática o formato inovador para a época. 

Alguns anos mais tarde, as pizzas em cone se tornaram febre na Itália e logo se espalharam para o resto do mundo. Foi nesse mesmo período que a nova forma de comer pizza chegou no Brasil. Diante da novidade e praticidade do produto, algumas empresas surgiram e apostaram nesse diferencial para desenvolver suas redes de franquia. 

Por ser algo relativamente novo, com recém dez anos completados, ainda não existe uma analise exclusiva sobre o modelo de negócio. Porém, como se encaixa no formato de fast-food, podemos considerar alguns números apresentados sobre o segmento. 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o brasileiro tem comido cada vez mais fora de casa. E podemos observar essa movimentação quando analisamos também os dados do segmento com base nos números levantados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).   

De 2018 para 2019 houve um crescimento de 5,6% no faturamento das empresas desse segmento. Registrando assim, um faturamento superior a R$ 48,3 bilhões.

Além disso, o brasileiro, de acordo com o último levantamento feito pela EAE Business School, foi considerada a quinta sociedade do mundo e com potencial de crescimento além dos demais países. 

Descubra a estrutura necessário para vender pizza de cone em franquia

Pizza de cone franquia: Pizzas de cone sendo servidas
A estrutura para esse tipo de empreendimento costuma ser mais simples que uma franquia de pizzaria

Para quem deseja vender pizza de cone em franquia, como vimos, não precisa de uma estrutura muito elevada. Com um espaço reduzido é possível atender uma boa quantidade de clientes. O principal ponto com relação as questões estruturais estão relacionadas ao salão. 

Como a expectativa é que os consumidores apenas consumam as pizzas com agilidade, não é necessário montar mesas e cadeiras. Isso possibilita que inicie suas operações em um local reduzido, com poucos metros quadrados. Em shoppings, por exemplo, um quiosque pode ser uma opção bem atraente. 

A única espaço que precisa ser igual as pizzarias tradicionais é a cozinha, que necessita de um espaço suficiente para todos os equipamentos e circulação tranquila dos colaboradores. Lembre-se também que no caso das franquias, você precisa considerar também a padronização e identidade visual da marca.  

Fora isso, todas as questões que envolvem a estrutura do negócio tendem a ser mais em conta que as tradicionais pizzarias.

Porém, é necessário colocar no papel algumas questões para avaliar qual é o melhor empreendimento. Existem aspectos específicos que podem tornar a sua escolha mais fácil do que imaginava. 

É melhor pizza tradicional ou cone?

Agora que você conhece um pouco mais sobre a pizza de cone em franquia, todos os seus gastos, vantagens e benefícios, chegou o momento de falarmos sobre outra opção de negócio. Nesse caso, as tradicionais pizzarias. O mais importante aqui é entender se esse é um formato que vale mais a pena em investir. 

Por mais prático que seja vender pizzas em cone, nada substitui o prazer de comer as fatias do formato redondo. Não à toa, existem milhares de pizzarias no Brasil que são facilmente encontradas, seja na esquina do bairro, em uma região movimentada ou em centros comerciais. 

Uma situação que joga a favor da pizza redonda é a falta de sazonalidade em que ela se encontra. Ou seja, não importa o horário do dia ou época do ano, sempre haverão pessoas querendo comer um pedaço do alimento. Seja no café da manhã, no lanche ao longo do dia, no almoço ou jantar, há sempre espaço para uma boa pizza. 

Essa variedade de horários só é possível por causa do horário de funcionamento da maioria das pizzarias no Brasil, principalmente as que se dedicam com exclusividade ao delivery.

Os empreendimentos que desejam abrir uma unidade de pizza em cone precisa ficar atento aos horários de funcionamento, apesar de não fugir muito do mais comum em estabelecimentos de fast-food. 

Outro ponto que é importante observar com relação as franquias de pizzaria é o significado que uma pizza pode trazer a uma família por exemplo. Quantas pessoas não possuem uma quarta ou domingo para jantar pizza? Quantos encontros românticos não são feitos com base na tradicional pizza italiana? 

Por mais que apostar no formato de cone seja atrativo, ainda é preciso levar em consideração alguns pontos e, principalmente, seus objetivos como empreendedor. 

Confira o mercado de pizza no Brasil

Para que você tenha uma ideia do impacto das pizzarias no Brasil, só em São Paulo são consumidas mais de 500 mil por dia. A cidade é considerada o segundo mercado do mundo, ficando atrás apenas de Nova York. O impacto é tamanho que a capital paulista é responsável por mais da metade das pizzas feitas no Brasil diariamente. 

No total, o faturamento das pizzarias no País tem ultrapassado com facilidade R$ 20 bilhões. Quando olhamos para o levantamento do mundo, ficamos apenas em segundo, atrás dos Estados Unidos, onde 95% das pessoas comem pizza com frequência, e a frente de países tradicionais como França e Itália, responsável por difundir a pizza pelo país. 

Apesar de ter aproximadamente mais de 35 mil pizzarias espalhadas pelo Brasil, isso não quer dizer que exista algum empecilho para você entrar no mercado. Aliás, é justamente ao contrário do que se imagina.

Com o consumo crescendo cada vez mais e com alguns restaurantes com qualidade abaixo do esperado, há sempre espaço para você. 

É importante destacar que a concorrência não é empecilho para o seu desenvolvimento. Em todo segmento que você for, haverá outras empresas batalhando por um espaço no mercado. A questão mais importante é conseguir estudar os demais concorrentes da região, e encontrar aquela franqueadora que oferece algum diferencial.  

Por exemplo, no Brasil tem tido um crescimento alto de pessoas que são adeptas do veganismo e vegetarianismo segundo o IBGE. Dessa forma, podemos observar que a tendência é que as empresas que pensam nesse público consigam se destacar cada vez mais. 

Quais os gastos envolvidos em uma franquia de pizzaria barata?

Pizza de cone franquia: pizza comum sendo assada em forno de lenha
Um dos custos que envolvem uma pizzaria é o tipo de forno que será usado

Os gastos que são levados em consideração na hora de abrir uma franquia de pizzaria vão depender exclusivamente do tipo de negócio que deseja entrar.

Existem pelo menos quatro tipos de pizzarias disponíveis para serem abertas, cada uma com um custo diferente e uma estrutura específica. 

Porém, mesmo com diferentes modelos, a estrutura da cozinha é básica e é fácil encontrar fornecedores que trabalham com um valor mais em conta.

Tirando os mesmos pontos que apresentamos para as pizzas em cone, como geladeira, freezers, armários entre outros, a diferença está nos demais equipamentos. 

Para o forno, existem três opções sendo de lenha, elétrico ou à gás, além dos uetensílios condimentadora, pá de madeira ou ferro, espátulas, masseira, fatiadora de frios etc.

Todas essas condições serão apresentadas pela própria franqueadora, com base no modelo de negócio que ela possui e no tipo de pizza que deseja entregar. 

No caso dos estabelecimento à La Carte, onde o cliente escolhe a pizza por meio do cardápio e o modelo mais tradicional que encontramos no Brasil, ou rodízio, a estrutura conta com uma cozinha com espaços maiores e um salão com mesas e cadeiras. Ainda é preciso pensar em copos, talheres, pratos, panos de mesa, colaboradores, pizzaiolos etc. 

Nesses estabelecimentos, é muito importante analisar também a dispensa para que não compre produtos além do necessário. Afinal, haverá uma saída grande de pizzas e todo o controle deve ser feito para não desperdiçar comida e dinheiro. 

No caso da franquia de pizzaria delivery, a estrutura é mais simples que as demais. O investimento é mais barato, pois é necessário apenas uma cozinha, dois cozinheiros em média e material para embalar a pizza e fazer a entrega.

Assim, qualquer espaço pode ser utilizado, desde que se encaixe nos padrões da franqueadora. 

Confira as dicas para escolher a melhor franquia

Para que você consiga encontrar pizza em cone em franquia ou abrir uma pizzaria nesse mesmo modelo, é preciso ficar atento a algumas questões bem importantes.

Como estamos falando de franquias, são aspectos que irão permitir você ter sucesso ao longo da jornada como franqueado. 

Antes de apresentarmos as dicas sobre esse modelo de negócio, vamos resumir brevemente o que são franquias. Esse empreendimento visa permitir que um empresário terceiro possa explorar comercialmente uma determinada marca. Assim, ele terá acesso ao know how e expertise que levou a empresa ao sucesso durante os anos. 

Para garantir que você também consiga repetir os feitos, ela transfere esse conhecimento por meio de treinamentos específicos e suportes especializados e direcionados para o negócio em questão. Em troca, o franqueado precisa seguir algumas regras impostas pela franqueadora. 

Como você estará abrindo uma “cópia autorizada” da marca em questão, precisará seguir os padrões que forem apresentados por ela. É por meio dessa estratégia que as franquias são consideradas o modelo de negócio mais seguro do Brasil. 

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a taxa de mortalidade em 10 anos é de apenas 15%. Enquanto isso, os empreendimento abertos do zero, possuem uma marca que chega a 75%. Caso as regras não sejam seguidas pelo franqueado ou franqueadora, o contrato e investimento são cancelados. 

É por causa dessas regras e modelo de empreender diferente do habitual, que é preciso tomar muito cuidado na hora de escolher qual será a marca que irá apoiar nos próximos anos. Essa união precisa ser perfeita, caso contrário será impossível ter uma boa margem de lucro.

Identifique se realmente deseja trabalhar no setor

Primeiramente, o ideal é que você tenha certeza que deseja realmente trabalhar na área de alimentação. Por mais que esse segmento não sofra com sazonalidade e seja mais seguro em casos de eventuais crises, você deve pensar sempre no seu objetivo profissional e nunca apenas no dinheiro.    

Ou seja, se você gosta mais de trabalhar com moda, não existe um motivo para abrir um restaurante. Além de proporcionar um trabalho que não lhe agrada, ainda vai causar estresses desnecessários, problemas e até desmotivação. Empreender é a chance que você tem para trabalhar com aquilo que realmente gosta. 

Lembrando que abrir um negócio também exige que você se dedique mais do que as tradicionais oito horas de trabalho. Serão dias e noites por conta do seu restaurante.

Agora imagine acordando toda manhã pensando que podia ter investido em outra coisa? Por causa disso, tenha a certeza que essa é área que realmente deseja. 

Conheça as marcas disponíveis no mercado

Pizza de cone franquia: pizza sendo exposta em uma pizzaria
Consumir as pizzas das marcas que pretende se tornar franqueado é essencial para fazer uma boa escolha

Sabendo que você está no lugar certo, chegou a hora de conhecer as marcas disponíveis no mercado, seja pizza de cone em franquia ou não.

O aconselhável aqui é que faça uma busca em sites e portais especializados em franquias para conseguir achar boas opções. Ao final desse primeiro levantamento, chegou a hora de montar uma lista. 

Nesta lista você deve considerar as marcas que mais chamaram a sua atenção, seja por causa do valor necessário para tirar o projeto do papel, seja o modelo de negócio que ela oferece. O mais importante aqui é identificar qual oferece o melhor custo-benefício dentro dos seus objetivos como empreendedor. 

Com a lista em mãos, faça uma pesquisa nas redes sociais para saber como a empresa lida com seus consumidores e reclamações mais comuns.

Esse é um sinal muito importante para conseguir definir quais as franquias tem real potencial ou não. Uma das vantagens desse modelo de negócio é justamente já ter um público. 

Assim, caso ele tenha muitas reclamações, não seja bem avaliado, a tendência é que o seu negócio não dê certo como imagina. Você também pode avaliar no site “Reclame Aqui”. Esse é um local reservado para apresentar as queixas por causa de uma determinada empresa. 

Por causa das informações públicas, você consegue identificar um pouco mais de perto como os problemas apresentados são tratados pela franqueadora. Sem contar que é um espaço utilizado por outros franqueados para fazer reclamações referentes ao negócio. Se tornando um bom meio de busca. 

Por fim, não tem como vender algo que você não acredita, certo? Por isso, é sempre recomendável que você visite outros franqueados das marcas que separou para experimentar a pizza tradicional ou em cone. Assim, você terá sua própria opinião sobre os fatores positivos e negativos da marca. 

Estude a Circular de Oferta de Franquia

Outra dica importante para quem irá apostar nesse modelo de negócio é estudar com cuidado a Circular de Oferta de Franquia (COF). Esse documento é responsável por apresentar diversas informações importantes sobre o empreendimento e é comum que futuros franqueados acabem deixando de estudá-la.

Esta atitude pode ser considerada um tiro no pé, uma vez que dados importantes podem passar despercebido pelo empresário. No final das contas, será pego de surpresa por situações não tão boas quanto ele imaginava por pura falta de desatenção. Dessa forma, aconselhamos que analise com bastante cuidado tudo que é apresentado. 

Não tenha pressa para isso, apesar de ser a última etapa antes da assinatura do contrato final, de acordo com a Lei de Franquias você deve recebe-la pelo menos 10 dias antes de fechar negócio. Essa é uma maneira para evitar que você sofra algum tipo de pressão por parte da franqueadora. 

Em caso de dúvidas, não deixe de consultar um advogado ou contador para as informações financeiras. Uma dica extra é mantê-los sempre por perto inclusive. Ambos terão papel importante no desenvolvimento e processos de abertura da sua franquia. 

Entre os dados apresentados na COF estarão, por exemplo, histórico da marca, balanço financeiro, taxas, regras, tipos de treinamentos, regras sobre área de atuação, estrutura, dados de outros franqueados, informações sobre o mercado, perfil desejado para os franqueados etc. 

Por fim, não existe uma quantidade máxima de circulares que você pode pegar. Mas o aconselhável é pegar até três.

Como serão muitas informações a sua disposição, pode correr o risco de se confundir no decorrer do seu estudo. A intenção de chegar na fase da COF é ter poucas marcas dentro do seu funil. 

Acompanhe o infográfico a seguir com o passo a passo para se tornar um franqueado. 

Infográfico 8 dicas para ter uma franquia de sucesso

5 opções de franquias para pizzarias

Como observamos ao longo do texto, abrir uma franquia de pizzaria pode ser mais rentável para o empreendedor do que pizza de cone.

Muito desse benefício se dá pelo fato do negócio estar mais focado e preparado para atender o público em diversas situações do dia a dia e não apenas em um lanche rápido. 

Além disso, esse é um empreendimento que oferece maior lucratividade para os empresários, considerando o movimento do mercado com as altas saídas de encomendas feitas tanto para delivery, quanto em restaurantes.

Por mais que apostar em pizza de cone em franquia possa parecer algo mais barato, no final das contas o empresário pode ficar limitado. 

Assim, separamos algumas opções de franquias de pizzaria baratas para você se tornar um franqueado e conseguir destaque no mercado. Considerando sempre a boa aceitação do público e o reconhecimento das marcas pela qualidade de suas pizzas. 

1. Fórmula Pizzaria

A Fórmula Pizzaria é uma marca que surgiu em meados de 2014 com o intuito de apresentar uma pizza ainda mais saborosa e com um cardápio recheado, prezando pelo recheio e massa crocante. Ao longo dos anos, devido ao sucesso, não demorou muito para a marca se tornar presente em todo o Sudeste. 

Ao todo, o franqueado tem a possibilidade de entregar pelo menos 40 sabores diferentes, contando doces e salgadas. Além disso, a Fórmula Pizzaria ainda oferece opção para os veganos, um grande diferencial. Por fim, ainda podem ser oferecidos sobremesas distintas e calzones. 

Quem optar pela Fórmula, poderá escolher pelo menos três modelos de negócio. Dois são focados exclusivamente para delivery, variando apenas na capacidade de produção e entrega. Já o terceiro modelo permite o franqueado abrir o restaurante da marca. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 99 mil
  • Faturamento médio mensal: aproximadamente R$ 70 mil
  • Prazo de retorno: entre 24 e 36 meses

Acompanhe o vídeo que separamos para você sobre a Fórmula Pizzaria e conheça mais vantagens de fazer parte desse empreendimento.

2. Domino’s Pizzaria

Considerada a maior rede de pizzaria do mundo, a Domino’s está presente em diversos estados brasileiros e oferece um modelo de negócio capaz de atender diversas localidades, independentemente se é uma loja de bairro ou centro comercial. Essa variação, permite que a marca seja frequentemente lembrada quando se fala de pizza. 

Criada nos Estados Unidos ainda na década de 1960, a Domino’s já conseguir alcançar mais de 85 países, sempre pensando na culinária e cultura local. Ao todo são mais de 16 mil lojas em todo o mundo. No Brasil, a empresa está desde os anos 2000 e conta com aproximadamente 240 lojas. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 750 mil
  • Faturamento médio mensal: aproximadamente R$ 170 mil
  • Prazo de retorno: entre 36 e 42 meses

3. Pizza Hut

Outra marca internacional e presente há anos no Brasil, a Pizza Hut nasceu também nos Estados Unidos em 1958.

Desde então, a marca se tornou um sucesso no mundo alcançando diversos países. Muito do sucesso, além da qualidade das suas pizzas que podem ser montadas de acordo com o seu gosto, está na sua identidade visual. 

Atualmente, é fácil reconhecer a marca em qualquer lugar no mundo, não à toa está espalhada em mais de 130 países. Porém, ainda é considerada a segunda maior em quantidade de restaurantes abertos, com 15 mil aproximadamente. No Brasil, são 95 unidades franqueadas. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 850 mil
  • Faturamento médio mensal: não informado
  • Prazo de retorno: não informado

4. Pizza Studio

Com conceito inovador para pizzarias, a Pizza Studio surgiu no mercado para proporcionar uma nova maneira dos consumidores aproveitar os sabores do alimento.

Nas lojas da marca, o próprio cliente escolhe como será o seu recheio e em pouco mais de três minutos ela já está pronta para ser consumida. 

Criada em 2013, nos Estados Unidos, a empresa está crescendo e ganhando espaço no mundo. No Brasil, são quatro unidades espalhadas na região Nordeste e Centro-Oeste. A vantagem desse negócio é poder participar do plano de expansão da marca, que pretende se tornar ainda mais conhecida, assim como alcançou em seu país natal. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 540 mil
  • Faturamento médio mensal: não informado
  • Prazo de retorno: não informado

5. Pizza do Rão

Pizzaiolo abrindo a massa
A Pizza Rão é uma boa aposta para quem deseja entrar no mercado

Uma das marcas mais recentes, criada em 2018, a Pizza do Rão é uma empresa do Rio de Janeiro que busca entregar um modelo de produção capaz de unir velocidade na confecção dos alimentos, qualidade e sabor. Sem contar na possibilidade de personalização criada para atender cada cliente. 

Fazendo parte de um grupo alimentício criado em 2013, a Pizza Rão chegou no mercado carregando grande expertise de outros empreendimentos. Atualmente, são aproximadamente 30 unidades espalhadas pelo Brasil. Dessa forma, se torna uma boa oportunidade para quem busca franquia para pizzaria. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 180 mil
  • Faturamento médio mensal: não informado
  • Prazo de retorno: não informado

Ao longo do texto apresentamos diversas possibilidades para quem deseja abrir um empreendimento voltado para pizza em cone.

Foi levado em consideração os custos para operação, estrutura necessária para abrir e, principalmente, o mercado. Mesmo que ainda seja desconhecido, esse tipo de produto consegue se encaixar no ramo do fast-food. 

Mesmo que seja muito atrativo à primeira vista, as pizzarias tradicionais ainda ganham mais espaço por causa de alguns fatores como falta de sazonalidade e ser consumida por qualquer pessoa, independente da idade ou classe social. 

Gostou do nosso conteúdo? Ainda está em dúvida se vai apostar em pizza de cone em franquia? Continue explorando o nosso blog e aprenda mais por meio do artigo “Quero abrir uma pizzaria, como faço? Descubra todos os segredos!

*Informações publicadas em Setembro/2020. Os preços das franquias podem sofrer atualizações. Informe-se com a franqueadora da marca.

Autor: Rodrigo Brito
30 de setembro de 2020

Ficou interessado em alguma franquia?

Preencha o formulário e fale com um consultor das nossas marcas.

Matérias relacionadas: