fbpx
  • Compre sua Franquia:

    (31) 3654-5664

  • E-mail de Contato:

    franquia@encontresuafranquia.com.br

Encontre sua Franquia

Despesas da franquia: conheça os custos da operação


Antes de fazer parte de uma rede de franchising, é preciso conhecer quais serão as despesas da franquia que você escolheu. Elas podem variar de acordo com o tamanho da unidade, da categoria e do segmento que decidir atuar. 

Despesas são todos os gastos ligados à administração da empresa. Podemos definir como o valor necessário para estruturar e manter o empreendimento. 

No mundo das franquias, esses valores são menores do que de um empreendimento aberto do zero. Mas isso não quer dizer que eles podem ser considerados com menos seriedade. 

Assim como em um negócio próprio, as franquias podem quebrar e causar prejuízo para o investidor, mesmo que isso seja mais raro

Por isso, preparamos o texto a seguir, que mostra quais são as principais despesas que um empresário encontrará na hora de abrir o seu empreendimento franqueado. Acompanhe com a gente!

Quais as principais despesas da franquia?

Abrir um empreendimento exige muito dos responsáveis. São gastos e mais gastos, que precisam ser considerados antes de começar a obter um faturamento capaz de gerar lucro. 

Todas as principais despesas da franquia estão listadas em um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF). Ele é o responsável por trazer não só essas informações, mas vários dados referentes à empresa.

Saiba mais sobre como funciona a COF no vídeo a seguir!

A franquia é uma “cópia autorizada” de um modelo de negócio consolidado no mercado. Por isso, o empresário tem previsão de todos os custos necessários para o projeto se desenvolver. Veja algumas das principais despesas de uma franquia abaixo!

Taxa de Franquia

A taxa de franquia precisa ser quitada para a concessão do uso da marca pelo franqueado. Ela é fixa e cobrada apenas uma vez, no ato de assinatura do contrato. 

Quitando esse valor, o empreendedor passa a ter o direito de utilizar a marca que foi contratada. 

Enquanto isso, a franqueadora começa a preparar os processos de capacitação dos investidores e equipe, por meio de treinamentos e manuais. 

Capital de Giro

O capital de giro líquido (CGL) é o valor que irá arcar com todas as despesas da franquia antes dela começar a ganhar força para se sustentar sozinha. O recomendável é que o empresário tenha guardado, ao menos, o necessário para seis meses de operação.

Essa reserva financeira ajuda as empresas a se prepararem para prováveis eventualidades, recessões, despesas inesperadas, entre outras situações que podem colocar o empreendimento em risco. 

Na própria COF, a franqueadora já disponibiliza qual será o capital de giro necessário para cada negócio. É importante que essa reserva esteja sempre em dia. 

Depois, para que o empresário saiba qual o valor necessário para manter sua empresa após os primeiros meses, basta que ele subtraia as despesas e custos fixos — passivo circulante (PC) — dos recursos disponíveis — ativo circulante (AC).

CGL = AC – PC

Ponto Comercial

Se sua opção for por uma franquia que necessite de unidade física, será necessário encontrar um bom local. Ele deverá atender a sua demanda e ter um preço de aluguel justo para a região.

A recomendação é que esse valor esteja sempre entre 8% e 11% do faturamento bruto da empresa. Tendo essa margem como limite, as chances do negócio se desenvolver e sobreviver são maiores. 

Também é preciso se preparar para os reajustes que acontecerão ao longo da vigência do contrato. Saber como negociar esses acréscimos será primordial para manter o equilíbrio financeiro do empreendimento. 

Outro ponto que você deve observar é o estado do local que deseja alugar. Ou seja, identificar quais reformas e melhorias precisarão ser feitas para que a unidade atue de acordo com os padrões da marca.

Estoque do negócio

O estoque é considerado um dos ativos mais importantes de uma empresa. Determinar qual o estoque inicial do negócio é fundamental para manter as estratégias de acordo com o que foi planejado inicialmente. 

Presente na análise do capital de giro, grande parte das franqueadoras já consideram em seus cálculos o valor necessário da primeira leva de produtos armazenados. 

As marcas que não consideram esse valor ao menos especificam, na COF, quais as suas regras. O importante é que o empresário esteja sempre atento a elas e não esqueça de considerá-las nas despesas do mês da franquia. 

O estoque, como um todo, é uma área que exige muito cuidado por parte dos empreendedores. Mercadoria guardada significa dinheiro parado e menos espaço para outros produtos. Esses são fatores que podem levar uma empresa a falência. 

Taxa de Royalties

Se a taxa de franquia permite que você tenha o direito de utilizar a marca e receber todo o seu know-how, a taxa de royalties é o que mantém essa autorização. 

Segundo a Lei das Franquias 13966/2019, essa é uma remuneração periódica pelo uso de toda a propriedade intelectual da franqueadora. Sua especificação deve estar presente na COF. 

As empresas podem fazer essa cobrança de duas formas:

  1. Um valor fixado e sem reajuste durante a vigência do contrato; ou
  2. De acordo com o percentual do faturamento bruto da unidade.

Lembrando que, geralmente, a cobrança é feita mensalmente. Mas isso também pode variar.

Ambas as modalidades são bastantes utilizadas, porém elas dependem do tipo de unidade que você deseja abrir. O mais comum é que unidades físicas sejam cobradas pela porcentagem, mas existem marcas que cobram o valor fixo também. 

Taxa de Propaganda

Também conhecido como fundo de propaganda ou taxa de marketing, essa despesa mensal da franquia é arrecadada pela franqueadora, com a finalidade de investir em ações publicitárias institucionais. 

Isso elimina a necessidade de o empresário criar seus próprios trabalhos de merchandising, permitindo que ele concentre forças em outras atividades da unidade. 

Assim como os royalties, a cobrança pode ser feita como um valor fixado em contrato ou equivalente a uma porcentagem do faturamento bruto. 

Essa despesa é fundamental para a rede de franquias desenvolver estratégias de divulgação, com a finalidade de expandir seu sistema e atrair novos consumidores. 

Vale ressaltar que as publicidades feitas por meio desse fundo são para todos os franqueados e não exclusivas para uma unidade. 

Caso opte por fazer propagandas individuais, o empresário precisará de uma autorização prévia da marca. 

Outros gastos

As despesas apresentadas até agora são apenas as primeiras e principais custos que uma franquia possui. Porém, existem outras cobranças que devem ser levadas em conta para a sobrevivência do empreendimento. 

Uma delas é equivalente às manutenções dos equipamentos e máquinas utilizadas no empreendimento. 

Também existem as despesas mais simples, mas recorrentes, que precisam ser lembradas. Como o pagamento da conta de água, energia elétrica etc. Muitas vezes, esses custos vão além do capital de giro.

Além disso, é preciso considerar as despesas com os funcionários e as luvas que serão oferecidas. Isso caso utilize metas como forma de incentivar o crescimento do empreendimento.  

Como as taxas impactam na administração da franquia?

Pessoas analisando e fazendo conta de gastos
Fazer um estudo completo do dinheiro que entra e sai é fundamental para o sucesso de uma empresa.

Existem vários fatores que podem impactar no sucesso de uma empresa. Principalmente quando falamos do aspecto financeiro. Ele é o principal responsável pela saúde de um empreendimento. 

Se não houver um bom controle e administração sobre as despesas da franquia, todas as taxas e obrigações que vimos acima começam a pesar contra. 

Mas tudo isso passa por dois aspectos que precisam ser bem estudados, analisados e cuidados pelos gestores. São eles: a viabilidade do negócio e o fluxo de caixa.

Estudo de viabilidade do empreendimento

Antes de decidir abrir uma franquia, é preciso verificar se os valores necessários para manter o empreendimento cabem em seu bolso. 

Por isso, é importante que o empresário faça uma análise financeira para identificar qual o melhor modelo de negócio para ele. Esse estudo começa ainda com as finanças pessoais. 

É preciso conhecer o caminho que o seu dinheiro faz ao longo do mês, como ele está comprometido, de onde ele vem, quanto sobra etc. Com esse acompanhamento em mãos, já é possível estudar as propostas. 

Falamos no texto da importância de ter um capital de giro suficiente para manter o negócio por seis meses, além de todas as taxas que serão cobradas ao longo do contrato. 

Com ambas as informações, o empresário consegue ver se é ou não viável iniciar uma empresa. Claro, sem colocar em risco a qualidade de vida de seus familiares e dependentes.

Fluxo de caixa

Todas as taxas apresentadas acima terão impacto no fluxo de caixa do seu empreendimento. Isso porque, ele irá considerar todas as movimentações financeiras do empreendimento. 

Com análises sempre mensais, o balanço indicará qual o valor remanescente após a empresa arcar com todos seus compromissos. 

Podemos dizer que ele será responsável por mostrar qual o lucro líquido da empresa, enquanto o bruto ficará responsável pela Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), que falaremos mais abaixo. 

O lucro líquido pode ser dividido em três seções: uma voltada para as operações de venda da unidade; outra que identifica o quanto de dinheiro foi gasto com o investimento; e, por fim, a análise do que é gasto com atividades de financiamento.

Importância de acompanhar o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE)

O demonstrativo de resultado do exercício (DRE) é um dos relatórios mais importantes para administrar um empreendimento. 

Esse documento é tão significativo, que a própria Lei de Franquias exige que as franqueadoras apresentem os resultados para os interessados em abrir alguma unidade. 

Porém, esse é um diagnóstico que também deve ser levado a sério pelos franqueados. Ele conta com informações referentes a receitas geradas, impostos, outras tributações, custos de produtos/serviços, entre outros. 

Além de conseguir acompanhar todo o progresso da sua unidade, o empresário terá um ótimo indicador de performance. Identificando pontos fracos que podem atrapalhar o desenvolvimento da unidade. 

Para chegar a esse resultado, é preciso fazer dois tipos de análises. Juntas, elas poderão trazer diagnósticos mais precisos. 

Análise Vertical

As análises verticais são responsáveis por verificar, individualmente, como cada despesa tem impacto no negócio como um todo. Podem ser considerados tanto números brutos, quanto líquidos — isso depende do objetivo do estudo. 

O gestor consegue traçar um percentual da influência desses dados no seu balanço financeiro. 

Assim, ele pode planejar e identificar, de forma geral, o que oferece mais risco para o empreendimento. 

Análise Horizontal

Se a análise vertical identifica a participação de cada ativo no balanço financeiro, a horizontal acompanha e reconhece o desempenho de todos os itens ao longo do período observado. Seja mensal ou anual.

Dessa forma, ele consegue identificar as razões que levaram ao aumento ou diminuição do faturamento da unidade (análise vertical). 

Graças a esse tipo de análise, o empresário descobre como está a produtividade do seu negócio e como estão os parâmetros de rentabilidade.

Como medir o sucesso do investimento?

empresário atingindo o sucesso do empreendimento
Quanto mais meios o empresário tiver para medir o sucesso do investimento, mais rápido atingirá a rentabilidade esperada.

Para medir o sucesso de um investimento, é preciso conhecer sobre o ROI. Sigla em inglês de Return over Investment, ou Retorno sobre Investimento em português. 

O objetivo desta métrica é identificar o quanto a empresa está lucrando de acordo com cada investimento que faz. Ou seja, qual a rentabilidade do negócio. 

Graças às análises que apresentamos acima, será possível calcular o ROI e conhecer como os gastos estão impactando no sucesso do empreendimento. 

É por meio dessa métrica que é possível mensurar os resultados que realmente importam para uma empresa. 

Por exemplo, ao abrir uma franquia voltada para limpeza automotiva, o empresário decide investir mais para oferecer algo para se destacar dos concorrentes. 

Após um período operando com esse serviço, como ele saberá se isso está surtindo um efeito positivo ou negativo em sua loja? A resposta é simples!

Para conhecer o comportamento do seu público em relação a essa nova função, ele precisa seguir a seguinte fórmula.

ROI = Retorno do Investimento – Custo do Investimento / Custo do Investimento

Caso o resultado dê um número maior que um, podemos dizer que o serviço vem, realmente, atraindo os consumidores. 

Se for igual a um, ele ainda não obteve resultados que justificassem o investimento. E menor que um, significa que ele está dando mais prejuízo do que lucro. 

Dicas para evitar sustos no orçamento da franquia

Todos os tópicos apresentados até agora mostram como o empresário deve se preparar para as despesas da franquia. Porém, antes de qualquer coisa, é preciso tomar a decisão correta sobre em qual marca investir. 

Pode parecer algo trivial, mas é importante ressaltar quais pontos o empresário deve observar antes de escolher o melhor modelo de negócio. No geral, devemos ficar atentos a pelo menos três tópicos.

Investimento

O ponto mais importante aqui é conseguir fazer uma boa relação entre os investimentos feitos e a rentabilidade do negócio. Procure por modelos de negócio que oferecem boas perspectivas de resultado. 

No mercado existem marcas que conseguem oferecer uma rentabilidade de até 70%, como no caso da Acquazero

A Acquazero é maior rede de franquias do segmento de limpeza e estética automotiva, segundo a Associação Brasileira de Franchising

Confira o vídeo abaixo sobre o modelo de negócio dessa franquia. 

Tempo

Outra dica é observar qual o prazo de retorno desse investimento. Ou seja, em quanto tempo a franqueadora espera que seu franqueado obtenha seu dinheiro de volta e passe a ter lucro real. 

Existem franquias que dão três meses como prazo para o investidor reaver o que foi aplicado no empreendimento. Caso da Quisto Corretora de Seguros, por exemplo. 

Por atuar em um mercado com bons números, a marca espera que, no máximo em seis meses, o investidor receba a rentabilidade prevista. 

Saiba mais sobre as vantagens de atuar nesse segmento no vídeo a seguir!

Pesquisa

A última dica é reunir a maior quantidade possível de informações sobre a franquia que deseja investir. Conheça cada detalhe do que é oferecido e converse com outros franqueados da marca. 

Quanto maior for sua rede, mais fácil será para identificar como a empresa se comporta diante dos empreendedores. 

Uma franqueadora com muitos franqueados, por exemplo, pode ser sinal de um suporte e modelo de negócio efetivo e de qualidade.

Como no caso da Encontre Sua Viagem, que é representada por mais de 500 investidores. Isso mesmo que ainda tenha apenas cinco anos de história. Veja os benefícios de estar em uma grande rede no vídeo abaixo.

Ao longo do texto, pudemos conhecer quais os principais gastos que envolvem a abertura de uma franquia. São valores que podem ser fixos ou variáveis, que vão depender da estrutura que o empresário montar e no quão disposto ele está em investir na unidade. 

Por mais que seja um caminho em que o empresário sabe por onde passar, devido aos valores expostos em contratos, é fundamental que ele tenha a certeza da sua capacidade de manter o empreendimento por, pelo menos, seis meses.

Isso só será possível após um estudo e pesquisa sobre a marca que melhor pode atender as suas necessidades e ambições.

Gostou do nosso texto e deseja saber mais sobre as despesas da franquia que pesquisou? Baixe agora nosso ebook “Descubra todos os custos de uma franquia”!

ebook todos os custos de uma franquia

Sair

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *